Saúde

MACONHA E SAÚDE CARDIOVASCULAR: RISCOS E BENEFÍCIOS

Pesquisas recentes alertam para riscos relacionados ao uso de maconha e saúde cardiovascular. Mas quais seriam eles? Aqui, a gente conta tudo para você.

Nos últimos meses, devem ter chegado até você algumas notícias um pouco assustadoras que relacionavam o uso de maconha a riscos na saúde cardiovascular. Estudos observacionais publicados esse ano pela Agência Nacional de Saúde Americana (NIH) apontaram que fumar a planta poderia levar a um risco aumentado de infarto e derrames. Para fazê-lo, foram usados dados de mais de 400 mil americanos adultos. Mas será que é isso mesmo?

Nós acreditamos que a maconha pode trazer inúmeros benefícios medicinais e terapêuticos. Mas, assim como qualquer substância, também pode apresentar lados negativos. É praticamente impossível encontrar medicamentos sem efeitos colaterais—mesmo quando estamos falando de plantas. 

Por isso, é essencial olharmos para as pesquisas com bastante seriedade e entender o que elas podem estar nos apontando. É isso que torna o debate ao redor da planta equilibrado, sério e temperado.

Venha com a gente entender essas novas pesquisas, o que elas apontam sobre a relação da maconha e da saúde cardiovascular, e se existem benefícios no meio de tudo isso.

 

Como o uso da maconha pode afetar a saúde cardiovascular?

O uso da maconha e seus efeitos na saúde cardiovascular têm sido mais estudados nos últimos anos. E um foco recente são os adultos mais velhos, um grupo frequentemente subestudado! Pois é: contrariando a ideia de que a maconha é coisa de jovem, descobriu-se que muitos idosos recorrem a produtos de cannabis para tratar questões de saúde ao longo da vida.

Uma pesquisa, apresentada nas Sessões Científicas da American Heart Association (AHA), analisou mais de 28.000 adultos com 65 anos ou mais, diagnosticados com transtorno de uso de cannabis e fatores de risco cardiovascular, como pressão alta, diabetes tipo 2 e colesterol elevado. O estudo excluiu fumantes de tabaco, um fator de risco independente para doenças cardíacas.

Resultados apontaram que 20% dos idosos usuários de cannabis com fatores de risco cardiovascular tinham uma probabilidade aumentada de eventos cardíacos ou cerebrais significativos durante a hospitalização em comparação com não usuários. Além disso, os usuários de cannabis apresentaram taxas mais altas de ataques cardíacos. Também eram mais propensos a serem transferidos para outras instalações médicas.

Os pesquisadores também observaram que hipertensão (pressão arterial acima de 130/80 mmHg) e níveis elevados de colesterol eram preditores significativos de eventos cardíacos e cerebrais em usuários de cannabis.

 

Uso regular pode causar insuficiência cardíaca?

Será que o uso de maconha está relacionado a esse problema? Imagem: Girls in Green.

Um segundo estudo apresentado na reunião da AHA envolveu mais de 150.000 adultos americanos. Com idade média de 54 anos, eles participaram de um programa de pesquisa financiado pelos Institutos Nacionais de Saúde. Esses participantes não tinham insuficiência cardíaca no início do estudo.

Entretanto, após quase 4 anos de acompanhamento, os resultados revelaram que os usuários diários de cannabis tiveram um aumento de 34% no risco de desenvolver insuficiência cardíaca em comparação com os não usuários. Esse aumento de risco permaneceu consistente independentemente da idade, sexo de nascimento e histórico de tabagismo dos participantes.

A definição de uso de cannabis no estudo incluiu o uso prescrito e não prescrito da planta. Quando os pesquisadores ajustaram para a presença de doença arterial coronariana, um tipo comum de doença cardíaca, o risco de insuficiência cardíaca entre os usuários de cannabis caiu para 27%. Isso sugere que a doença arterial coronariana pode ser um fator contribuinte para levar à insuficiência cardíaca.

No entanto, é importante observar que esses estudos são observacionais. Isso significa que não estabelecem uma relação causal direta entre o uso regular de cannabis e a insuficiência cardíaca. Além disso, a falta de identificação dos tipos específicos de produtos de cannabis utilizados e a predominância de participantes brancos podem limitar a generalização dos resultados.

Embora os dados sugiram uma associação entre o uso de maconha e um aumento no risco de insuficiência cardíaca, é essencial aguardar mais pesquisas. Só assim podemos entender completamente os mecanismos subjacentes e os fatores contribuintes a esses dados!

 

Separando riscos e benefícios

Não é nenhuma novidade que uso da plantinha é um tópico complexo com potenciais benefícios e riscos para a saúde. E o que isso nos diz quando o assunto é maconha e saúde cardiovascular?

Por um lado, produtos que contêm mais THC, um dos compostos ativos da cannabis, têm sido associados a estímulos cardíacos, inflamação vascular e estresse oxidativo. Isso pode resultar em problemas como pressão arterial elevada, e ritmos cardíacos irregulares. Um maior risco de eventos cardíacos, derrames e morte súbita também foram observados. O THC, especialmente em concentrações muito altas, pode desencadear reações adversas.

Por outro lado, produtos que contêm CBD ou uma maior concentração do ativo, mostraram ter propriedades anti-inflamatórias e a capacidade de reduzir o estresse emocional. Esses efeitos podem contribuir para a diminuição do risco de doenças cardíacas. 

Além disso, a cannabis tem demonstrado ser eficaz para outros fins, como controle de convulsões e alívio de náuseas, melhorando o apetite em pacientes com câncer ou HIV. No entanto, é importante destacar que esses benefícios medicinais não eliminam totalmente os seus riscos.

 

Melhorando sua saúde cardiovascular

Parar de fumar tabaco pode ser uma boa estratégia para começar. Imagem: Girls in Green.

A American Heart Association também lançou algumas dicas de medidas que as pessoas podem adotar para maximizar a saúde do coração. As principais são:

  • Exercício físico: pratique regularmente 75 minutos de exercícios vigorosos ou 150 minutos de exercícios moderados a cada semana. Isso pode contribuir para melhorar a saúde do coração e do sistema cardiovascular. Foco no projeto verão!
  • Alimentação equilibrada: consuma muitas frutas e vegetais. Por outro lado, limite a ingestão de alimentos açucarados, gordurosos e fritos. Isso pode ajudar a manter baixos os níveis de colesterol no corpo e prevenir obstruções nas artérias.
  • Evitar ou parar de fumar: o tabagismo é um fator de risco conhecido para doenças cardíacas. Parar de fumar tem vários benefícios para a saúde e pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares.
  • Controle de outras condições de saúde: tratar outras condições subjacentes que podem causar problemas cardíacos, como diabetes, colesterol alto e hipertensão, pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares.

 

E aí, curtiu essas informações sobre maconha e saúde cardiovascular? Sabemos que nem tudo aqui é tão positivo quanto gostaríamos. Mas é importante sabermos sobre essas pesquisas para tomarmos decisões informadas em relação a nossa saúde. Também é fundamental ficar de olho nas próximas pesquisas sobre essa temática.

Não esquece de nos seguir no Instagram @girlsingreen710 para mais conteúdo exclusivo.

Até a próxima!

 

FAQ

Como o uso da maconha pode afetar a saúde cardiovascular?

Pesquisas recentes apontaram que o uso crônico de maconha pode aumentar em 20% o risco de ataques cardíacos ou derrames. Isso em adultos com 65 anos ou mais, diagnosticados com transtorno de uso de cannabis e fatores de risco cardiovascular.

Uso regular da maconha pode causar insuficiência cardíaca?

Segundo um estudo observacional da AHA, usuários diários de cannabis tiveram um aumento de 34% no risco de desenvolver insuficiência cardíaca. A comparação foi feita com  não usuários. Esse aumento de risco permaneceu consistente independentemente da idade, sexo de nascimento e histórico de tabagismo dos participantes.

Quais os possíveis riscos da maconha para a saúde cardiovascular?

Produtos que contêm alto nível de THC têm sido associados a estímulos cardíacos, inflamação vascular e estresse oxidativo. Isso pode resultar em problemas como pressão arterial elevada, ritmos cardíacos irregulares e um maior risco de eventos cardíacos, derrames e morte súbita, segundo estudos.

E quais os potenciais benefícios da maconha para o coração?

Produtos que contêm CBD ou uma maior concentração do ativo mostraram ter propriedades anti-inflamatórias. Eles ainda possuem a capacidade de reduzir o estresse emocional. Esses efeitos podem contribuir para a diminuição do risco de doenças cardíacas. 

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments