GIRLS IN GREEN

Ed Rosenthal faz uma rápida e sagaz análise da importância dos terpenos nas genéticas de cannabis e como isso influencia na distinção entre índica e sativa!

Tradução livre do texto do Ed Rosenthal @edrosenthal420, publicado em 29 de Agosto de 2018 apenas na sua conta de instagram.

Os terpenos são a revolução do que se entendia dos respectivos efeitos de diferentes tipos de maconha (strains). Não faz muito tempo que nossa principal ferramenta de seleção, na hora de indicar um produto apropriado para tratar uma determinada condição ou atingir a uma sensação específica, era uma separação percentual que colocava as strains em duas classificações: indica ou sativa.

A realidade é que a diferença entre a canabis sativa e a indica são aspectos físicos entre as plantas. Nenhuma dessas características realmente tange quais são os impactos químicos de cada uma – isso tudo se resume aos terpenos e canabinoides. Além disso, as poucas genéticas que são realmente “puras” indicas ou sativas, considerando o extenso cruzamento de genéticas da atualidade, torna ainda mais difícil encontrar quais são as caraterísticas dos efeitos de uma ou outra. O que realmente determina o impacto de uma determinada variedade é: como a concentração de canabinoides e índice desses irá interagir com o perfil dos terpenos, e é aqui que encontramos uma pequena correlação entre determinado perfil de terpeno e um efeito que seria de sativa ou indica. A hipótese em que estamos trabalhando é que o alto índice de mirceno, encontrado em muitas plantas consideradas indicas, é o que causa aquele determinado conjunto de efeitos característicos dessas plantas.

Em contrapartida, a alta presença de limoneno, a-pineno e beta cariofileno encontrado nas sativas podem ser os causadores dos efeitos típicos da plantas consideradas sativas.

Não é difícil de encontrar provas disso: pense em uma strain que você considere estimulante. Provavelmente você está pensando em algo como Trainwreck, Sour Diesel, Tangie, Durban Poison e até uma Red Congolese.

Adicione mais algumas favoritas a essa lista, e você vê um padrão surgindo?

As chances são que você verá uma alta presença de limoneno e pineno nelas. Isso pode ser um outro exemplo de “evidência anedotal” (evidencia informal), mas quando começa-se a estudar o perfil dos terpenos de strains que possuem um determinado tipo de efeito, estamos começando a encontrar surpreendentes similaridades

Flor de maconha

Considerações do Girls in Green

Atualmente, quando pensamos em cannabis a nível mundial, é importante ponderarmos sobre o ponto de partida da desinformação. O proibicionismo acarretou na criminalização e desinformação sobre a maconha em todos os países do mundo. Com o movimento anti-proibicionista, as experiências empíricas dos usuários e pacientes e, mais recentemente, a ciência, tem sido possível desmistificar os mitos que foram criados ao redor da planta.

Entender como funciona a interação entre cannabinoides e terpenos nos ajudará a entender o funcionamento da cannabis no corpo humano e como cada combinação nova, consequente de uma nova strain, atuará para cada pessoa!

Realmente, os terpenos são a revolução!

Quer saber mais? Não deixe de conferir o nosso post completo sobre terpenos!