GIRLS IN GREEN

A mesma cepa pode se expressar de maneiras diferentes, e por isso a busca por fenótipos é tão importante. Vem saber mais sobre esse processo!

Se você quer fazer (ou já faz) haxixe, uma das partes fundamentais é ter flores bonitas e bem tricomadas para processar. E isso é especialmente quando estamos falando de extrações sem solvente! Selecionar as melhores características de uma planta nem sempre é uma tarefa fácil e exige muita pesquisa, amor e, principalmente, paciência. Mas se tem uma coisa que ajuda muito é a boa e velha caça por fenótipos, ou pheno hunt.

Todas as cepas têm seu próprio perfil único – e se expressam de maneiras diferentes, dependendo de vários fatores. Por exemplo: cultivada ao sol, uma planta pode ter expressões de terpenos distintas quando comparado a mesma variedade que foi cultivada em um espaço indoor. Isso cria diferentes fenótipos (ou “phenos”) que podem ser explicados como diferentes expressões do mesmo material genético.

Assim, uma caça aos fenótipos perfeitos é basicamente o processo de cultivar a mesma variedade e selecionar aquelas que apresentam características que queremos ver no concentrado.

Esse processo pode levar alguns ciclos e até anos para produzir o fenótipo ideal, mas, no final, você terá apenas as melhores opções para desenvolver em seu jardim, processar no laboratório e até criar novas e deliciosas variedades.

Aqui, vamos explicar como uma boa pheno hunt geralmente é feita. Vem com a gente descobrir!

Foto colorida 19 sementes de maconha ao sol
Sementes de maconha

Como iniciar uma seleção de fenótipos

Selecionar os melhores fenótipos é um trabalho árduo! Você terá que ser muito organizado para acompanhar cada plantinha que estiver cultivando. Mas vamos falar de processos:

Foto colorida de diversos envelopes de sementes de maconha, etiquetados e guardadinhos na geladeira
Diversas sementes de maconha, separadas, etiquetadas e guardadinhas na geladeira

Primeiro, você terá que plantar todas as suas sementes. Lembre-se de rotular cada uma delas separadamente. Não importa como você faz isso, mas certifique-se de criar um sistema que funcione para você! Normalmente, os produtores usam números – então, se você estiver cultivando Mimosa, por exemplo, terá Mimosa #1, Mimosa #2, Mimosa #3 e assim por diante.

O segundo passo é cuidar muito bem de cada semente até que ela fique grande o suficiente para você tirar clones, o que geralmente leva até seis semanas. Depende da cepa!

Quando elas crescerem o suficiente, você terá que retirar um clone de cada fenótipo e marcá-los usando o mesmo nome do original.

Você terá que deixar os clones em estado vegetativo, enquanto os fenótipos originais serão cultivados e testados separadamente.

Depois de fazer isso, a parte do cultivo é praticamente padrão. Você deixará os fenótipos originais ficarem grandes e fortes, até que suas flores estejam prontas para serem colhidas.

A colheita é a parte mais importante: ao colher cada fenótipo, observe atentamente seus buds e anote tudo. Crie categorias com base no que você está procurando, como aparência geral, cheiro, quantidade e qualidade da resina e assim por diante. Então, você pode eleger apenas os melhores e descartar os indesejados.

Mas o que procurar em uma cepa para fazer haxixe?

Para te ajudar a entender essa questão, vamos trazer um exemplo prático diretamente do jardim da Alice e do Flynn. Lá, eles cultivavam duas cepas bem interessantes: a Cookies and Cream e a Smarties.

Foto colorida de um bud de maconha da cepa Cookies and Cream
Cookies and Cream – Altos níveis de THC e CBG
  • A Cookies and Cream é cultivada há uns oito ou nove anos;
  • Já a Smarties é cultivada há menos tempo, uns cinco ou seis anos.

Essas genéticas específicas foram mantidas por meio de plantas-mãe da mesma espécie, de modo que os cultivadores em questão tinham um amplo conhecimento sobre ambas. E, em comparação, em termos de genética e rendimento, a Cookies and Cream coloca metade do peso da flor por metro quadrado cultivado em comparação com Smarties – mas a quantidade de haxixe que sai deles é a mesma. 

Isso é interessante, não é?

Então, você precisa avaliar com muito cuidado, experimentar diferentes cepas e fenótipos, e entender qual é o melhor para você e seu propósito. Saber calcular números e rendimentos é a chave para tornar o universo das extrações algo mais acessível. A gente já falou bastante sobre isso aqui no blog!

Mas o rendimento não é a única coisa a procurar ao cultivar plantas para fazer concentrados. 

Díptico de fotos macro coloridas de tricomas capitados da planta de cannabis
tricomas que se desprendem facilmente do material vegetal são a melhor pedida para um haxixe de qualidade

O que procurar em plantas para fazer haxixe?

Alguns pontos principais para observar nas plantas cultivadas para concetrados são:

Características dos tricomas: quanto mais fácil os tricomas se desprenderem do material vegetal, menor será a possibilidade de contaminação do seu haxixe. Além disso, quanto maiores forem, melhor para o rendimento!

Cheiro e sabor: os terpenos são os principais responsáveis ​​pelos cheiros e sabores do haxixe, e diferentes combinações podem resultar em um concentrado com mais gás, mais cítrico e até com gostinho de frutas específicas. Normalmente, os mais exóticos estão sempre em demanda.

Características gerais de cultivo: facilidade de cultivo, resistência a indicadores naturais e tempo de maturação são pontos chave!

Efeitos e prazer na hora do consumo: o último, mas definitivamente não menos importante, é a qualidade dos efeitos. Afinal, se a chapadeira não é boa, nenhum dos outros fatores importa tanto, certo?

Foto colorida de copos plásticos vermelhos contendo clones devidamente etiquetados
Clones para a caça do melhor fenótipo: leva tempo, dedicação e muita anotação

Caçar fenótipos leva tempo

A busca pelo fenótipo ideal não é algo que é feito em algumas semanas (bem, a menos que você tenha muita, muita sorte). O processo deve ser repetido por pelo menos alguns ciclos.

Então, se você começou com 15 fenótipos e descartou oito deles após a primeira rodada de floração, você terá sete para a próxima. Pegue alguns clones deles e mantenha esses clones de segunda geração vegetando. Agora, você florescerá a primeira geração de clones.

Cultive esses sete fenótipos, colha-os e tome mais notas. Descarte os indesejados e pegue clones dos de alta qualidade. Você continuará fazendo isso até ficar com apenas um fenótipo: o vencedor da caçada!

E lembre-se: sabemos que pode ser difícil descartar uma planta. Mas, quanto menos você descartar, mais rodadas você terá que passar.

Na maioria das vezes, os produtores passam por pelo menos três rodadas de busca até encontrarem seu “unicórnio”, a gema que desejam propagar, processar e transformar em belas extrações. E, se você quiser calcular o tempo que vai gastar com isso, lembre-se que:

  • Leva cerca de um mês para as sementes germinarem e ficarem grandes o suficiente para você tirar clones;
  • Você precisa de cerca de 8 a 10 semanas até que as plantas estejam cheias de flores grandes e cheirosas;
  • Ainda é necessário contar com alguns dias ou até semanas para colher e finalizar o processo.
Foto colorida de mão segurando um baseado com piteira de vidro. com fundo de flores diversas, e folhas de maconha
Teste, compartilhe os resultados e prove suas flores para seguir aprimorando na caça ao fenótipo perfeito!

Testando seus fenótipos

Depois que todo o trabalho estiver feito, o último passo é testar seu fenótipo. Isso pode ser feito de diferentes maneiras, mas recomendamos buscar a opinião de outros produtores e amigos. Se você puder testar em um laboratório, uma realidade bem menos comum aqui no Brasil, pode ser uma boa opção.

O primeiro ponto é mais para o lado prático das coisas. Deixe que amigos e colegas produtores cultivem as sementes e provem as flores para entender se a variedade é realmente boa. É muito bom ter feedback!

O segundo passo fornecerá todas as informações técnicas necessárias sobre os níveis de terpeno e canabinoides, bem como quaisquer sinalizações sobre contaminação.

E aí, gostou de todas essas informações? Esperamos que possa ajudá-lo a entender mais sobre os processos de busca por fenótipos para fazer haxixe e como você pode fazê-la funcionar a seu favor. É um trabalho árduo, mas compensa quando você vê as qualidades mais bonitas de sua plantinha ganhando vida em extrações.

Para saber mais sobre esse universo, siga a gente lá no Instagram @girlsingreen710.

Até a próxima!

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments