GIRLS IN GREEN

Curioso(a) sobre o famoso Bubble Hash que o Girls in Green tanto ama? Esse é o post perfeito para você tirar todas as dúvidas e ficar pro no assunto.

Na semana passada, começamos a falar mais sobre um tema que interessa muito as nossas seguidoras e seguidores: os diferentes tipos de haxixe e como eles são feitos. Por serem concentrados canábicos ricos em tricomas e terpenos, eles são uma da forma favorita de consumo de bastante gente! Hoje, vamos falar mais sobre um dos queridinhos da galera: o bubble hash (ou também conhecido como ice, ice-o-lator, melt, water hash) e sobre as diferentes formas de produzi-lo.

Bubble hash
Bubble hash ou water hash

O bubble hash tem esse nome fofo porque forma pequenas bolhas quando aquecido – o que é também uma maneira de você controlar a qualidade dele. Ele é feito sem o uso de solventes, o que torna tanto o seu processo de produção quanto uso muito mais seguros. Afinal, como vocês já sabem, o foco tem que ser sempre na Redução de Danos – não só em relação ao consumo da substância, mas também na produção da mesma.

O ice é o nosso tipo de hash favorito. Acreditamos que além de ser uma das extrações mais seguras, é uma expressão verdadeira da qualidade da planta – Afinal, só sai um hash bom se as flores, a matéria lavada for boa! Por isso, todo amor àqueles que cultivam as plantas, esses são os verdadeiros talentos do mundo canábico – viva as growers e os growers.

 O mundo é outro quando se pensa em cultivar resina e não necessariamente uma planta para fumar – são inúmeras outras características que pode ser levadas em consideração, na Califórnia isso se chama: resin growers ou resin farmers. A qualidade do hash e dos tricomas vão variar de strain para strain, mas também vão depender do talento de quem cultivou!

Com o avanço da tecnologia e o estabelecimento de mercados regulamentados em alguns países como EUA e Canadá, as estratégias para fazer essa forma de hash foram se desenvolvendo. No nosso nós buscaremos abordar formas mais simples e caseiras de se fazer ice em casa, mas também contar um pouco sobre as novidades que estão acontecendo mundo afora. Do Frenchy Cannoli com o seu hash tradicional e muito do que vemos no Brasil, até os os ice wax branquinhos famosos na Califórnia e Colorado para vaporizar, ou dar um dab!

Quer saber mais sobre esse universo de concentrados de resinas fascinante? A gente te conta!

Bubble Hash: O que é o também conhecido como Water Hash

O bubble hash é o resultado da separação de tricomas dos buds (flores) ou trim apenas utilizando gelo, água e bolsas de filtragem. Essa forma é conhecida como uma das mais eficazes para se preservar os terpenos e conseguir extrair um haxixe com um sabor sensacional. Vale lembrar que os tricomas e os canabinóides não são solúveis em água, de forma que não são danificados através da agitação – então não se preocupe em ser delicada/o com a planta!

A ideia de utilizarmos bolsas de filtragem com diferentes micragens é conseguir separar diferentes tamanhos de cabeça de tricoma e também separar essa resina do restante da matéria vegetal. Já água gelada, gelo e agitação é fazer com que a cabeça desses tricomas (recheados de óleo) estejam com uma consistência mais dura e menos grudenta de forma que desgrudam com mais faculdade da planta e fiquem soltinhos na água do hash – por isso a importância de todo o processo ser todo bem gelado – brrrrr!

Existem diferentes formas de realizar esse procedimento, seja com máquinas (como máquinas de lavar roupa de camping) ou mesmo a mão com uma colher ou uma pá  (aqui na Califórnia nós utilizamos um remo de Kayak) e um balde. Se você não tem uma máquina específica, e que pode ser utilizada especialmente para isso, a melhor opção é o famoso fazer no braço.

Está um pouco confuso tantas variações em tal processo? Não tem problema. É importante dizer que fazer hash é uma arte – cada artista, no caso hashmaker, terá a sua receita de bolo para fazer o hash de sua forma favorita. Existem alguns erros comuns (como não garantir as baixas temperaturas durante procedimento), mas o tempo de ciclo, tipo de strains, bolsas que usam, jeitos de agitar, secar, podem variar muito – e é isso que é a magia desse universo.

Por isso vamos tentar dichavar esse processo nesse texto para vocês: desde a forma mais roots, isso é raíz, até a forma mais tecnológica, a Nutella.

Vem com a gente!

Maconha hidratando na água gelada com muito gelo
Maconha hidratando na água gelada com muito gelo

Bolsas de filtragem e seu conceito

As diferentes micragens nas telas que filtram/peneiram esse hash são o que faz ser possível separar os diferentes tamanhos de cabeças de tricoma e também a matéria “mais crema” (menos contaminada com matéria vegetal) da “menos crema” (mais contaminada). Mas é importante lembrar que a qualidade é relativa, e depende da sua planta e do seu objetivo. Por exemplo, a Alice já conseguiu fazer full melt até na bolsa de 150u!

Normalmente separada por cores – as micragens mais altas ficam em cima e as mais baixas em baixo. A 220u é a que separa toda a matéria vegetal do restante, por isso muitas vezes é utilizada separada – como uma bolsa na máquina ou a bag que vc usa para agitar o material em um balde. Veja um exemplo no vídeo que produzimos junto com a Overgrow Shop: https://www.instagram.com/tv/Bu2H-NLFcR7/.

Segue aqui informações úteis sobre essas bolsas encontradas no site da ICExtract Bags

  • Bolsa com micragem 40 (tricomas de baixa qualidade – pequenos e imaturos)

  • Bolsa com micragem 70 (tricomas de qualidade mediana – pequenos e imaturos)

  • Bolsa com micragem 90 (tricomas de alta qualidade – tricomas maduros)

  • Bolsa com micragem 104 (normalmente a bolsa com maior qualidade – tricomas maduros, o verdadeiro creme do milho)

  • Bolsa com micragem 120 (tanta qualidade quanto a 90u)

  • Bolsa com micragem 150 (tricomas de qualidade variável – tricomas maiores)

  • 190 micron bag (bolsa que separa da matéria vegetal, não deve ser coletada para hash)

  • 220 micron bag (bolsa que separa da matéria vegetal, não deve ser coletada para hash)

O importante é ter um pelo menos uma bolsa para cada camada, até porque o tamanho das cabeças de tricoma de qualidade superior, como falamos acima, pode variar.

40/45u + 70u + 150u + 220u para bater – mas sim, o ideal é ter o kit completo.

Bolsas de filtragem com diferentes micragens
Bolsas de filtragem com diferentes micragens

Matéria prima: Trim/Buds secos e curados ou Fresh Frozen (planta fresca)

O primeiro passo a ser decidido é como esse material será preparado para ser lavado. As opções são:

  • Buds/Trim seco e curado: usando a matéria vegetal seca, é possível aproveitar o que sobrou da trima da sua colheita. E sim, se você estiver com uma quantidade legal, joga uns buds também, principalmente as famosas pipoquinhas (pequenos buds).É esse o material escolhido na maioria das vezes para fazer o Hash da sua forma mais tradicional. No Brasil, essa é uma ótima opção devido às altas temperaturas, é mais fácil de lavar e coletar nas bolsas sem grudar e perder tricomas pelo caminho

  • Fresh Frozen: essa é uma forma de trabalhar com a planta ainda viva e os tricomas frescos. A planta é colhida, o excesso de folhas é tirado e logo após esse processo ela é congelada. Para lavar (fazer o processo do ice), é só tirar ela do congelador na hora de realizar esse procedimento. Lidar com esse material é mais desafiador em países quentes como o Brasil, as cabeças são oleosas e grudam mais nas bolsas. Aqui na Califórnia, usamos quartos frios que chegam a 5°C para garantir a qualidade do produto final. DICA: Para quem for usar essa opção, em países mais quentes, não esqueçam de manter a matéria no congelador até estar tudo pronto para começar o processo de fazer o haxixe e garanta o ambiente mais frio possível! Tudo isso vai facilitar muito na hora de recolher o produto da tela.

Extração roots (tradicional)

Para lavar você vai precisar de:

  •  Matéria vegetal (Buds, trim)

  • Bolsas de filtragem (estilo Bubblebags, que no Brasil podem ser encontradas neste link)

  • 1 ou 2 baldes (de preferência 2)

  • Máquina de lavar (opcional)

  • Água gelada e limpa

  • Mangueira (se conectada com a água gelada) ou um pulverizador manual de pressão (é super útil para colocar água com bastante gelo dentro!)

  • Superfície para coleta (prato, bowl)

  • Papel vegetal

A extração roots é feita com os mesmos materiais: um balde/máquina, um conjunto de bolsas de filtragem especiais, água pura, gelo, um utensílio para mexer e o seu material com tricomas. Lembre-se de que o gelo e a água devem ser extremamente limpos, e a cannabis deve ser de boa qualidade. Quanto maior a qualidade do material, melhor será o resultado do processo.

Sobre as bolsas: nós usamos a bag 220 separada, seja dentro dá máquina ou no balde que utilizamos para bater o hash. Ela facilita muito a limpeza, então anota essa dica de outro de utilizar ela separada!

O primeiro passo é colocar uma das bags em um balde, e adicione gelo e as suas flores inteiras ou trim de forma intercaladas -. Deve haver gelo suficiente para submergir a quantidade de cannabis. Aguarde 20 minutos para começar a agitar, nesse tempo garanta que as temperaturas estejam baixas – esse é o momento que as cabeças de tricoma irão endurecer para se soltar facilmente através da agitação.

Em relação à agitação, tanto com a máquina quanto com o balde, preste atenção no SOM,  ele precisa ser quase com uma música da água com o gelo, e não um barulho do gelo quebrando. Se você ouvir esse barulho muito intenso, pause, adicione um pouco de água gelada, pois você pode estar triturando a sua matéria vegetal e deixando os contaminantes em pequenas partículas.

No primeiro ciclo bata por pouco tempo, garantindo que tenha poucos contaminantes. Nós recomendamos por volta de 5 minutos. E lembrem-se: se você estiver fazendo na mão não tenha medo de agitar!

Depois da agitação, é necessário despejar essa água cheia de tricomas nas bolsas de filtragem. Deixe elas preparadas e em ordem já no balde que serão passadas para facilitar essa coleta. Despeje a água e espere drenar completamente – se estiver demorando você pode dar uma balançada!

Colete o hash dessas bolsas individualmente (como pode ser visto no vídeo do nosso IGTV) – tire o excesso de água! Isso ajuda a secar mais rápido. Atenção para lavar as bolsas direitinho e não deixar tricomas pelo caminho. Após coletar o hash das bolsas, colocar em cima do papel vegetal e anote o que é o que.

Repita esses ciclos até você sentir que o hash já está saindo verde. Nós recomendamos 4 lavadas, o primeiro ciclo de 5 minutos, segundo ciclo 6-8 minutes, terceiro ciclo 10 minutos e quarto ciclo 15 minutos. Isso ajudará a garantir que você perca a menor quantidade possível de tricomas pelo caminho!

No final do post falaremos sobre a secagem, então aguardem!

  • A cor final: depois de seco, o bubble hash costuma ficar em uma cor amarelo-dourada. Se ele estiver muito verde, pode ser sinal de excesso de matéria vegetal em meio aos tricomas, o que diminui a qualidade do produto.

Extração nutella

A extração mais “nutella” passa pela mesma ideia do processo, mas conta com um maior uso de tecnologia e estrutura. Primeiramente o ambiente em que o procedimento é realizado – normalmente são câmaras frias – elas ajudam a garantir a frescura da extração e a não deixar que os terpenos evaporem no meio do processo, afinal, terpenos são super voláteis e por isso tanto cuidado ao lidar com eles.

Além de um ambiente mais frio, na maioria das vezes esse tipo de extração que está sendo buscado com esse procedimento (o ice wax, ou o melt), as/os hashmakers utilizam da planta fresca, isso é, o Fresh Frozen que explicamos acima, para terem um produto final bem clarinho e possível de ser vaporizado sem ver muita matéria vegetal.

Na realidade, o que mais diferencia esse processo nutella do roots além das temperaturas do ambiente, é a forma de secagem. Ao invés de secar ao ar livre, o hash é secado no freeze-dryer. que mudou o jogo do mercado legal voltado para o hash nos Estados Unidos e no Canadá – possibilitando uma produção em larga escala, e uma estratégia de segurança evitando umidade e possíveis fungos no hash.

Mas vamos abordar mais sobre isso no próximo passo…

Como secar o seu haxixe:

Com o AR (Air Dry)  você irá precisar de:

  • Seu hash

  • Ralador ou peneira

  • Papel Vegetal

  • Cartolina ou uma superfície limpa

  • Freezer

Na forma roots, existe jeito simples para secar o hash com mais rapidez em casa. Voltando para o passo anterior, logo após o hash ser coletado das bags ele deve ser levado ao freezer. Aguarde algumas horas para garantir que ele estará congelado, tire o hash do freezer e rale ele em cima do papel vegetal – o ideal é que essa areia tenha a maior superfície de contato possível com o ar, de forma que a secagem será mais rápida.

Essa é a parte mais fácil desse procedimento, o restante é controlar a umidade e a temperatura do ambiente. O ideal é ter pelo menos um desumidificador para abaixar a umidade do ar e um ar condicionado para dar continuidade a esse processo frio que é extrair um haxixe de qualidade.

Aguarde alguns dias e vá sempre verificando a consistência do seu hash até que você perceba que ele está seco. É essencial que ele esteja seco antes de guardar ele em um pote para dar início ao processo de cura.

Após o hash estar seco, você pode usar prensar o seu hash, para ficar com uma consistência mais de chocolate. Um passo a passo pode ser encontrado na Hashweek que fizemos no nosso site.

Com um Freeze Dryer (Versão Nutella):

O Freeze dryer é uma máquina que foi trazida da indústria de alimentos para o universo canábico. Tal máquina é comumente usada para congelar alimentos a seco para serem armazenados  a longo prazo. A comunidade de hash viu isso como uma ferramenta para secar a resina de uma maneira mais fácil, e isso foi algo que virou o jogo dentro da mercado legal para produção e maiores quantidades! Imagina precisar de espaço para secar com o ar todo o hash de uma marca legal no mercado californiano? Não iria dar certo.

 Esta máquina seca o hash por sublimação; quando o hash úmido é colocado no freeze dryer, a máquina aspira o hash, além de controlar o aumento e a queda da temperatura. Isso permite que a sublimação ocorra e ajuda a transformar a água de um sólido em um gás para que possa ser removida do hash. Esse método de secagem também higieniza o hash, por isso também é bom para o armazenamento de alimentos a longo prazo – evita qualquer tipo de fungo, de forma que também é uma medida de segurança.

Ice Ice baby

Como o ICE é consumido e quais são seus efeitos?

O bubble hash pode ser usado de várias formas: no vaporizador, no bong, em pipes e no próprio baseado. Ele pode ser misturado com a cannabis (lembre-se de dosar com cuidado, devido a quantidade de THC), com tabaco,. O hash também pode ser misturado a manteigas para fazer comestíveis canábicos, que são ótimos para essa época de pandemia, quando fumar não é tão recomendado.

Seus efeitos são os mesmos da cannabis, mas podem ser mais intensos por causa da sua pureza. Alguns deles podem ter mais de 50% de THC – e, como sabemos, essa substância, quando usada sozinha, pode ser um gatilho para crises de ansiedade.

Cuidados e dicas!

  • Seja qual for o método escolhido, as baixas temperaturas são essenciais para manter a qualidade do hash e perder menos tricomas pelo caminho.

  • Atenção na ordem de filtragem nas bolsas! Pode ser desastroso por exemplo trocar a ordem de uma 150u por uma 45u.

  • Fazer em casa não é caro, mas você precisa investir em materiais de qualidade para obter o melhor resultado.

  • Use tudo que tenha tricomas, descarte as folhas grandes e que são cheias de água. Elas podem ser potenciais contaminantes do seu hash .Faça com buds e flores, e não esqueça das folhas que ficam logo abaixo das florzinhas: elas também são cheias de tricomas!

  • A gente já falou, mas vale repetir: na hora de usar, dose com sabedoria. Ninguém quer “bad trip” com uma extração tão maravilhosa, né?

Gostou de conhecer tudo isso?

Fique de olho aqui no blog e no nosso Instagram pra saber ainda mais sobre esse universo que a gente adora!

FONTES

https://hightimes.com/guides/make-hash/

https://gopurepressure.com/blogs/rosinpress-tips-tricks/4-pro-tips-for-making-phenomenal-bubble-hash

https://www.edrosenthal.com/the-guru-of-ganja-blog/water-hash-101-plus-6-methods-for-diy-water-hash

guest
26 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
raphapono@gmail.com
2 anos atrás

Aula da Alice! Belo post! Parabéns pelo trabalho incrível, S2

meriscala@gmail.com
2 anos atrás

ela é mara mesmo <3

Felipe_balsarin@hotmail.com
2 anos atrás

Eu sou fan, hash lovers em busca de um mundo mais puro.

meriscala@gmail.com
2 anos atrás

Irado!!! <3

renan.ptc@hotmail.com
1 ano atrás

Muito bom o tutorial!
Só fiquei com uma dúvida: no caso de utilizar flores e trims secos e curados, é preciso fazer a cura do hash no final?

Felipe
Felipe
1 ano atrás

Que matéria maravilhosa, super bem explicada e bem escrita. Super obrigado 🙂

thiagoalada@gmail.com
1 ano atrás

O resultado final No processo roots pode ser congelado no freezer comum antes de ralar ou só pode no freezer dryer ?

raphapono@gmail.com
2 anos atrás

Aula da Alice! Belo post! Parabéns pelo trabalho incrível, S2

meriscala@gmail.com
2 anos atrás

ela é mara mesmo <3

Felipe_balsarin@hotmail.com
2 anos atrás

Eu sou fan, hash lovers em busca de um mundo mais puro.

meriscala@gmail.com
2 anos atrás

Irado!!! <3

renan.ptc@hotmail.com
1 ano atrás

Muito bom o tutorial!
Só fiquei com uma dúvida: no caso de utilizar flores e trims secos e curados, é preciso fazer a cura do hash no final?

thiagoalada@gmail.com
1 ano atrás

O resultado final No processo roots pode ser congelado no freezer comum antes de ralar ou só pode no freezer dryer ?

raphapono@gmail.com
2 anos atrás

Aula da Alice! Belo post! Parabéns pelo trabalho incrível, S2

meriscala@gmail.com
2 anos atrás

ela é mara mesmo <3

Felipe_balsarin@hotmail.com
2 anos atrás

Eu sou fan, hash lovers em busca de um mundo mais puro.

meriscala@gmail.com
2 anos atrás

Irado!!! <3

renan.ptc@hotmail.com
1 ano atrás

Muito bom o tutorial!
Só fiquei com uma dúvida: no caso de utilizar flores e trims secos e curados, é preciso fazer a cura do hash no final?

thiagoalada@gmail.com
1 ano atrás

O resultado final No processo roots pode ser congelado no freezer comum antes de ralar ou só pode no freezer dryer ?

Fiori
Fiori
2 anos atrás

Aula da Alice! Belo post! Parabéns pelo trabalho incrível, S2

Girls In Green
2 anos atrás
Reply to  Fiori

ela é mara mesmo <3

Balsaf1
Balsaf1
2 anos atrás

Eu sou fan, hash lovers em busca de um mundo mais puro.

Girls In Green
2 anos atrás
Reply to  Balsaf1

Irado!!! <3

Renan Alvarenga Masculino Silva
Renan Alvarenga Masculino Silva
1 ano atrás

Muito bom o tutorial!
Só fiquei com uma dúvida: no caso de utilizar flores e trims secos e curados, é preciso fazer a cura do hash no final?

Thiago de Menezes cunha
Thiago de Menezes cunha
1 ano atrás

O resultado final No processo roots pode ser congelado no freezer comum antes de ralar ou só pode no freezer dryer ?

Liferootsstaly
Liferootsstaly
7 dias atrás

Show, conteúdo top.