Estudos

Mulheres, sexo e maconha

Fizemos uma matéria completa para você conhecer todas as formas que o uso de cannabis influencia na sexualidade feminina, em todas as fases da vida!

Sexualidade feminina e cannabis

Cannabis e o corpo da mulher*: dois assuntos tão naturais que a sociedade tornou tabu. Talvez seja justamente por isso que eles se unem e se complementam tanto – e não é de hoje que é assim. Existem evidências que ligam o uso da cannabis não apenas ao lado medicinal da biologia feminina, mas também do lado erótico e afrodisíaco, desde a antiguidade. Infelizmente, toda essa relação mágica acabou por ser barrada em meados da Idade Média, quando mulheres passaram a ser queimadas, acusadas de bruxaria, muitas vezes por usar unguentos e remédios preparados com a erva.

Felizmente, conforme avançamos nos debates sobre a legalização e regulamentação da cannabis, as pesquisas voltam a tomar força. Nelas, vemos muitos avanços que nos mostram o que nossas sábias ancestrais já entendiam: além de aliviar dores e desconfortos pélvicos, a cannabis pode ser uma chave para o autoconhecimento feminino – e para orgasmos até duas vezes mais satisfatórios. Não é a toa que maior parte dos compostos terapêuticos da cannabis se encontram na planta fêmea, ao mesmo tempo que as mulheres têm essa conexão tão íntima e intensa com essa planta.

Quer saber mais sobre essa relação incrível entre sexualidade e maconha? Transar chapado é uma delícia, mas se informar antes é melhor ainda!

Nesse post, você pode conhecer ainda mais sobre o assunto!

*Esse texto é um apanhado de informações sobre a experiência de mulheres cis com a cannabis, mas o corpo feminino também é um corpo de mulher trans. Entretanto, é importante dizer que não existem estudos que olhem pra sexualidade de pessoas trans relacionadas a este tema até o momento.

Alice arrumando o cabelo em meio a uma plantação de maconha
Mulher e maconha

Um pouquinho de história

Os primeiros usos ginecológicos da cannabis datam de quatro mil anos atrás, nas regiões do Egito e da Mesopotâmia. Manuscritos mostram diversos tipos de preparação com a erva para as mais variadas causas: desde partos difíceis até outras doenças e dores. Textos posteriores, da Ásia e da África, detalham inúmeras receitas contendo sementes, flores, caules e extratos usados para a saúde feminina.

Talvez por causa da sua eficácia, seu uso para esses fins se espalhou, chegando na Europa, na Idade Média, e mais tarde nas Américas. Antes da onda proibicionista do século XX, médicos em todo o mundo prescreviam cannabis, frequentemente em combinação com outras ervas, para uma ampla gama de condições ginecológicas. Textos médicos de arquivos do século XIX descrevem diferentes formulações de maconha utilizados para:

Duas mulheres fumando no chillum
Mulheres incríveis fumando no chillum

  • Usos afrodisíacos;

  • Cólicas menstruais dolorosas;

  • Sangramento intenso;

  • Dor ao urinar;

  • Tensão pré-menstrual;

  • Dor durante o sexo;

  • Náusea durante a gravidez;

  • Menopausa;

  • Gonorreia;

  • Hemorragia pós-parto;

  • Parto difícil.

Voltando para a atualidade

Embora esses remédios encontrados em arquivos antigos não estejam nos padrões modernos, muitas pesquisas atuais já mostram o quanto é eficaz o uso de componentes canábicos na medicina ginecológica. Inclusive, eles podem ter menos efeitos colaterais e um valor bem mais acessível.

Esse alívio provocado pela cannabis pode ser muito explicado pelo recentemente descoberto sistema endocanabinóide. Ele pode ter um papel essencial para explicar o equilíbrio (e desequilíbrio) do corpo, e os canabinóides como CBD e THC podem ser chaves para ajudar a mantê-lo. Eles funcionam tão bem no ser humano porque nosso organismo está repleto de receptores para canabinóides. Mas como eles podem ajudar as questões ginecológicas?

Alice segurando caixinha com dois baseados em frente a outra mulher com adesivo colado na blusa, escrito a frase: Meu corpo, minhas regras
Meu corpo, minhas regras

Segundo pesquisas, os receptores endocanabinóides são comuns no sistema reprodutivo feminino. Eles são mais numerosos no útero, mas também são encontrados nas trompas de falópio, ovários, vagina e vulva. Em um nível microscópico, os receptores endocanabinóides estão localizados onde podem exercer um tipo controle. Por isso, eles estão diretamente associados a:

  • nervos onde são mediadas as sensações;

  • células imunes que controlam a inflamação;

  • glândulas que influenciam a secreção hormonal;

  • músculos, onde eles facilitam o uso de energia.

No geral, o sistema endocanabinóide é totalmente integrado ao trato reprodutivo e tem um papel fundamental em todo o processo reprodutivo. Além disso, esse sistema também influencia os prazeres – e as dores – que o trato reprodutivo proporciona na nossa rotina.

Então, como os canabinóides podem ajudar a mulher?

Existem muitas respostas pra essa simples pergunta!

Uma das principais é: o CBD age na mesma enzima que o ibuprofeno – diminuindo a produção de prostaglandinas inflamatórias do corpo que estimulam cólicas dolorosas – e, junto com o THC, eles reduzem a intensidade das cólicas e a capacidade de sentir os sinais de dor.

Para ajudar em questões mais específicas, vamos fazer uma pequena linha do tempo para mostrar qual o papel da cannabis em casa fase do desenvolvimento feminino. Vamos lá?

Dois dedos penetrando uma metade de laranja
Cannabis e sexualidade

Juventude: descobertas e começos

A partir da puberdade, a sexualidade desperta com muitas primeiras vezes. Primeira menstruação, primeira masturbação, primeiro orgasmo… Sabemos que o uso da cannabis não é recomendado até os 21 anos, por poder ter certa influência na formação do nosso cérebro. Mas, antes disso, o cannabidiol pode ser incrível para quem sofre de dores crônicas causadas pela menstruação. Embora não tenha efeitos curativos, ele pode diminuir até 30% as escalas de dor. Outros efeitos relatados são diminuição de dor, aumento da tolerância à dor e a melhora da qualidade de vida.

Mais tarde, a cannabis pode ser uma ferramenta incrível para descobrir o próprio corpo. São diversas as pesquisas que mostram que o sexo sob efeito de maconha é muito melhor e mais prazeroso do que sob o efeito do álcool, por exemplo. Esses efeitos não são obtidos apenas através do ato de fumar: eles podem vir do uso de comestíveis canábicos, da vaporização, de lubrificantes e outros produtos (mais comuns nos países onde a cannabis é legalizada, como os EUA e o Canadá). Seja em conjunto ou solo: os canabinóides aumentam em até duas vezes a chance de alcançar um orgasmo, e eles se mostram ainda mais intensos!

A maconha vem sendo utilizada até mesmo com finalidades terapêuticas na área, como a superação de traumas e agressões sexuais.

Usos: alívio de dores menstruais e sintomas da TPM, alívio para quem é diagnosticada com distúrbios ginecológicos, como endometriose, potencializador da sexualidade feminina, tratamento contra ansiedade e transtorno pós-traumático.

Idade adulta e fase reprodutiva

Os níveis de endocanabinóides diminuem após a ovulação, e os cientistas descobriram recentemente que baixos níveis de endocanabinóides se correlacionam com gestações tranquilas. Da mesma forma, vários estudos recentes sugerem que os usuários habituais de cannabis têm menor fertilidade (provavelmente porque altos níveis circulantes de THC podem sobrecarregar a tentativa do corpo de diminuir os níveis de canabinóides após a ovulação). Além disso, para os homens, a cannabis pode baixar a contagem de espermatozóides.

Já durante a gravidez, os níveis de endocanabinóides permanecem baixos até o parto, momento em que os níveis de anandamida – o endocanabinóide de “bem-aventurança” – quadruplicam. Essa evidência sugere que os endocanabinóides são importantes para as contrações uterinas. De fato, outro estudo constatou que níveis mais altos de anandamida durante o trabalho de parto estão relacionados a rapidez no nascimento (como já indicavam registros históricos).

Apesar de toda essa pesquisa sugestiva, se você estiver grávida ou tentando engravidar, recomendamos que você consulte e siga as recomendações do seu médico de confiança!

Usos: facilitador do parto, analgésico contra dores e desconfortos da gravidez.

Perto da terceira idade

Ao envelhecermos, nosso corpo vai deixando de produzir estrogênio e progesterona, o que induz a menopausa. Além de deixarmos de menstruar regularmente, esse processo pode trazer vários sintomas: dores de cabeça, os famosos “calorões”, sangramentos irregulares e outros. Depois disso, o sistema reprodutor da mulher muda. É normal apresentar secura vaginal, o que dificulta e torna as relações sexuais mais doloridas, e, com a diminuição de dopamina e de serotonina, aparecem também os transtornos de humor e os sintomas depressivos.

Muitas mulheres optam pela reposição hormonal: um tratamento que pode atenuar esses sintomas, mas com vários efeitos colaterais indesejados. Aí que entra a cannabis: em seus vários formatos, incluindo supositórios vaginais e lubrificantes canábicos, ela pode ajudar no alívio dos desconfortos da menopausa.

Gama de produtos variada

Embora muita gente pense automaticamente em alguém fumando um baseadão para aliviar as dores, a verdade é que, em países onde a cannabis é regulamentada, ela vem em uma enorme gama de produtos: além de tinturas, óleos e a própria erva, ela é vendida em supositórios, lubrificantes, camisinhas, pomadas, cremes, óleos… Para quem precisa, basta encontrar a maneira que mais se adapta às suas necessidades. No Colorado, por exemplo, existe um supositório vaginal de efeito local para aliviar as dores da cólica. Com esse produto, você nem precisa ficar chapada para usufruir dos efeitos terapêuticos dessa plantinha.

Pote de lubrificante de cannabis feito em casa, mão da Alice segurando folha de maconha contra o sol
Lubrificante de cannabis feito em casa

Dicas das Girls in Green

Como mulheres canábicas, temos algumas dicas para fazer além das que já demos ali em cima:

  • cuidado com produtos a base de óleo de coco, que podem furar a camisinha e prejudicar brinquedos sexuais de silicone;

  • dê preferência a produtos bem naturais, inclusive orgânicos, sem substâncias que podem ser danosas a sua região genital.

Essa conexão com a cannabis trocou a relação que temos com essa planta. É muito mais do que fumar para chapar, acalmar as ansiedades ou dormir melhor – é olhar para dentro, se tocar e trazer consciência para o nosso corpo, nossos desejos e uma viagem de auto conhecimento sem fim.

Curtiu saber mais sobre esse universo incrível da cannabis na sexualidade?

Ficou com alguma dúvida?

Conta aqui pra gente e vamos fazer o máximo para responder.

E para quem se interessou pelo lubrificante canábico, segura a ansiedade que lá vem um conteúdo bem legal sobre isso!

FONTES

https://www.otempo.com.br/interessa/maconha-dobra-chance-de-orgasmo-feminino-afirmam-cientistas-1.2156864

https://www.hypeness.com.br/2018/07/mulheres-adotam-produtos-com-maconha-como-estimulantes-sexuais/

https://www.bbc.com/portuguese/geral-44732647

https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2017/11/maconha-pode-interferir-em-sua-vida-sexual-e-isso-e-uma-boa-noticia.html

https://www.vice.com/pt_br/article/wjbd3y/maconha-pode-causar-orgasmos-melhores

https://super.abril.com.br/comportamento/fazer-sexo-sob-efeito-de-maconha-e-melhor-que-transar-bebado/

https://www.foriawellness.com/blogs/learn/cbd-thc-vagina-sex-pleasure-relief

https://www.foriawellness.com/blogs/learn/sex-cannabis-education-health-activism-female-entrepreneur-kiana-reeves

https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/acervo/mulheres-que-fumam-maconha-antes-do-sexo-tem-duas-vezes-mais-chance-de-ter-orgasmos-satisfatorios-diz-estudo.phtml

Subscribe
Notify of
guest
21 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jheni
Jheni
4 anos atrás

Onde eu posso encontrar produtos feito a partir da cannabis, como cremes pra pele e até mesmo o lubrificante?? Já quero!!

cbdthc777@gmail.com
4 anos atrás
Reply to  Jheni

@linhacanabicadaba
@canhamobrasil

meriscala@gmail.com
4 anos atrás

simm ótimas! <3

meriscala@gmail.com
4 anos atrás
Reply to  Jheni

O amigo deu algumas ótimas opções! Tem também: @artinnaturebiobr

nivallin@gmail.com
4 anos atrás

Olá! Que lindo post, obrigada!

Alguma maneira de fazer lubs caseiros com erva, que não seja com óleo de coco?

meriscala@gmail.com
4 anos atrás

Oii Nicole, então a gente só costuma a recomendar o que já testamos, por isso só falamos do oleo de coco! Fiz uma pesquisa rápida e algumas pessoas fazem a receita com o óleo de amêndoas porém a gente nunca testou dessa forma

nivallin@gmail.com
4 anos atrás

Olá! Que lindo post, obrigada!

Alguma maneira de fazer lubs caseiros com erva, que não seja com óleo de coco?

meriscala@gmail.com
4 anos atrás

Oii Nicole, então a gente só costuma a recomendar o que já testamos, por isso só falamos do oleo de coco! Fiz uma pesquisa rápida e algumas pessoas fazem a receita com o óleo de amêndoas porém a gente nunca testou dessa forma

nivallin@gmail.com
4 anos atrás

Olá! Que lindo post, obrigada!

Alguma maneira de fazer lubs caseiros com erva, que não seja com óleo de coco?

meriscala@gmail.com
4 anos atrás

Oii Nicole, então a gente só costuma a recomendar o que já testamos, por isso só falamos do oleo de coco! Fiz uma pesquisa rápida e algumas pessoas fazem a receita com o óleo de amêndoas porém a gente nunca testou dessa forma

Nicole
Nicole
4 anos atrás

Olá! Que lindo post, obrigada!

Alguma maneira de fazer lubs caseiros com erva, que não seja com óleo de coco?

Girls In Green
4 anos atrás
Reply to  Nicole

Oii Nicole, então a gente só costuma a recomendar o que já testamos, por isso só falamos do oleo de coco! Fiz uma pesquisa rápida e algumas pessoas fazem a receita com o óleo de amêndoas porém a gente nunca testou dessa forma