GIRLS IN GREEN

Prensar para ativar: esse era um dos lemas do nosso querido professor Frenchy Cannoli ao fazer suas incríveis temple balls. Elas têm uma história rica em tradição, e aqui você aprende tudo isso na teoria e na prática!

Se você nos segue lá no Instagram, já deve ter visto algumas temple balls: bolas de haxixe que variam em tamanho, mas que parecem brigadeiro. Lindas, potentes e de dar água na boca, elas são um formato muito tradicional do haxixe e surgiram lá no Oriente Médio, onde essa cultura é forte até os dias de hoje.

Um dos maiores difusores desse método na atualidade foi nosso querido professor Frenchy Cannoli, que honrou a arte perdida do haxixe durante toda a sua vida. Para ele, as temple balls de haxixe tinham um significado extremamente especial – tanto da perspectiva histórica quanto científica. Afinal, elas são feitas através de um processo que une calor e pressão, e que pode trazer vários benefícios para o concentrado, para o hash maker e para quem vai consumir.

Mao segurando temple ball de haxixe
temple ball de haxixe

Quer entender melhor o que são as temple balls de haxixe? Vem com a gente que vamos explicar, aqui, tudo o que você precisa saber sobre elas e como fazê-las!

O que são as temple balls de haxixe?

Como já mencionamos, as temple balls são parte da tradição de fabricação de haxixe, originadas muito antes dos métodos modernos de extração – como o bubble hash ou ice. suas primeiras versões eram feitas de tricomas de cannabis coletados à mão (o famosíssimo charas), ou de dry sift, feito separando tricomas da planta usando telas de diferentes micragens. 

De uma forma simples: as temple balls de haxixe são uma coleção de cabeças de tricomas, reunidas, prensadas e enroladas à mão em uma massa esférica. Agora, existem também suas versões feitas a partir de um bubble hash mais tradicional, misturando o antigo e o novo.

Prensar o haxixe tem uma perspectiva histórica. Os processos de prensa e cura do haxixe são uma etapa muito importante da produção do seu concentrado. Inclusive, prensar ele com a mão também é um método de testar a qualidade. Só uma resina top pode ser prensada pela mão: com pouca pressão e temperatura, você consegue estourar esses tricomas frescos e trazer liga para o hash.

3 bolas de haxixe de coloração diferente em formato de temple ball
haxixe em formato de temple ball

E por que isso é feito?

Em seu artigo “The darker side of hashish: why press your resin?“, Frenchy conta que se perguntou por muito tempo por que as pessoas prensavam seu haxixe. Para ele, todos os melhores haxixes tradicionais disponíveis nos anos 70 e 80 podiam ser prensados apenas com o uso das mãos, como era o caso das temple balls, e isso era sinônimo de sua qualidade.

Mas a verdade é que a resposta da pergunta “por que as pessoas prensam o seu haxixe com as mãos?” pode ser encontrada na descarboxilação.

Temple balls douradas de haxixe na mão
Temple balls douradas de haxixe

Esse processo simples é o que retira o dióxido de carbono (CO2), permite que o seu haxixe seja absorvido pela sua corrente sanguínea e apresente seus efeitos mais intoxicantes. Ele acontece naturalmente com o tempo e temperaturas mais altas, mas pode ser acelerado com o uso da pressão e do calor das suas mãos (ou mesmo de outros objetos). Quanto mais calor, mais rápida a descarboxilação.

Mas muita calma nessa hora: ao mesmo tempo em que a temperatura mais alta pode transformar o THCA e o CBDA em THC e CBD, ela pode transformar o THC em CBN. Com 70% da descarboxilação completa, já começamos a converter THC para CBN mais rápido do que transformamos THCA em THC. Assim, o efeito do seu haxixe pode ser menos intoxicante e mais sedativo.

Cannoli conta que, por muitos anos, não entendeu tão bem a complexidade desse processo. Mas a verdade é que, quando ele é feito com temperaturas muito altas por muito tempo, pode acabar degradando o haxixe de uma maneira não tão positiva se seu intuito é ter altas quantidades de THC.

4 motivos para fazer temple balls de haxixe

A gente prensa o haxixe para:

  • Ativar os canabinoides

Como mencionamos ali em cima, prensar o seu haxixe em temple balls acelera o processo de descarboxilação. Quanto maior a temperatura, mais rápida a descarboxilação – por exemplo, quando você acende um baseado ou vaporiza um concentrado, a descarboxilação acontece de forma imediata! Quando você escolhe utilizar as mãos, não é uma ativação 100%, mas ela já começa esse caminho de transformação dos canabinoides, interferindo na textura, no sabor, no cheiro e também nos efeitos do seu concentrado.

  • Promover mudanças bioquímicas

Com a descarboxilação, como já explicamos, você altera também o perfil de canabinoides e terpenos do seu concentrado. Dessa forma, ele vai mostrar um sabor e um aroma mais apurados e sofisticados.

  • Diminuir o volume do concentrado.

Prensar o seu haxixe também faz com que ele ocupe menos espaço, tornando-se muito mais fácil de guardar e transportar.

  • Aumentar a durabilidade

Protegido do ar e da oxidação, o seu concentrado já ativado pode durar por muito mais tempo (ainda mais se estiver guardado dentro de vidro e enrolado em papel, longe da luz e em ambiente fresco e seco).

Hora de prensar e de observar

Quanto mais pressão e temperatura a gente precisa, pior é a qualidade da resina. Se a sua resina não é de boa qualidade, você precisa aumentar o tempo de prensagem também, para conseguir tirar mais óleo. Proporcionalmente, isso aumenta a descarboxilação.

Temple ball de haxixe na mão
Temple ball

Foto: Bolacubaco

Quando foi para o Marrocos, a Alice nos conta que presenciou uma cena interessante. Ela perdeu o timing de fazer o haxixe, mas esteve durante o tempo de preparar o concentrado através da prensagem. Lá, eles batem na resina com taco de baseball: a pressão das porradas que ela leva ajuda a romper a membrana dos tricomas, fazendo esse óleo escorrer e tornando a maçaroca oleosa. Assim, ela aprendeu que a força mecânica vira temperatura, o que também interfere na descarboxilação e cura. As aulas de física são tudo, né?

  • É importante notar que, se passamos do ponto na hora de descarboxilar com a prensagem, o hash terá efeitos diferentes e a onda se tornará mais pesada.

Nos Estados Unidos, é diferente. A descarboxilação é mais comum para a fabricação de tinturas, edibles, e outros preparados.

Como fazer temple balls de haxixe

Prensar o haxixe é uma operação complexa, que transforma totalmente a natureza da resina. Além dos efeitos psicoativos e medicinais da matéria, é uma forma de arte, pensando na evolução do conhecimento canábico através da história.

Toda vez que a gente prensa, seja como for, precisamos de uma fonte de calor: mesmo que variável e diversa, a temperatura um pouco mais elevada é fundamental. Para isso, você pode usar o calor da mão ou da prensa, da garrafa, do pé, ou até da sua própria bunda (estamos falando sério). Além disso, você pode usar diferentes concentrados sem solvente: charas, dry sift ou bubble hash bem sequinho.

Quanto mais calor, mais rápido o processo.

A conservação e maximização provocadas pela prensagem realçam e potencializam os efeitos dos terpenos, mas, se você se passar, pode perdê-los. Por isso, essa parte do processo é delicada e precisa de cautela!

Vamos falar aqui de quatro métodos para fazer suas temple balls:

Prensando com a mão

Como já falamos um pouco mais acima, prensar com a mão é a forma mais simples de ativar o seu haxixe. Tudo o que você precisa é o calor das suas mãos. Ao usá-las para ativar alguns dos componentes do hash, você também vai perceber sua qualidade:

  • Se for bom, você não vai precisar de tanta pressão para que ele fique oleoso.

  • Se ele não for bom, ele não vai prensar dessa forma com facilidade.

Método Cannoli

Com a temperatura assumindo um papel tão importante, Frenchy Cannoli entendeu a necessidade de encontrar uma ferramenta que oferecesse a chance de prensar ao mesmo tempo em que fosse uma fonte de calor. Ele ficou com a simplicidade de uma uma garrafa transparente com água fervendo, na temperatura de 104°C. Isso promove uma descarboxilação controlada, enquanto bem semelhante à prensagem com as mãos.

Técnica do sapato

Para descarboxilar de forma simples, você pode enrolar o seu hash em um plástico ou em uma turkey bag. Depois, coloque ele no seu sapato e ande com o hash embaixo do pé durante o dia.

Técnica da bundinha

Essa técnica é bem semelhante a do sapato – só que, para fazer ela, você só vai precisar da sua (tcharan!) bundinha. Sente em cima do seu hash bem embaladinho e deixe que o calor e a pressão do seu corpo façam o trabalho.

Será que prensei o suficiente?

Assim que o seu haxixe se tornar uma massinha homogênea de tricomas e óleo, ele está prensado o suficiente.

Depois de fazer isso, basta enrolar seu haxixe com a mão como se fosse um brigadeiro para formar as famosas temple balls. 

E depois?

Suas temple balls de haxixe podem ser consumidas logo depois de prontas, ou podem ser curadas para um aprimoramento ainda maior do sabor. Como já contamos para vocês no nosso texto sobre cura, para concentrados, o processo preserva o sabor e a suavidade e melhora a potência.

  • Como seria com as flores, a melhor maneira de curar suas temple balls é em frascos de vidro em local frio, seco e escuro. A diferença entre elas é que as flores estão prontas em quatro a oito semanas, enquanto para a cura adequada de uma extração pode-se esperar de três a quatro meses.

E aí, gostou de saber mais sobre as temple balls? Já conhecia? Conta aqui pra gente nos comentários e não esquece de nos seguir lá no Instagram @girlsingreen710 para estar sempre atualizada(o) nos assuntos canábicos!

Até a próxima.

guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
DexLabs_grw
DexLabs_grw
1 mês atrás

Simplesmente fantástico, vocês são 10 meninas, ops, 710 desculpa kkkk