GIRLS IN GREEN

Hoje, vamos passar para vocês informações para que vocês não sejam enganados dentro do mercado irregular – ou, caso você tenha feito sua própria extração, você saiba avaliar a qualidade do que foi extraído!

Esse haxixe é bonitinho, mas será que é crema? Às vezes, pode ser realmente um mistério desvendar a qualidade de um hash ou uma extração. Enquanto com a maconha é muito mais fácil dizer se ela está boa, ruim, velha ou fresca e maravilhosa, os concentrados são um pouco diferentes, e suas cores e texturas podem variar – sem indicar necessariamente uma perda ou um ganho de qualidade.

No mundo do haxixe e das extrações, temos um ditado: “a mesma qualidade que entra é a qualidade sai”. Não dá para fazer um haxixe crema de uma planta que não chegou ao seu potencial. Se você usar um material ruim para começar, a expressão do seu haxixe será similar. Ou seja: mesmo tendo escolhido a planta perfeita, é necessário ser um ótimo jardineiro para se certificar de que ela irá se desenvolver para atingir o seu melhor estado. Por isso, sempre falamos: se você tem uma extração para consumir, agradeça quem cultivou aquela planta!

Sobretudo, no universo da maconha, algo interessante é que, tocando, sentindo o cheiro, vendo a aparência e fumando um material, você consegue ver a sua qualidade – diferente de outras drogas. Mas existem alguns fatores e pontos de atenção interessantes para se guiar na avaliação do seu haxixe.

Se você já teve alguma dúvida quanto à qualidade do seu concentrado, aqui, nós vamos ajudar você a descobrir, de uma vez por todas, se ele está bom o suficiente para o uso ou não, seja ele qual for.

Vem com a gente!

Haxixe Ice: Papaya 45u – nota-se cabeças de tricomas imaturas

Como saber se meu hash é de qualidade?

Como já falamos acima, ao contrário dos buds, que têm seus tricomas distintos à vista, o hash de alta qualidade pode variar em cor, textura, aroma e efeitos sem nenhum sinal óbvio que indique sua qualidade.

Além disso, as diferentes técnicas trazem diferentes resultados: haxixe sem solvente pode ser feito usando técnicas de peneiramento a seco (dry sift), fricção manual (charas) e extração com água e gelo (ice water hash ou bubble hash). No final, esses processos separam as glândulas de tricomas do material vegetal da nossa amada plantinha. O resultado é coletado e comprimido em uma pequena bola ou “massinha” conhecida como hash, haxixe, hashish ou concentrado.

Nos mercados altamente regulamentados de hoje, como na Califórnia, pode ser complicado determinar a qualidade do haxixe porque você não tem permissão para tocar ou cheirar o produto de antemão. Você terá que contar com recomendações do budtender, avaliações de clientes e a reputação dos hash makers para fazer uma compra sólida. Aqui no Brasil, pelo contrário, não temos nem as testagens iniciais de qualidade para saber se o produto é minimamente bom ou próprio para o consumo. Portanto, quem irá avaliar isso será você!

Foto colorida mostrando Três tipos de hash
Três tipos de hash

Teste de qualidade de haxixe. À esquerda podemos ver um hash feito à partir de trimming com presença de matéria vegetal após o teste do isqueiro. No meio, hash feito a partir de fresh frozen e da malha 90U, nota-se pouca matéria vegetal e nenhum queimado após o teste. À direita, o hash da malha 150U (lavadas 1, 2 e 3) – nota-se presença de matéria vegetal após o teste.

Aqui, temos alguns dos campos que podem ajudar você a descobrir se sua amostra é a o creme do milho mesmo ou não:

Genética do seu haxixe

Como qualquer outro produto de cannabis, a qualidade do seu haxixe é diretamente influenciada pela genética escolhida para fazê-lo. Diferentes genéticas vão expressar diferentes características nos tricomas e na resinas. Esse é um aspecto essencial inicial para saber se a sua planta vai resultar em um haxixe de qualidade. Buds que são completamente cobertos de resina, têm um aroma forte e um sabor diferenciado podem gerar um concentrado muito melhor do que restos de trima ou uma maconha essencialmente ruim. Além disso, o uso de práticas de cultivo orgânico e sem produtos sintéticos prejudiciais melhora a aparência, o sabor, o aroma e os efeitos do extrato – sem contar que preservam a sua saúde ao consumi-lo.

Foto macro colorida de um potinho de Haxixe Ice: Kush Mints 120u
Haxixe Ice: Kush Mints 120u

Aroma do seu haxixe

Assim como qualquer flor de alta qualidade, o haxixe de alta qualidade deve ter um cheiro gostoso característico. Se o seu haxixe não tiver nenhum cheiro notável ou cheirar muito a grama, ele é de baixa qualidade. O haxixe de alta qualidade terá um aroma agradável e pungente que permanece fiel ao seu perfil original. Hash que não foi seco o suficiente pode desenvolver mofo e outros tipos de fungos – o que você também vai notar pelo olfato. Mas fique atento: muitos dos produtos usados para diluir o hash e fazer com que ele renda mais podem ser inodoros!

Uma dinâmica comum do mercado irregular é adicionar terpenos isolados em amostras de haxixe. A ideia é “decorar o lixo” – ou seja, fazer com que algo ruim pareça melhor. Quando o cheiro for extremamente terpenado de forma infiel a planta, você pode ter certeza que esses terpenos foram adicionados posteriormente para tentar melhorar a qualidade do haxixe, mas isso não passa de uma enganação!

Foto macro colorida de um Haxixe Ice: Ice Cream Cake 120u primeira lavada
Haxixe Ice: Ice Cream Cake 120u primeira lavada

Aspecto visual do seu haxixe

É aqui que fica complicado. O hash pode assumir várias formas, tamanhos e cores, dependendo da maneira como é extraído, do tipo da planta usada, da forma com que ele foi guardado, de como foi feita a secagem e de várias outras características. O haxixe tipo charas, por exemplo, pode assumir uma cor marrom mais escura e brilhante. O dry sift e o bubble hash podem ter uma cor amarelo dourado mais claro, ou expressões mais escuras, como marrom. Um exterior acastanhado resulta de sua interação com o oxigênio do ar, que causa oxidação na superfície – o que é bem característico do hash tradicional. Independentemente da cor, qualquer haxixe de alta qualidade que valha a pena não deve ser totalmente preto ou verde – já que o verde significa uma maior concentração de contaminantes, isto é, a matéria vegetal da planta na sua mostra. A ideia do haxixe é tentar isolar completamente as cabeças de tricoma da planta!

Foto macro colorida de um Haxixe Ice feito de trimming Full Spectrum. Esse quase não pega a liga e Vamos mostrar no isqueiro.
Haxixe Ice feito de trimming Full Spectrum. Esse quase não pega a liga e Vamos mostrar no isqueiro.

No caso do rosin…

Normalmente, o rosin de qualidade tem uma cor que varia entre amarelo-dourado, laranja e branco, com boa transparência e brilho. Mas, além do frescor e da qualidade do material de entrada, precisamos levar em consideração a temperatura na qual ele foi feito! Simplificando, o rosin exposto a altas temperaturas por muito tempo tende a escurecer consideravelmente e está sujeito a perda de terpenos ou queimar os próprios canabinoides (mas maior rendimento).

As temperaturas podem variar dependendo do material que você quiser prensar, seja flor ou hash muitos hash makers encontram bons resultados na faixa de 165 a 250 F (73 a 121°C). Acreditamos que, acima de 250 F (121°C), o perfil de terpenos do material tende a degradar significativamente. Aqui na Califórnia, a Alice, que é a nossa estudante árdua de cultivo e hash making, recomenda 170 F (76°C) para hash rosin de ice.

Densidade e textura do seu haxixe

Seu haxixe é macio ou duro ao toque? Se for duro como uma rocha, pode estar muito velho e comprometido para o consumo. Isso também pode demonstrar que não é um hash com qualidades oleosas, e isso quer dizer que as plantas usadas para fazê-lo poderiam não estar maduras ou sua genética não ser positiva para fazer concentrados. No entanto, se você puder compactar o hash com os dedos, ele está pronto para a ação!

  • Se seu hash for macio e derreter um pouco com uma pressão sutil, ele é de alta qualidade.

Foto macro colorida de um Haxixe Ice: Papaya 90 U primeira lavada prensada com as mãos
Haxixe Ice: Papaya 90 U primeira lavada prensada com as mãos

Preço do seu haxixe

A gente sabe: o valor normalmente não é uma indicativa de qualidade suficientemente confiável. Tem gente vendendo qualquer coisa por aí!  Entretanto, na maioria das vezes, o hash mais barato é feito com matérias-primas de qualidade inferior em comparação com os cortes de alta qualidade usados para hash premium. No entanto, esta não é uma regra rígida e rápida. Os preços variam de acordo com a região – mas todo cuidado é pouco nesse mercado irregular para não levar gato por lebre.

No mercado legal, essa questão é diferente, e o preço realmente vai ser mais fiel à qualidade do seu haxixe.

Gosto do seu haxixe

Por fim, o mais importante é o gosto da sua amostra. É no sabor que é possível concluir a qualidade do seu hash. Claro que nos efeitos medicinais/terapêutico também, mas o sabor diz muito sobre a qualidade do haxixe e das extrações. Hoje em dia, os breeders estão desenvolvendo inúmeras genéticas que expressam sabores exóticos e que fazem referência a coisas do nosso cotidiano. Por exemplo: a GMO é uma cepa com gosto salgado, que parece um prato de alho, cebola e cogumelos. A Banana OG tem um cheiro verdadeiro de banana. A Zkittles por fim, faz referência ao doce e tem um gosto extremamente fiel a essa sobremesa deliciosa!

Existem testes para entender a qualidade do hash?

Existem sim, e a gente ensina você!

Uma das melhores maneiras de verificar seu haxixe, não importa o tipo, é fazendo o bubble test – ou, em bom português “teste das bolhas”, ou teste do isqueiro. O processo envolve pegar um pedaço de hash e adicionar uma chama a ele.

  • Se o haxixe for de boa qualidade, a resina irá ferver e borbulhar ao toque da chama.

  • Se o seu haxixe pegar fogo e ficar preto, significa que temos contaminantes demais na amostra, e que o hash não é de boa qualidade. Quanto mais rápido ele pegar fogo, pior a sua qualidade.

  • Se o haxixe não borbulhar, pode ser de baixa qualidade e possivelmente conter contaminantes – sem mencionar os altos níveis de material vegetal remanescentes.

Ao combinar os cheiros, a experiência, o sabor, a aparência e o fator das bolhas, você deve ser capaz de distinguir entre baixa e alta qualidade. Quando óleos ou resinas adicionais estão presentes, eles geralmente criam uma aparência oleosa e cheiros não-característicos. Isso é muito feito no caso do BHO e outras extrações com solventes, mas também pode acontecer com outras ditas sem solventes.

Um teste divisor de águas é o teste da prensagem com a mão. Para isso, basta pegar uma amostra do seu hash e amassar com os dedos. Quanto menos tempo, pressão e temperatura ele levar para se tornar uma massinha homogênea, maior a sua qualidade. Se você quiser, pode usar também uma garrafa com água quente (a técnica do nosso querido professor Frenchy Cannoli), para fazer essa prensagem – que também vai começar a ativar seus canabinoides.

E o que é um hash full melt?

Aqui na Califórnia, com os avanços legais, a “galerinha da crema” tem procurado cada vez mais pelos haxixes e concentrados full melt. Isso porque, aqui, a qualidade dos concentrados sem solvente é geralmente medida pela qualidade do seu derretimento. Por isso, os hash makers usam um sistema de classificação por estrelas para classificar cada hash.

Embora não seja um sistema universal, o sistema de classificação de seis estrelas é um dos mais populares entre os fabricantes de haxixe aqui no mercado legal – e no irregular também. As estrelas significam:

  • Zero a duas estrelas: o hash não derrete quando vaporizado.

  • Três estrelas: o hash derrete ligeiramente quando vaporizado e pode queimar.

  • Quatro estrelas: o hash derrete um pouco mais ao vaporizar e pode escurecer quando aquecido.

  • Cinco estrelas: ele derrete completamente ao ser vaporizado e começa a pingar em todos os lugares.

  • Seis estrelas: ele borbulha e derrete completamente na vaporização!

Cada tipo de concentrado, dependendo desse teste, pode ter um uso específico:

  • Um derretimento de uma a duas estrelas é considerado hash bom para comestíveis, por exemplo, principalmente devido às quantidades relativamente altas de matéria vegetal.

  • Um derretimento de três a quatro estrelas é um hash de grau inferior, que derrete apenas pela metade.

  • Um full melt de cinco a seis estrelas é considerado a forma mais pura de um concentrado, que pode derreter quase que completamente.

O sistema de classificação de seis estrelas é subjetivo, mas fornece um meio eficaz o suficiente para destacar um haxixe sem solvente e de qualidade. Quanto mais alta for a classificação, melhor será o derretimento do seu concentrado. Quanto mais baixa for a classificação, mais contaminantes de planta ele terá!

E aí, deu para entender um pouquinho melhor o que se passa dentro da sua crema? A gente espera que esse conteúdo tenha ajudado – e ajude também a deixar o seu consumo mais seguro. Afinal, Redução de Danos é tudo quando falamos sobre qualquer tipo de substância psicoativa!

Ficou com alguma dúvida? Fala aqui com a gente nos comentários ou vem seguir a gente no nosso Instagram @girlsingreen710. Lá, a gente fala sobre vários assuntos e novidades quentinhas para quem também ama o mundo da cannabis e dos concentrados que nem a gente.

Até a próxima!

guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Allan jr
Allan jr
19 dias atrás

Top

Lucas
Lucas
19 dias atrás

Uau, eu vivo está realidade na Califórnia por uso medicinal, sua conclusões são top do mercado 💚