GIRLS IN GREEN

Aqui no Brasil, a maior parte da cannabis consumida vem na forma do famoso prensado. Mas por que ele chega para nós assim e quais são os seus problemas? A gente te conta tudo isso!

Quem nunca teve que bolar um beck com aquele prensado marrom, meio fedorento e esquisito, que atire a primeira pedra. A verdade é que, para grande parte dos brasileiros que consomem cannabis, esse é o único jeito, ou pelo menos o mais barato, de encontrar a erva. Mas por que ela chega aqui assim, numa qualidade tão baixa, e vemos tantos relatos de gente que encontra até insetos no meio dele?

O prensado que conhecemos é mais um fruto do proibicionismo, que dificulta nosso acesso à cannabis de qualidade e faz com que a demanda seja suprida por meio de contrabando. 

Quer saber mais sobre ele e sobre os motivos pelos quais sua qualidade deixa tanto a desejar? A gente te conta tudo isso aqui! Vem com a gente descobrir o que é o prensado e de onde ele vem.

O que é o prensado

O prensado é maconha sim – mas suas principais diferenças estão nos processos de colheita, manuseio, armazenagem e transporte, feitos, normalmente, sem o mínimo controle de higiene e qualidade. Aqui no blog, a gente teve uma série inteira sobre o cultivo da cannabis e como ele é feito idealmente. Quando falamos do prensado, pouco – ou nada – do que é feito em plantações legais é respeitado.

A verdade é que a maconha prensada que temos aqui no Brasil normalmente vem de plantações ilegais no Paraguai. Como conta a Agência Publica, tudo é feito de maneira rudimentar. As plantas são colhidas sem muitos critérios, faça sol ou chuva, com galhos, sementes, folhas e tudo o que estiver junto. Depois, podem passar dias em sacas mal armazenadas, esperando pela prensagem. Enquanto aguardam, ficam expostas à intempéries e a insetos – como vespas, moscas e baratas. É por isso que tanta gente costuma encontrá-las na hora de preparar o baseado.

Toda essa exposição também é responsável pela proliferação de fungos e bactérias. Quando a cannabis não seca tão bem, ela pode mofar e até entrar em processo de decomposição. Por isso é tão comum que alguns prensados tenham cheiro de amônia – substância produzida pela planta em putrefação, isso é, depois que a planta estraga.

Mão segurando um pedaço de maconha prensada
Prensado

Mas por quê a maconha é prensada?

Como citamos ali no início do texto, a cannabis é prensada principalmente por causa das dificuldades do proibicionismo e da Guerra às Drogas. Por causa dela, é necessário ter muito mais discrição na hora de armazenar e transportar a erva. Em blocos prensados, todos esses processos se tornam mais simples. Infelizmente, eles também são responsáveis pela falta de qualidade do que chega ao consumidor final.

A prensa diminui o volume e permite o transporte de maiores quantidades, facilitando a logística. No entanto, existem operações que mantêm a cannabis prensada enterrada por até um ano, por questões de segurança. Nesse tempo, a umidade acelera ainda mais seu processo de decomposição.

Como não temos controle da qualidade, grande parte das propriedades mais terapêuticas da cannabis são perdidas, e o que resta é algo que pode prejudicar nossa saúde.

Resumindo: quais os principais problemas do prensado

  • Colheita da cannabis no momento errado, sem os procedimentos adequados;

  • O processo de secagem é ignorado ou nem é feito;

  • As plantas não são selecionadas, o que nos leva a não saber suas quantidades de canabinoides;

  • Armazenagem e transporte feitos de forma inadequada até chegar no consumidor;

  • A erva é prensada com todas as suas partes, e não somente a flor, que é o que deve ser fumado;

  • Tempo e local de armazenagem inadequados, levando a sua deterioração.

Como usar o prensado de uma forma mais segura

Agora que você sabe como o prensado é feito, deve estar se perguntando: “como eu deixo isso mais fumável?” ou mesmo como ser mais seguro de ser consumido – afinal, a realidade das flores está distante de muitas pessoas. O ideal é ter em mente de que nem tudo serão flores (literalmente), e partir para as estratégias de redução de danos.

  • Primeiro, lave o seu prensado

Uma das primeiras coisas que você deve fazer é lavar sua cannabis prensada. Isso vai ajudar você a se livrar de grande parte das impurezas presentes nele, e, fazendo uma secagem correta, também vai ajudar você a reduzir a probabilidade de mofo e fungos na sua erva.

Aqui, nós explicamos exatamente como fazer esse processo. Ele não demora, e pode ajudar bastante!

Alerta: lave o seu prensado utilizando as técnicas adequadas, se você não secá-lo direito, poderá ser um espaço para a proliferação de mofo.

  • Quando for fumar, use piteiras

As piteiras ajudam a diminuir os efeitos negativos da combustão, que são os principais causadores de doenças pulmonares, na boca e na garganta. Elas ajudam você diminuindo a temperatura da fumaça – por isso, quanto mais longas, melhor.

  • Não fume beck de pontas

Se o prensado já não é lá flor que se cheire, imagine fumá-lo com todas as partículas de combustão de queimas anteriores? Não precisamos nem falar mais nada, né. Mande a ponta pra Jah. Melhor jogar fora.

  • Armazene seu prensado de forma correta

Depois de lavado e seco, o seu prensado deve ser armazenado em um local escuro, livre de umidade. Assim, os canabinoides presentes são mais preservados e você não precise se preocupar com mofo. Inclusive, se você notar que seu prensado está mofado, não consuma! Os fungos podem trazer inúmeras doenças, e algumas podem ser fatais.

Mão segurando um pedaço de maconha prensada
Prensado

O autocultivo como forma de cuidado

Sim, você pode plantar sementes de prensado. Inclusive, elas podem te ajudar a não precisar mais consumir esse tipo de erva!

O autocultivo não é um processo muito fácil, mas se você está em busca de uma cannabis mais terapêutica, é a forma mais barata e sustentável de consegui-la. Aqui no site, fizemos um guia com tudo o que você precisa saber para dar origem a sua própria plantinha, e você pode seguir todos esses passos com as famosas prenseeds:

Sabemos que, por causa do proibicionismo, essa não é uma saída segura para muita gente. Plantar cannabis, aqui no Brasil, ainda pode fazer com que você seja preso. Se, mesmo assim, você quiser tentar, pode conferir nossa entrevista com as manas incríveis da Rede Reforma, mulheres especializadas nos direitos dos usuários e na Lei de Drogas atual.

Outra forma de garantir uma cannabis mais saudável é lutar contra nossa legislação atual, que não especifica diferenças entre usuário e traficante, e que nos deixa à mercê do testemunho de agentes da lei. Por causa dela, muita gente acaba sendo presa por portar pequenas quantidades da erva – o que já tornou a nossa população carcerária a terceira maior do mundo. Hoje, um em cada três presos responde por tráfico – muitos sem conseguir provar que são apenas usuários.

E aí, gostou de saber disso tudo? Agora, você já sabe quais os cuidados você precisa ter para tornar o seu prensado um pouco menos danoso. Se tiver alguma dúvida ou comentário, é só falar com a gente!

guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
julie
julie
29 dias atrás

maneiro, li o artigo todo chapada e parece que saí com uma sabedoria enorme, massa massa

giovane
giovane
27 dias atrás
Reply to  julie

kakakakakaka