GIRLS IN GREEN

A cura através dos aromas está longe de ser bobagem, e a ciência avança cada vez mais em pesquisas sobre os efeitos dos terpenos presentes em óleos essenciais. Mas e na cannabis? Vem descobrir!

Você já deve ter ouvido falar nos terpenos, seja pela cannabis ou pelos cada vez mais usados óleos essenciais das mais diversas plantas. A verdade é que, aqui mesmo, a gente já cantou a letra: eles são a revolução e fazem toda a diferença no efeito que cada genética da erva traz para o nosso corpo. Cada cheirinho diferente – desde o terroso, mais rico, aos leves aromas cítricos frutados – é responsável por uma propriedade, que interage com os outros canabinoides e entrega uma sensação única.

Ainda existem muitos mistérios cercando os efeitos da cannabis no nosso organismo, e, a cada pesquisa, mais fatos fascinantes são descobertos. Enquanto muitos pensavam que o THC era o principal elemento da planta, os terpenos estavam por lá, fazendo seu trabalho sem levar nada da fama. Hoje, sabemos que cada substância tem a sua importância e traz uma personalidade única a cada bud – e a diferenciação Indica X Sativa perde um pouco o seu sentido, pois existem milhares de outros fatores por trás da erva.

Quer descobrir ainda mais sobre os terpenos, suas propriedades e o que as pesquisas têm nos mostrado? Venha com a gente!

Flor de maconha em fundo cinza
Flor de maconha cheio de tricomas

Por trás do conceito

Antes de ir mais fundo no assunto, é importante retomarmos uma questão importante: afinal, o que são os terpenos? A gente já falou sobre eles aqui no blog, mas é interessante retomarmos seu conceito. Terpenos são hidrocarbonetos orgânicos aromáticos encontrados em plantas e insetos, usados como repelente natural de predadores, e também como uma maneira de atrair polinizadores úteis.

Cada planta terá um perfil de terpenos diferente, que varia devido às concentrações e também a fatores determinantes como clima, umidade, qualidade do solo e outros.

Além dos terpenos, temos também os terpenoides. Eles nada mais são além de terpenos que foram modificados quimicamente através de um processo de secagem e cura, alterando a quantidade de oxigênio do composto.

Terpenos são o que você encontrará com a planta quando “molhada”, enquanto terpenoides são os óleos essenciais que você encontrará na planta quando seca e curada. 

O efeito terapêutico dos aromas

Os terpenos e terpenoides são todos componentes de aroma e fragrância comuns às dietas humanas, e foram reconhecidos como seguros pela US Food and Drug Administration e outras agências regulatórias. As substâncias são bastante potentes e afetam o comportamento animal e até mesmo humano quando inalados do ar ambiente. É essa mudança comportamental que é explorada pela aromaterapia, por exemplo. Mesmo presente em quase todas as antigas civilizações, que faziam uso de óleos, incensos e perfumes, seja na cosmética ou em rituais e sessões de cura espiritual, sua estruturação medicinal só aconteceu no século XX.

  • Com o tempo, descobriu-se que esses compostos possuem efeito antiviral, antisséptico, bactericida e anti-inflamatório. Eles também atuam no processo de desintoxicação do fígado e estimulam as funções glandulares. Além disso, os terpenos aumentam a quantidade de oxigênio das glândulas endócrinas hipófise e pineal, localizadas no cérebro, e interferem na liberação de monoaminas, como dopamina e serotonina.

Quer exemplos?

Os terpenos encontrados no alecrim têm alta capacidade antioxidante, propriedades bactericidas contras as bactérias Streptococcus pyogenes, Staphilococcus aureus, Streptococcus faecalis, Shigella flexineri, Salmonella typhi e propriedades antidepressivas semelhantes às da fluoxetina.

Já o limoneno, um dos terpenos produzidos pelos vegetais cítricos, apresenta atividade química contra as bactérias Escherichia coli, sakazakii Cronobacter e Listeria monocytogenes, efeitos preventivos ao câncer de mama, é antifúngico contra espécies de Candida e inseticida.

E como eles agem na cannabis?

Que eles mudam o cheiro e o gosto da planta, a gente já sabe. Mas como isso pode nos afetar? Segundo a ciência, de muitas formas: quando combinados com canabinoides, os terpenos sinergizam no sistema endocanabinoide humano – que conta com receptores em todo o nosso corpo, inclusive no sistema nervoso central, que regulam atividades químicas cerebrais responsáveis pela dor, pelo bem-estar, pelo sono, pela fome e por inúmeras sensações.

Essa sinergia é o ainda pouco conhecido efeito entourage. Enquanto muita gente lembra dele pra explicar como os canabinoides (principalmente CBD e THC agem juntos no nosso organismo, um minimizando os lados mais negativos do outro, muitos se esquecem de que sim – ele também se aplica aos terpenos!

Eles exibem efeitos terapêuticos únicos que podem contribuir significativamente para os efeitos sinérgicos dos extratos medicinais à base de cannabis. Existem interações fitocanabinoides-terpenoides que poderiam produzir sinergia com relação ao tratamento da dor, inflamação, depressão, ansiedade, dependência, epilepsia, câncer, infecções fúngicas e bacterianas. São muitas propriedades a serem exploradas, e a ciência já está de olho nisso.

O que já foi descoberto:

Principais terpenos na cannabis

A cada dia que passa, mais terpenos e terpenoides são descobertos na nossa plantinha incrível. Dos mais comuns aos raríssimos, a conta já ultrapassa os 150 terpenos conhecidos registrados na cannabis. Seus efeitos também vão sendo investigados, e, embora a gente já tenha algumas pesquisas bem interessantes, existem territórios praticamente inexplorados na atualidade.

Aqui, a gente mostra pra você alguns dos principais terpenos presentes na cannabis, em quais strains encontrá-los, e quais são seus efeitos conhecidos até o momento:



A gente acha incrível descobrir, cada vez mais, que existe muito além do THC e do CBD nas folhas e flores da cannabis. Esperamos que você curta aprender tudo isso com a gente – porque a gente adora falar sobre essa planta com todos vocês! E aí, tem algum terpeno favorito? Conta pra gente aqui nos comentários.

guest
8 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
giovanarsl@hotmail.com
1 ano atrás

Que conteúdo incrível, vc são o melhor portal de cannabis brasileiro que conheço <3 Espero chegar nesse nível de conhecimento aos poucos. Eu já adorava aroma de óleo essencial de lavanda, quando descobri (isso não nesse post, e sim no curso de cannabis medicinal do MovReCam) que ela era um terpeno da erva, fez muito sentido pra mim! Ah, e interessante: as próprias lavandas diferem https://site.oatibaiense.com.br/2020/10/diferenca-entre-lavanda-francesa-e-lavanda-brasileira/

Gracias pelo post!!! <3

carrosbravos2000@yahoo.com.br
10 meses atrás

Meu caso é tranquilo, no dia 07 de janeiro de 94 fiz uma "suposta" cirurgia na coluna, no dia 27 de janeiro de 94, ou seja, 20 dias depois estava operando novamente e de lá para cá foram 7 cirurgias e uma artrodese com 6 parafusos. Tenho dores crônicas à mais de vinte anos, me tornei "MACONHEIRO" com 50 anos e não troco meu cbd + thc e para uma potencialização uso skank fumado, fumo até não sentir mais dores e isso leva uns 3 a 4 "tapas", Mas, minha história é mais complicada, antes de conhecer a canabis medicinal o único medicamento que passava a dór era a tal da morfina ou heroina ou…..morte, foi salvo pela canabis. Namastê.

giovanarsl@hotmail.com
1 ano atrás

Que conteúdo incrível, vc são o melhor portal de cannabis brasileiro que conheço <3 Espero chegar nesse nível de conhecimento aos poucos. Eu já adorava aroma de óleo essencial de lavanda, quando descobri (isso não nesse post, e sim no curso de cannabis medicinal do MovReCam) que ela era um terpeno da erva, fez muito sentido pra mim! Ah, e interessante: as próprias lavandas diferem https://site.oatibaiense.com.br/2020/10/diferenca-entre-lavanda-francesa-e-lavanda-brasileira/

Gracias pelo post!!! <3

carrosbravos2000@yahoo.com.br
10 meses atrás

Meu caso é tranquilo, no dia 07 de janeiro de 94 fiz uma "suposta" cirurgia na coluna, no dia 27 de janeiro de 94, ou seja, 20 dias depois estava operando novamente e de lá para cá foram 7 cirurgias e uma artrodese com 6 parafusos. Tenho dores crônicas à mais de vinte anos, me tornei "MACONHEIRO" com 50 anos e não troco meu cbd + thc e para uma potencialização uso skank fumado, fumo até não sentir mais dores e isso leva uns 3 a 4 "tapas", Mas, minha história é mais complicada, antes de conhecer a canabis medicinal o único medicamento que passava a dór era a tal da morfina ou heroina ou…..morte, foi salvo pela canabis. Namastê.

giovanarsl@hotmail.com
1 ano atrás

Que conteúdo incrível, vc são o melhor portal de cannabis brasileiro que conheço <3 Espero chegar nesse nível de conhecimento aos poucos. Eu já adorava aroma de óleo essencial de lavanda, quando descobri (isso não nesse post, e sim no curso de cannabis medicinal do MovReCam) que ela era um terpeno da erva, fez muito sentido pra mim! Ah, e interessante: as próprias lavandas diferem https://site.oatibaiense.com.br/2020/10/diferenca-entre-lavanda-francesa-e-lavanda-brasileira/

Gracias pelo post!!! <3

carrosbravos2000@yahoo.com.br
10 meses atrás

Meu caso é tranquilo, no dia 07 de janeiro de 94 fiz uma "suposta" cirurgia na coluna, no dia 27 de janeiro de 94, ou seja, 20 dias depois estava operando novamente e de lá para cá foram 7 cirurgias e uma artrodese com 6 parafusos. Tenho dores crônicas à mais de vinte anos, me tornei "MACONHEIRO" com 50 anos e não troco meu cbd + thc e para uma potencialização uso skank fumado, fumo até não sentir mais dores e isso leva uns 3 a 4 "tapas", Mas, minha história é mais complicada, antes de conhecer a canabis medicinal o único medicamento que passava a dór era a tal da morfina ou heroina ou…..morte, foi salvo pela canabis. Namastê.

Giovana
Giovana
1 ano atrás

Que conteúdo incrível, vc são o melhor portal de cannabis brasileiro que conheço <3 Espero chegar nesse nível de conhecimento aos poucos. Eu já adorava aroma de óleo essencial de lavanda, quando descobri (isso não nesse post, e sim no curso de cannabis medicinal do MovReCam) que ela era um terpeno da erva, fez muito sentido pra mim! Ah, e interessante: as próprias lavandas diferem https://site.oatibaiense.com.br/2020/10/diferenca-entre-lavanda-francesa-e-lavanda-brasileira/

Gracias pelo post!!! <3

Mario Abreu
Mario Abreu
10 meses atrás

Meu caso é tranquilo, no dia 07 de janeiro de 94 fiz uma "suposta" cirurgia na coluna, no dia 27 de janeiro de 94, ou seja, 20 dias depois estava operando novamente e de lá para cá foram 7 cirurgias e uma artrodese com 6 parafusos. Tenho dores crônicas à mais de vinte anos, me tornei "MACONHEIRO" com 50 anos e não troco meu cbd + thc e para uma potencialização uso skank fumado, fumo até não sentir mais dores e isso leva uns 3 a 4 "tapas", Mas, minha história é mais complicada, antes de conhecer a canabis medicinal o único medicamento que passava a dór era a tal da morfina ou heroina ou…..morte, foi salvo pela canabis. Namastê.