GIRLS IN GREEN

Quer começar a cultivar e se deparou com o termo “semente automatizada” por aí? Aqui, a gente te explica tudo o que você precisa saber sobre elas, seus benefícios e desafios.

Atualmente, os cultivadores e as cultivadoras de cannabis têm muitas escolhas a fazer desde o início do seu cultivo. Uma das principais delas diz respeito às sementes que irão usar para começar. Sim: elas podem ditar muita coisa dentro do seu grow! Se você optar por sementes automatizadas (ou autoflorescentes), por exemplo, vai ter uma experiência completamente diferente do que se optar pelas regulares, com desafios e benefícios ao longo do caminho.

As genéticas autoflorescentes podem ser incríveis para quem está começando e deseja uma experiência um pouquinho mais simples para se habituar à rotina de um grower. Entretanto, já vamos avisar: nem tudo são flores nesse caminho, e existem alguns pontos negativos nessa jornada também.

Para ajudar você a fazer essa escolha com toda a consciência dos prós e contras, vamos contar um pouquinho mais sobre as sementes automatizadas. Vem com a gente aprender mais sobre elas!

O que é uma semente automatizada ou autoflorescente?

Vamos começar pelo começo, né! De uma maneira bem simples, o conceito desse tipo de semente já está no nome. São variedades de cannabis que florescem automaticamente. Como explicamos no nosso artigo sobre germinação, elas entram na flora com a idade, não com a alteração do ciclo de luz

Seus períodos de crescimento e colheita são mais curtos. Assim, plantas geradas por esse tipo de semente podem estar prontas para a colheita em aproximadamente três meses a partir do momento em que você as coloca no solo. 

De onde vêm as sementes automatizadas?

Alice com clone de maconha

O seu surgimento tem uma história interessante: as espécies autoflorescentes são tecnicamente uma adaptação às condições ambientais. Elas nascem a partir da espécie Cannabis ruderalis, que é como a vovó das indica e sativa que conhecemos e falamos tanto hoje em dia.

Essa subespécie se adaptou aos ambientes frios e muitas vezes hostis da Ásia Central, Europa Oriental e Rússia. Por suas estações de crescimento mais curtas e temperaturas mais frias, ela estrategicamente abandonou a espera que desencadeia a floração. Em vez disso, a plantinha desenvolveu um gene autoflorescente para garantir a reprodução antes que seja impossível sobreviver ao clima.

Interessante como a natureza e a evolução trabalham, né?

Automatizada ou feminizada?

Sementes de maconha

Enquanto procura por sementes, você já deve ter visto também as espécies feminizadas. E não, elas não são as mesmas que as automatizadas – inclusive, você pode ter sementes autoflorescentes feminizadas. 

As sementes feminizadas não possuem o cromossomo masculino e eliminam a possibilidade das plantas se expressarem como macho. Nesse caso, todas as sementinhas que você plantar vão originar buds maravilhosos! Isso também reduz o risco de um macho se infiltrar em sua colheita. Apenas um macho pode polinizar uma quantidade enorme de plantas. Isso faz com que suas fêmeas concentrem suas energias na produção de sementes em vez de buds. 

Então não, elas não são a mesma coisa – mas podem ser boas aliadas!

Agora, vamos ao que interessa:

Vantagens das sementes automatizadas ou autoflorescentes


Seu ciclo é mais rápido

Vamos começar com uma das vantagens mais óbvias. As variedades autoflorescentes são, como já citamos acima, as mais rápidas do rolê. Elas levam cerca de 7 a 10 semanas para completar o ciclo. Assim, apresentam uma fase vegetativa e um estágio de floração mais breves do que as sementes comuns.

Toda essa velocidade das sementes automatizadas é o que atrai a maioria dos growers mais ansiosos, que não querem esperar tanto tempo pelo resultado final. Elas também permitem mais ciclos por temporada. 

Cultivadores que plantam sob pressão também podem se beneficiar com isso. Esse tipo de plantinha pode suportar uma rotatividade mais rápida para operações comerciais, permitindo colheitas perpétuas em ambientes fechados! Ou seja – elas são top para quem planta indoor

Suas plantas são menores e mais discretas

As cepas automatizadas ou autoflorecentes podem atingir uma altura média de 60 a 100cm. Ou seja: para quem quer driblar a proibição, seu tamanho compacto (aliado à velocidade que já mencionamos) é o ouro. 

Por serem menores do que as plantas provenientes de sementes regulares, você pode facilmente cultivá-las em locais mais escondidos. Elas também são populares entre os growers de guerrilha – que cultivam cannabis em locais públicos ou em meio ao mato. Dessa forma, suas colheitas ficam fora da vista, escondidas dos ladrões e de agentes da lei.

Elas também são perfeitas para grows menores indoor ou aquelas famosas caixas de cultivo. 100% discretas e efetivas!

Plantas autoflorescentes são mais fáceis de lidar

sementes automatizadas

Elas são duronas! As plantas automatizadas são donas de uma genética forte, robusta e bastante resiliente. Afinal, não foi à toa que a ruderalis conseguiu sobreviver se adaptando às loucuras climáticas do extremo norte do planeta. Sendo assim, elas são mais resistentes não apenas ao frio, mas também a indicadores naturais e até mofo!

Fato interessante: o nome “ruderalis”, em latim botânico, significa “erva daninha” ou “que cresce entre os resíduos”. Ou seja: a subespécie pode crescer nos ambientes mais inóspitos e se defender muito bem sozinha. É exatamente por isso que as sementes automatizadas ou autoflorescentes podem ser perfeitas para os novatos, já que são tão tolerantes a erros. 

Automatizadas não ligam tanto para luz

Muita luz? Pouca luz? Não importa muito – como já falamos, as sementes automatizadas vão florescer de qualquer jeito. 

Na iluminação indoor, geralmente, os growers que trabalham com esse tipo de planta usam um cronograma de 18h de luz e 6h no escuro durante todo o ciclo. Como o gatilho para a flora é a idade, a iluminação vai ser a menor de suas preocupações. Você pode ser bem flexível e tentar encontrar algo que funcione bem para o seu caso.

  • Tem cultivadores que não se importam em gastar muito (ou que tem o famoso gato, cof cof) e que optam por manter suas luzes acesas 24h por dia, dizendo que o método aumenta seus rendimentos finais. 
  • Outros cultivadores afirmam que esse tipo de cronograma de iluminação pode privar as plantas de seu período natural de descanso e acabar sendo um tiro que sai pela culatra.
  • Uma programação 12/12 é o meio termo: boa para economizar energia, mas não a ideal para os rendimentos. 

Seja qual for a sua escolha, você tem uma possibilidade de adaptação muito melhor com essas plantinhas!

No caso de cultivos outdoor, elas acabam sendo ótimas para quem vive em locais com menos luminosidade – como no Canadá, por exemplo, onde os invernos são bem severos.

Plantinhas automatizadas têm dietas simples

Como crescem rápido e, ao mesmo tempo, não crescem tanto quanto as plantas regulares, as autoflorescentes não precisam de tanto fertilizante. Por serem tão fortes e prosperarem mesmo nos lugares mais inesperados, elas desenvolveram essa característica de não precisar de uma dieta tão complexa! Isso é bom para quem deseja economizar tempo e dinheiro, e ainda fechar o ciclo com boas flores.

As automatizadas geralmente têm mais CBD

Se você está procurando uma cepa com perfil mais equilibrado ou maior quantidade de canabidiol (CBD), as variedades autoflorescentes podem oferecer boas opções! Esse canabinoide é conhecido por seus muitos poderes terapêuticos e não-intoxicantes, como:

Fonte: PenNews

Desvantagens das sementes automatizadas ou autoflorescentes

Automatizadas têm rendimentos mais baixos

Agora precisamos falar das vantagens que se tornam desvantajosas em um sentido. Por seu tamanho pequeno e o curto ciclo de vida, suas colheitas são menores. Por ser mais “mirrada”, ela tem menos espaço para produzir buds. 

Ao ar livre, seu rendimento geralmente é de aproximadamente 80g a 180g por planta.

Precisamos lembrar que as plantinhas normais podem ficar tão grandes quanto árvores frutíferas. Isso é uma vantagem quando falamos da quantidade de flores produzidas. Como a maioria das autoflorescentes não para de um metro de altura, elas proporcionalmente dão origem a menos buds.

E não é só o tamanho: com um ciclo de vida tão curto, o número de flores produzidas pelas cannabis autoflorescentes é bem mais limitado.

Alguns custos são mais altos

Sim, você vai economizar bastante tempo e não vai ter que gastar tanto com nutrientes. Mas o custo inicial das sementes e, depois, da iluminação, são alguns pontos negativos nessa jornada. Ainda mais se você for usar um cronograma de iluminações de 24h!

Embora você possa reduzir o tempo de iluminação pela metade, você pode sacrificar boa parte do seu rendimento com isso.

Em comparação, as cepas regulares geralmente possuem um bom rendimento com um cronograma 12/12 durante a flora. Esse tipo de semente também é mais barata – inclusive, você pode começar a plantar com as próprias prenseeds!

Diga adeus aos clones

Se a sua meta é propagar plantinhas a partir de clones, as plantas automatizadas infelizmente não são para você. A gente explica!

Como os clones são uma cópia exata de sua planta-mãe, eles não herdam apenas a carga genética, mas também sua idade. Digamos que você faça um corte de uma planta-mãe de duas semanas. Isso significa que o clone terá que vegetar, florescer e amadurecer em cerca de 5 a 6 semanas.

Isso vai acabar gerando uma planta subdesenvolvida, com pouquíssimo rendimento. Ou seja: não vale a pena!

Pouco tempo para você treinar

As autoflorescentes crescem de forma rápida – por isso, você terá menos tempo para fazer experimentações. Isso porque cometer algum algum erro, principalmente em podas e desfolhações, pode acabar colocando tudo a perder. A plantinha não terá como se recuperar antes da chegada da floração. 

Aí, já sabe, né?

Por isso, tenha bastante cuidado caso você escolha esse tipo de semente. Aqui, a gente ensina direitinho como fazer poda, desfolhação e topping para que você não tenha problemas com isso!

Autoflorescentes têm menos THC

Fonte: Triphub

É, tem isso: alguns cultivadores preferem não cultivar as plantas automatizadas porque normalmente seu teor de tetrahidrocanabinol (THC) é menor do que o das plantas regulares. Mas assim, convenhamos: THC não é tudo! Se você tem uma plantinha gostosa e terpenada, ela pode ser maravilhosa e apresentar efeitos surpreendentes.

Ainda assim, pode dar uma desanimada em alguns – e é sempre bom falar. Hoje em dia, já existem breeders trabalhando para melhorar essa condição. Entretanto, o investimento para conseguir essas sementinhas milagrosas pode ser bem alto!

Depois de tudo isso, a conclusão é: avalie todos esses pontos e entenda o que faz sentido para você! Tem gente que adora cultivar plantinhas automatizadas – enquanto outros growers não curtem e não acham que vale a pena. Cada caso é um caso.

Curtiu saber de tudo isso? Se ficou com dúvida, deixa um comentário aqui para a gente. E não esquece de nos seguir lá no Instagram @girlsingreen710!

Até a próxima!

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments