Estudos

Redução de danos: Qualidade e frequência de florzines

Como saber a qualidade da maconha que fumamos e qual frequência de uso ao reduzir os danos.

Quando pensamos em redução de danos no uso da cannabis, existem dois fatores mega importantes que não podem ser esquecidos: a qualidade e a frequência de consumo. Afinal, as Florzines e os Hashishines oferecem uma gama ampla de canabinóides – alguns psicoativas e outros não. É importante saber nos oferece substâncias variadas, inclusive psicoativas, e precisamos saber quais e quantos estão presentes nas doses para não errarmos a mão.

Embora ela não cause overdose, a cannabis pode sim prejudicar a saúde caso você não use da maneira certa para você! A gente sabe bem que, por causa do proibicionismo aqui no Brasil, fica um tanto difícil saber exatamente o que estamos consumindo. A maior parte da erva que chega para a gente é prensada – e, acredite, isso não é nem um pouco bom por vários motivos. Mas, aqui, vamos dar algumas dicas para você ficar de olho e conseguir evitar, ao máximo, o consumo de cannabis de má qualidade!
Segue o fio da Florzine

Sobre a qualidade:

O cultivo próprio é a melhor forma de saber exatamente o que você está consumindo, além de não contribuir para o tráfico. Procurar pequenos criadores que comercializem a florzinha em seu estado mais natural também é uma boa nesse aspecto.

O prensado pode conter sujeira, insetos, gravetos e até mesmo traços de amônia. Isso tudo acontece devido ao mau armazenamento e à má conservação durante o transporte. Se você só tem acesso a ele, fique de olho e, de preferência, lave o prensado com muito amor e carinho antes de consumir. Assim, você remove as impurezas e dá uma reanimada/hidratada nas flores!

Depois de lavar, o maior cuidado é com a secagem e o armazenamento. Sua cannabis deve, de preferência, ser guardada hermeticamente em um ambiente com temperatura e umidade controlada. Você não quer fumar mofo – ele pode trazer graves doenças respiratórias.

Sobre a quantidade

Como já falamos acima, a quantidade consumida é crucial – principalmente se você fuma a cannabis. A combustão pode causar doenças respiratórias e prejudicar seus pulmões devido às toxinas geradas pela queima, tanto da erva quanto do papel.

Mas não é só isso: a maconha é composta, principalmente, pelo THC e pelo CBD. O THC, em grandes quantidades, pode levar quem já tem propensão a passar por crises de ansiedade, psicoses e outras brisas ruins. Aí entra uma questão muito importante: a do autoconhecimento. Saiba quando você precisa parar um pouco e dar um tempo ao seu organismo, para que ele absorva as substâncias e você não se sobrecarregue. Como qualquer remédio, o segredo está na dose, certo?

Aqui vão algumas outras dicas:

  • Use com menor frequência e com melhor qualidade: assim como a maioria das coisas na vida, a cannabis também funciona dessa forma. Quanto mais qualidade tiver sua Florzine, menos você precisa fumar.

  • Respeite o seu corpo. Você não comeria comida estragada, então também não use qualquer cannabis por aí!

  • Prefira o uso em vaporizadores ou bongs, que reduzem danos à garganta e aos pulmões. Caso fume, prefira sedas sem aditivos químicos e use piteiras longas.

  • O toque, o cheiro e o visual já podem mostrar muito sobre a erva. Por isso, observe bem sua Florzine, avalie, e não utilize caso veja ou sinta algo de errado com a plantinha! (Principalmente MOFO!!!!)

Essas são as dicas da nossa Florzine favorita pra mais uma semana de muito autocuidado e auto-amor na nossa vida.

Até a próxima quarta-feira, com mais conselhos da flor pra não se meter em rolê errado! 😉

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments