Outras Drogas

O que é sinestesia?

Quando falamos sobre o uso de psicodélicos, a sinestesia pode ser um dos principais efeitos associados. Mas do que ela consiste? A gente explica!

Você já teve a sensação de estar ouvindo em cores, ou experimentando sons na ponta da sua língua? Então talvez você já tenha experienciado o que a ciência chama de sinestesia — que pode ser um sintoma (quando acompanhado do uso de algumas substâncias) ou até mesmo um distúrbio neurológico, quando persiste na rotina do indivíduo mesmo sem a utilização de drogas.

A sinestesia é uma condição neurológica na qual a informação destinada a estimular um dos seus sentidos estimula vários. A partir dela, você pode “ver” música como cores e “saborear” texturas como “redondo” ou “pontudo” quando come alimentos, por exemplo. Mas ela envolve todos os seus sentidos, sensações e percepções, e até hoje os cientistas não entendem exatamente o motivo pelo qual ela se manifesta.

Como a gente adora psicodélicos, também curtimos explorar e estudar seus efeitos nos seres humanos. E, com toda certeza, a sinestesia é um dos mais misteriosos e fascinantes de todos eles.

Hoje, vamos contar um pouquinho mais sobre a sinestesia e o que descobrimos sobre este fenômeno neurológico para vocês. Vem com a gente!

A sinestesia é comum como sintoma ou efeito do uso de psicodélicos.
A sinestesia é comum como sintoma ou efeito do uso de psicodélicos. Fonte: reddigita

O que é sinestesia?

A sinestesia é uma condição neurológica na qual a informação destinada a estimular um de seus sentidos estimula vários de seus sentidos. Esse termo vem do grego e significa “perceber junto”. 

O fenômeno aparece de muitas formas diferentes. Alguns indivíduos com sinestesia ouvem, cheiram, provam ou sentem a dor em cores. Outros experimentam formas, e outros ainda percebem dígitos escritos, letras e palavras em cores. Alguns, que possuem o que os pesquisadores chamam de “sinestesia conceitual”, veem conceitos abstratos, como unidades de tempo ou operações matemáticas, como formas projetadas internamente ou no espaço ao seu redor. E muitos experimentam mais de uma forma da condição.

Pesquisadores ainda não têm certeza sobre o quão comum é a sinestesia. Um estudo de 2006 propôs que ocorre entre 2 a 4% da população mundial – pelo menos como patologia.

Mas a condição não é bem conhecida, em parte porque muitos sinestetas preferem nem falar de sua habilidade incomum. Frequentemente, as pessoas com sinestesia afirmam que ficaram em silêncio sobre sua condição depois de serem ridicularizadas na infância por descreverem conexões sensoriais que não haviam percebido que eram atípicas.

Isso já muda um pouquinho de figura quando estamos falando sobre a sinestesia como sintoma ou efeito do uso de psicodélicos — já que ela fica bem mais comum!

O que a ciência diz sobre a sinestesia?

Para os cientistas, a sinestesia apresenta um problema intrigante. Estudos afirmam que o fenômeno é biológico, automático e aparentemente não aprendido, distinto tanto da alucinação quanto da metáfora. Além disso, a condição parece ser mais comum entre as mulheres do que entre os homens. Mas até recentemente, os pesquisadores só podiam especular sobre as causas da sinestesia.

Agora, no entanto, as modernas ferramentas comportamentais, de imagem cerebral e genética molecular são uma promessa empolgante para descobrir os mecanismos que impulsionam a sinestesia — e, esperam os pesquisadores, para uma melhor compreensão de como o cérebro normalmente organiza a percepção e a cognição.

Pesquisas sugerem que cerca de uma em cada 2.000 pessoas convivem com a sinestesia, e alguns especialistas suspeitam que até uma em cada 300 pessoas tenha alguma variação da condição. Famosos como Kanye West, Pharrell Williams e até a Lorde possuem essa condição.

Cientistas acreditam que a forma mais comum de sinestesia é a audição colorida: sons, música ou vozes vistas como cores. A maioria dos indivíduos relata que vê esses sons internamente, “nos olhos da mente”. Apenas uma minoria tem visões como se projetadas fora do corpo, geralmente ao alcance do braço.

Algumas pessoas que possuem a condição relatam experimentar sobrecarga sensorial, ficando exaustos com tanto estímulo. Mas geralmente a condição não é um problema — de fato, a maioria dos sinestetas valoriza o que eles consideram como um sentido extra.

Foto colorida de uma mulher branca, de cabelos longos e castanhos, colocando um brócolis violeta na boca. Sua língua está multicolorida
Algumas substâncias podem fazer com que você experimente sinestesia temporariamente Photo illustration by Daniel M.N. Turner/NPR

Quais são as substâncias que podem provocá-la?

Além da condição neurológica permanente, algumas substâncias podem fazer com que você experimente sinestesia temporariamente. O uso de drogas psicodélicas pode aumentar e conectar suas experiências sensoriais ao abrir as suas “portas da percepção”. 

Como saber se eu tenho sinestesia?

Primeiro, é preciso entender que existem vários tipos de sinestesia, todos com sintomas diferentes. A sinestesia grafema-cor, por exemplo, que conecta letras e dias da semana com cores, pode ser a mais conhecida. Mas também há sinestesia de som para cor, sinestesia de forma numérica e muitas outras. Você pode ter apenas um tipo de sinestesia ou uma combinação de alguns tipos.

As pessoas que têm qualquer tipo de sinestesia tendem a ter estes sintomas comuns:

  • Percepções involuntárias que transitam entre os sentidos (provar formas, ouvir cores, etc);
  • Gatilhos sensoriais que causam interação consistente e previsível entre os sentidos (por exemplo, toda vez que você vê a letra D, você a vê em verde);
  • Capacidade de descrever suas percepções incomuns para outras pessoas.

Se você tem sinestesia, é mais provável que seja canhoto e tenha um forte interesse por artes visuais ou música. Como já mencionamos, também parece que a sinestesia é mais comum em mulheres do que em homens.

“Como saber se tenho ou se estou experienciando sinestesia?” Você pode fazer algumas perguntas para si mesmo para iniciar o processo de diagnóstico, se acredita ter a condição:

Quando você visualiza alguma letra, sua mente atribui uma cor a ela? Percorra todo o alfabeto, visualizando cada letra. Repita o exercício uma ou duas horas depois. As letras parecem ser basicamente da mesma cor toda vez que você as visualiza? Se sim, você pode ter sinestesia.

Coloque uma música clássica e feche os olhos, relaxe e veja o que entra em seu campo de visão. Qual é a cor da música? Os instrumentos parecem ter uma cor diferente? Se sim, pode ser sinestesia.

Mulher com o olho em evidência e números
Não existe um tratamento para a sinestesia quando ela se manifesta como distúrbio, mas muitas pessoas parecem gostar de perceber o mundo de uma maneira diferente!  Fonte: livescience

Existe um tratamento para isso?

Embora a sinestesia induzida por substâncias tenha uma duração limitada, não existe um tratamento para a sinestesia quando ela se manifesta como distúrbio. Curiosamente, muitas pessoas parecem gostar de perceber o mundo de uma maneira diferente da população em geral!

Por outro lado, alguns indivíduos sentem que sua condição os isola dos outros. Eles podem ter problemas para explicar suas experiências sensoriais porque são muito diferentes. Encontrar comunidades de outros sinestetas online pode ajudar a aliviar esse sentimento de solidão.

Falar com um profissional de saúde mental também pode ajudá-lo a ver o valor que a sinestesia pode agregar à sua vida. Em vez de ter um lado dominante do seu cérebro, você pode descobrir que ambos os lados do seu cérebro se harmonizam bem enquanto você realiza um trabalho pelo qual é apaixonado. E isso é incrível!

E aí, gostou de saber mais sobre essa mistura de sentidos? Esperamos que você tenha achado a sinestesia tão fascinante quanto a gente, e consiga observá-la na próxima vez que partir em uma jornada psicodélica.

Para saber mais sobre maconha, psicodélicos, Redução de Danos, haxixe, e muito mais, não esqueça de seguir nosso Instagram @girlsingreen710.

Até a próxima!

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments