Estudos

TRATAMENTO COM PSICODÉLICOS É SINÔNIMO DE CURA?

O interesse por tratamento com psicodélicos tem aumentado vertiginosamente, mas a substância sozinha não é uma cura milagrosa! Entenda mais.

Tópicos como tratamento com psicodélicos e a cura através dos mesmos têm surgido cada vez mais frequentemente no mainstream, provocando o que muitos apontam como um renascimento psicodélico. O legal de tudo isso é que, com o hype, temos também cada vez mais pesquisas apontando benefícios, riscos e informações que guiam quem pensa em utilizar essa ferramenta tão rica.

No entanto, com isso, também surge uma verdadeira comercialização da cura. Enquanto muitos tentam educar, outros vendem as substâncias psicodélicas como uma solução milagrosa — principalmente quando se trata da saúde mental. O problema é que, no desespero, muita gente recorre à alternativa. Assim, acredita que, num piscar de olhos, todos os seus problemas irão desaparecer. Não é bem assim!

Por isso, para trazer essa reflexão e de quebra dar algumas informações sobre o processo que é um tratamento com psicodélico sério e baseado na ciência, fizemos esse textão bem completo sobre o assunto. Venha descobrir tudo isso com a gente.

 

Retomando: o que é o tratamento com psicodélicos?

Como a gente já contou aqui no blog, o tratamento com psicodélicos é uma abordagem terapêutica que utiliza substâncias psicodélicas, como psilocibina (presente em cogumelos mágicos), MDMA, ketamina, DMT e LSD, para fins terapêuticos. Esses compostos têm sido estudados por seu potencial no tratamento de várias condições de saúde mental. Dentre elas, estão depressão, ansiedade, transtorno de estresse pós-traumático e até mesmo relações desafiadoras com outras substâncias.

Duas das principais linhas de tratamento com psicodélicos incluem:

  • Psicoterapia assistida por psicodélicos (PAP): nesse tipo de tratamento, a administração do psicodélico é feita em um ambiente controlado e seguro, com o acompanhamento de terapeutas treinados. Os pacientes são orientados a explorar seus pensamentos e emoções durante a experiência, o que pode levar a insights profundos e potencialmente transformadores! Incrível, né?
  • Regime de microdosagem: consiste em tomar doses muito pequenas de psicodélicos em intervalos regulares, o que geralmente não produz efeitos psicodélicos perceptíveis. Algumas pessoas relatam melhorias no humor, produtividade e bem-estar geral com essa abordagem. Alguns dos métodos mais famosos são os de Stamets e o de Fadiman — que explicamos aqui.

Mas é sempre importante lembrar que o uso de psicodélicos para fins terapêuticos ainda está em fase de pesquisa. Além disso, essas substâncias podem não ser ideais para todos mundo. A segurança e a eficácia do tratamento com psicodélicos são questões em investigação e constante evolução. Por isso, é fundamental que o uso clínico seja conduzido com cautela e sob a supervisão adequada.

 

E o tratamento com psicodélicos é realmente efetivo?

tratamento com psicodélicos
Apesar de ajudar, a estrada para a cura não depende apenas da substância. Imagem: Canva.

A eficácia do tratamento com psicodélicos ainda é um tópico bem em aberto. Embora haja evidências muitíssimo promissoras sugerindo que essas substâncias podem ser benéficas para o tratamento de algumas condições de saúde mental, é importante ressaltar que mais pesquisas são necessárias para obter uma compreensão completa de seus efeitos e benefícios potenciais.

Alguns estudos têm demonstrado resultados positivos em ensaios clínicos e pesquisas com psicodélicos. Por exemplo, a psilocibina tem sido estudada no tratamento da depressão resistente ao tratamento, com bons indícios em termos de alívio dos sintomas. O MDMA (3,4-metilenodioximetanfetamina) tem sido investigado como um adjuvante em psicoterapia para transtorno de estresse pós-traumático.

Mas nem tudo são flores! Ainda há desafios a serem superados antes que o tratamento com psicodélicos possa ser amplamente aceito e disponível. Algumas das questões incluem:

  • Pesquisa limitada: apesar do crescente interesse e financiamento em pesquisas com psicodélicos, o número de estudos ainda é relativamente pequeno em comparação com outras áreas da medicina.
  • Individualidade da resposta: como acontece com qualquer tratamento, a resposta aos psicodélicos pode variar de pessoa para pessoa, e nem todos podem se beneficiar igualmente.

Portanto, enquanto a pesquisa inicial é encorajadora, é crucial não superestimar os benefícios do tratamento com psicodélicos antes que mais evidências científicas robustas estejam disponíveis. Os psicodélicos não são uma panaceia — e devem ser abordados com cuidado e responsabilidade.

 

Fases do tratamento que devem ser respeitadas

Além de tudo, as fases do tratamento com psicodélicos também são importantes. Elas geralmente incluem a preparação, administração e integração. Cada fase é fundamental para garantir que o tratamento seja seguro, eficaz e significativo para o paciente. Por isso, nem toda experiência psicodélica pode ser, por si só, considerada uma terapia.

Essas fases consistem em:

Preparação

A fase de preparação é crucial para estabelecer um ambiente seguro e propício para a experiência com psicodélicos. Nesta fase, o paciente é cuidadosamente avaliado para garantir que seja um candidato adequado ao tratamento. Os terapeutas geralmente conduzem entrevistas e avaliações para entender a história médica e emocional do paciente.

Durante a preparação, o paciente recebe informações detalhadas sobre o que esperar durante a experiência com o psicodélico. Isso inclui os possíveis efeitos colaterais e a natureza intensa da jornada psicodélica. São estabelecidas expectativas realistas para o tratamento. Além disso, é enfatizada a importância do compromisso pessoal e da cooperação com os terapeutas.

Os terapeutas também trabalham para estabelecer uma relação de confiança com o paciente, criando um espaço seguro e acolhedor para que o paciente se sinta confortável ao explorar suas emoções e pensamentos durante a experiência.

Administração

tratamento com psicodélicos
Nessa fase, a substância de escolha é dada ao paciente. Imagem: Canva.

A fase de administração envolve a própria experiência com o psicodélico. Nesta etapa, o paciente recebe a substância psicodélica, como a psilocibina, sob a supervisão direta de profissionais de saúde qualificados. A administração geralmente ocorre em um ambiente controlado, como uma clínica ou centro de tratamento especializado. Terapeutas ficam presentes para oferecer suporte durante toda a jornada.

Durante a experiência psicodélica, os pacientes podem vivenciar uma ampla gama de experiências. Elas podem incluir momentos de introspecção, insights profundos, catarse emocional ou estados alterados de consciência. Os terapeutas estão presentes para ajudar o paciente a navegar por essas experiências, fornecendo apoio emocional e orientação quando necessário.

Integração

A fase de integração ocorre após a experiência psicodélica e é considerada tão importante quanto as fases anteriores. Nesta etapa, o paciente e os terapeutas se reúnem para discutir a experiência, bem como emoções e insights que emergiram.

A integração é essencial para ajudar o paciente a incorporar os aprendizados da experiência psicodélica em sua vida cotidiana. Os terapeutas auxiliam o paciente a refletir sobre os insights obtidos, identificar possíveis mudanças comportamentais ou de estilo de vida e desenvolver estratégias para a aplicação prática dos aprendizados em suas relações e atividades diárias.

Essa fase de integração é crucial para garantir que os efeitos terapêuticos da experiência psicodélica sejam sustentados. Assim, o paciente pode incorporá-los de forma significativa em sua vida.

É importante ressaltar que cada fase do tratamento com psicodélicos é cuidadosamente planejada e personalizada para o paciente. Terapeutas qualificados, conhecimento adequado e ambiente seguro são fundamentais para o sucesso do tratamento com psicodélicos. Por isso, é essencial que o tratamento seja conduzido por profissionais experientes e bem treinados em terapia com psicodélicos.

 

E o que podemos concluir com tudo isso?

Embora promissor, tratamento com psicodélicos não deve ser visto como milagroso! Imagem: Canva.

A crença de que os psicodélicos sozinhos são uma “cura completa” para todos os problemas de saúde mental é um equívoco que pode ser perigoso. Embora a gente tenha pesquisas que sugerem que os psicodélicos podem ser uma ferramenta promissora no tratamento de algumas condições de saúde mental, é importante entender que eles são isso: uma ferramenta.

Os psicodélicos têm sido estudados por seus efeitos terapêuticos potenciais, mas é fundamental lembrar que eles não funcionam isoladamente. O tratamento com psicodélicos geralmente é mais efetivo quando é combinado com um processo terapêutico cuidadosamente planejado.

O processo terapêutico é crucial para fornecer um contexto seguro e significativo para a experiência psicodélica. Os terapeutas são peças fundamentais para orientar o paciente durante a experiência, fornecendo suporte emocional, facilitando a exploração de questões subjacentes e ajudando o paciente a integrar os insights obtidos na vida diária. A gente já falou bastante disso no nosso artigo sobre integração, que você pode retomar aqui.

Assim como no caso de outros tratamentos, como antidepressivos, os psicodélicos não são uma solução única. Os antidepressivos, por exemplo, podem ser úteis para muitas pessoas que lutam com a depressão — mas seus efeitos podem variar de pessoa para pessoa. Algumas pessoas podem responder bem aos antidepressivos, enquanto outras podem não experimentar o mesmo alívio dos sintomas.

É importante lembrar que a saúde mental é complexa e multifacetada, e cada pessoa é única em suas experiências e necessidades. Portanto, a abordagem de tratamento deve ser adaptada individualmente. Ela pode envolver diferentes abordagens terapêuticas, incluindo psicoterapia, terapia medicamentosa e, em alguns casos, tratamento com psicodélicos.

 

Gostou desse post?

Ao abordar questões de saúde mental, a combinação adequada de tratamentos, o apoio emocional, a participação ativa do paciente e a colaboração entre paciente e profissionais de saúde são cruciais para obter resultados positivos e sustentáveis.

Portanto, é importante não superestimar o poder dos psicodélicos ou de qualquer outra forma de tratamento isoladamente, mas sim compreender a importância do processo terapêutico abrangente e individualizado para a melhoria da saúde mental.

Se quiser saber mais sobre isso e outros assuntos, como maconha, haxixe e Redução de Danos, não esqueça de seguir a gente no Instagram @girlsingreen710.

Até a próxima!

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Google
9 meses atrás

Thnnnxxx.