GIRLS IN GREEN

Clonagem é real e a gente pode provar – pelo menos com as nossas plantinhas de cannabis! Venha aprender esse método incrível de propagar suas strains favoritas sem precisar de sementes.

Quando falamos em clones, a gente já começa a pensar em ficção científica – ou até na novela da Globo. Mas a verdade é que existem meios de clonar suas plantas, e não é nada difícil! A clonagem canábica é uma das formas mais baratas de propagar, porque você não precisa de semente para isso, apenas de uma planta viva e saudável.  O que diferencia o clone é que sua identidade genética vai ser igualzinha a da planta-mãe, isto é, é uma estratégia de propagar as plantas que você selecionou, de acordo com as características que mais gosta.

O que são os clones

Aqui no blog, já falamos um pouquinho sobre clones, mas vamos retomar esse conhecimento para você! A clonagem é o principal método de reprodução assexuada das plantas. Enquanto as sementes, que são o método sexuado, são cultivadas para encontrar características fenotípicas (gostos, cheiros, etc) específicas, a clonagem vai proporcionar que você perpetue essas características enquanto aquela planta-mãe estiver viva.

É importante lembrar que, mesmo geneticamente iguais, não é possível garantir essas plantas serão idênticas à mãe durante toda a vida. Isso depende muito do meio de cultivo, e das condições que você dará! Diferentes ambientações, condições climáticas, fontes de energia e nutrição poderão acentuar ou atenuar certas características ao longo do crescimento da sua cannabis.

Pontos importantes para lembrar

Sabendo do que já contamos ali em cima, existem algumas curiosidades que podem ajudar você a encontrar a planta-mãe perfeita para seus clones.

  • Um clone, além da carga genética, carrega a carga emocional de sua planta-mãe. Por isso, é essencial selecionar uma cannabis saudável, bem nutrida e sem problemas ao longo do crescimento, para garantir um clone com as mesmas características.

  • Promover um pheno hunt (caça de fenótipos) é uma ótima forma de selecionar genéticas para que você possa tirar clones depois. Nossa grower Alice está trazendo algumas dessas experiências que estão rolando através do Instagram @girlsingreen710. É mais ou menos assim: primeiro, são germinadas várias/algumas sementes da mesma strain. Na fase de vegetação, tira-se clones com numeração. Depois que essas plantas crescerem e estiverem florindo, você vai poder selecionar os fenótipos que mais te agradam a selecionar os clones das genéticas que você quer manter!

  • Tirar clones é um processo que estressa as plantas. Mas pode ser uma boa ideia unir o momento de clonagem ao de limpeza! Assim, você pode defolhar, selecionar galhos para clonar, e dar tempo para que a planta se recupere sem ser estressada novamente. Lembrando que a poda é mega importante, para que sua cannabis esteja sempre bem ventilada, saudável e sem mofo ou pragas.

Clones de maconha na água
Clones na água

Pontos positivos da clonagem

  • A clonagem reduz o seu gasto com semente, pois você consegue propagar planta sem ter que gastar muito com elas.

  • Ele permite replicar uma variedade genética. Pulando o tempo de germinação, esse processo fica ainda mais rápido. Te salva tempo, trampo e dinheiro!

  • Se você fizer um bom clone, seguindo todos os passos direitinho, em até duas semanas ele já estará enraizado e pronto pra plantar.

Passo a passo

Agora que já sabemos de tudo isso, vamos por a mão na massa?

Você vai precisar de:

  • Uma planta de cannabis bem desenvolvida. O ideal é que o galho que você vá cortar tenha pelo menos dez nós ou galhos;

  • O meio de escolha para colocar o clone. Pode ser água, lã de rocha, turfa, espuma, ou uma bandeja de clonagem;

  • Uma bandeja ou recipiente;

  • Enraizadores. São hormônios de crescimento que ajudam a planta a criar raiz. Pode ser babosa, um meio bem natural, ou hormônios comprados, feitos com auxinas, que são reguladores de crescimento das plantas e têm um papel essencial para a planta se desenvolver. Pode ser utilizado tanto em pó como em forma de Clonex, que é um gel.

  • Luvas;

  • Tesoura limpa.

Instrumentos para clonagem
Instrumentos para clonagem

Passo um: separe suas ferramentas e coloque um pouco de gel em um recipiente limpo. É importante não pegá-lo direto do pote original, pois ele pode ser receptáculo de fungos e bactérias – e precisamos de um ambiente bem limpo para seu clone crescer saudável.

Passo dois: preencha seu recipiente com meia polegada de água. A umidade é peça-chave no desenvolvimento das raízes dos clones e no processo de cura do corte feito.

Passo três: a partir do topo do galho da planta-mãe escolhida, conte quatro galhos ou nodos. No topo do quarto nodo, você deve fazer a sua incisão.

Passo quatro: faça um corte em um ângulo de 45° no topo desse quinto nodo. Não deixe nenhum galho ou caule adicional entre o quinto e sexto nodo, pois ele vai apodrecer e pode se tornar um foco para fungos e pragas. O corte de 45° é ideal para abranger a área de câmbio da planta, floema e xilema, e deixá-la exposta para o enraizador pegar bem.

Passo cinco: segure seu galho delicadamente, e corte os galhos mais de baixo para ter uma área maior para inserir no meio escolhido. Esses cortes devem ser feitos da mesma maneira que explicamos acima, de forma bem limpa. Isso vai promover também o crescimento vertical do seu clone.

Passo seis: pegue o seu potinho com o gel enraizador escolhido e mergulhe o corte de 45° na substância. Certifique-se de que esse gel pegou em toda a área do corte, e mais um pedacinho adicional de cerca de ¼ de polegada.

Passo sete: coloque seu clone no meio escolhido, de ⅔ a 4/3 de profundidade. Isso garante que seu corte não vai perder todo o enraizador, e nem vai ficar tão superficial que possa secar.

Repita o processo com outros galhos desejados!

Processo de clonagem da maconha: mãos manipulando um clone e um estilete
Todo cuidado é pouco com os clones, eles são sensíveis e estressam com facilidade

Cuidados com os clones

Durante o tempo de enraizamento, que pode levar de uma a duas semanas, existem condições climáticas específicas que irão ajudá-lo a se recuperar e crescer mais rápido. Baixas temperaturas aumentam o tempo de enraizamento e falta de circulação de ar contribui para o surgimento de mofo. 

Por isso, depois de coletados, seus clones precisam ficar numa temperatura constante e amena – zona de raízes e ambiente idealmente nos 24°C (75F). Seus clones também vão depender bastante da umidade, e vão sugá-la até mesmo do ar. Certifique-se de que eles estão em um ambiente com 80-85% de umidade relativa no ar nos primeiros dias.

É importante que você não os alimente enquanto as raízes não estiverem bem fortes. As soluções de nutrientes geralmente são fortes, e podem lesionar a área que está se recuperando, cheia de sensibilidade. Assim que as raízes estiverem aparentes, você pode alimentá-los por um ciclo com uma solução com metade dos nutrientes que você geralmente usa. No próximo ciclo, você já pode nutri-las normalmente.

Fazer clones pode ser uma forma muito interessante de propagar suas plantas favoritas, mantendo um padrão fenotípico desejável para você. Além disso, esse processo ainda possibilita que você tenha plantas em ciclos diferentes: se você tem uma planta no início da flora, você pode tirar um clone para ter uma na vega e fazer um ciclo fechado – aí, você nunca fica sem colheita se tiver espaço!

Mas tome um cuidado importante: a poda e a clonagem são processos estressores, como já comentamos, então não devem ser feitos em estágios mais avançados da flora. Faça antes de colocar suas plantas para florir, ou logo no início da floração. Se elas já estiverem em plena produção de buds, espere um próximo ciclo. Você não quer que a plantinha tire a energia do crescimento de flores para se curar, né? Ela pode não resistir.

E aí gente, curtiram esse post? Pois a gente adorou fazer ele pra vocês. Lembrando sempre que, quem tiver mais dicas ou dúvidas sobre a clonagem, é só deixar aqui nos comentários pra gente!

Até a próxima, com mais conteúdo sobre cultivo seguro e saudável!

guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Amanda Saito
Amanda Saito
1 ano atrás

Se eu escolher a babosa como o enraizador eu misturo o "gel" da babosa na água?

grow_content
grow_content
3 meses atrás
Reply to  Amanda Saito

Você vai utilizar o gel da babosa direto no corte, como no clonex, não se dilui o gel.