Cultivo

Cultivo indoor barato: Dicas para montar um grow econômico

O cultivo indoor é eficiente e discreto, perfeito para a realidade daqui. Para ajudar ainda mais, separamos algumas dicas que podem reduzir os custos desse rolê!

Criar um cultivo de maconha indoor na sua casa é muito mais fácil do que você imagina. E pode ser bem mais barato também! Você vai precisar investir um pouco de tempo em pesquisa e desenvolvimento, mas, com os elementos certos, é possível desenvolver não apenas um set up econômico – mas também gastar menos durante todo o processo.

Nós adoramos o cultivo outdoor, bem alinhado aos ciclos da natureza e aproveitando tudo que ela nos oferece de melhor. No entanto, a gente tem plena noção de que essa realidade ainda está bem longe de ser possível no Brasil. Por isso, defendemos o indoor como uma das maneiras mais discretas, seguras e efetivas de plantar e garantir sua autonomia como usuária ou usuário.

Então, se você está pensando nessa possibilidade mas ainda acha que ela não cabe no seu bolso, dá uma lida nas nossas dicas! Aqui, vamos contar para você como tornar o cultivo indoor mais barato e manter um grow econômico.

Vem com a gente!

Quanto custa construir uma sala de cultivo indoor?

Os custos para construir um cultivo indoor podem variar muito por aqui! Depende de fatores como o tamanho do grow, o número de plantas que você cultivar e a qualidade dos equipamentos. 

Para fins de estimativa, a gente pode dizer que a média dos materiais fica assim:

  • Tenda de cultivo: R$ 300 a R$ 800
  • Iluminação LED: R$ 400 a R$ 1.200
  • Ventilação: R$ 200 a R$ 500
  • Filtro de carvão ativado: R$ 100 a R$ 300
  • Medidores de pH e EC: R$ 200 a R$ 500
  • Nutrientes: R$ 100 a R$ 300
  • Substrato: R$ 50 a R$ 100
  • Sementes ou mudas: R$ 100 a R$ 200

Esses são apenas custos aproximados, e os preços podem variar dependendo da marca e da qualidade dos produtos que você escolher. Além disso, você também precisará considerar os custos contínuos de eletricidade para manter as luzes e a ventilação em funcionamento, bem como os custos de água e nutrientes para o crescimento das plantas.

Mas assim, existem algumas dicas que podem ajudar você a reduzir os custos de grande parte desses elementos listados! Vamos entender?

Dica 01: comece com prenseeds

A semente do prensado pode te livrar de fumar prensado. Yeah! Imagem: Girls in Green.

Se você não tem muita grana e quer começar um cultivo indoor barato, nada melhor do que juntar as prenseeds! Sim: as sementinhas que aparecem no seu prensado podem ser bem chatas se seu objetivo é só fumar. Mas elas também tem o potencial de virar plantas saudáveis e bem saborosas.

Você pode saber mais sobre as prenseeds aqui.

As prenseeds são ótimas para iniciantes pois permitem que a gente faça experimentos sem tanto peso na consciência. Você não vai conseguir informações muito específicas sobre o seu resultado, como quantidade de canabinoides, terpenos e terpenoides, ou mesmo o nome da cepa. Mesmo assim, elas irão render flores extremamente superiores ao prensado de onde vieram!

Antes de começar, lembre-se de fazer uma seleção de sementes. Aplique um pouco de pressão na casca. Se ela quebrar muito fácil, é porque a sua semente não está boa para germinar. Caso ela siga inteira, faça o nosso passo a passo de germinação que é sucesso.

Dica 02: consiga um pouco de solo vivo

O solo vivo pode ser muito benéfico para a maconha. Imagem: Girls in Green.

Ao invés de gastar com perlita, vermiculita, fibra de coco e outros elementos para criar seu solo inerte para cultivo indoor, que tal começar com o bom e velho solo vivo? Esse aí mesmo que você tem no seu quintal. Normalmente, ele já vem carregado de microorganismos e nutrientes. Eles podem ajudar a sua maconha a se desenvolver muito bem – com um gostinho da Mãe Natureza.

Como já contamos aqui, um solo vivo equilibrado e bem cuidado é essencial para a vida na Terra. Ele serve como:

  • apoio ao crescimento de plantas (raiz);
  • um reservatório de nutrientes e água para a vegetação;
  • um lar de organismos com muitas funções críticas (um punhado de solo pode conter tantos micróbios quanto pessoas no planeta);
  • reciclagem de materiais orgânicos;
  • regulação do ciclo hidrológico (água);
  • e outras.

As suas plantas realmente vão agradecer você, já que terão uma proteção a mais contra indicadores biológicos e doenças, uma melhor distribuição de nutrientes e um controle da quantidade de água presente no solo. Você não vai precisar gastar tempo e dinheiro com insumos caros e pouco eficazes, e suas plantinhas vão se tornar muito mais saborosas.

Se você não tem um solo bom (ou qualquer um que seja) no seu próprio pátio, pede um pouco pra mãe, vó, tia, amiga… Fica a dica!

Dica 03: faça seus próprios nutrientes orgânicos

Quer buds bonitos assim? Foco na nutrição! Imagem: Girls in Green.

Sim: pode parecer tentador comprar um NPK e jogar indiscriminadamente no seu solo. Mas, além de caro, ele pode não ser tão legal assim para a qualidade final da sua planta – especialmente se essa suplementação for sintética. Por isso, nossa maior dica para quem quer unir o útil ao agradável é fazer os próprios fertilizantes.

“Mas como?”, você deve se perguntar. É simples:

Aprendendo essas ténicas, a gente jura que você nunca mais vai gastar com nutriente sintético para seu cultivo indoor. Você agradece, seu bolso agradece e suas plantas agradecem em dobro!

Dica 04: aproveite (e reaproveite) tudo o que você já tem

Uma sala de cultivo pequena também significa mais economia. Imagem: Girls in Green.

Você consegue encontrar na internet estufas e PC grows para fazer um cultivo indoor por cerca de R$ 800. Mas gente, fala sério: é muito mais barato entrar na onda Bob Construtor e fazer isso em casa. Com um armário pequeno, manta de isolamento térmico, uma furadeira para criar aberturas, lâmpadas de LED comuns, termômetro para controle de temperatura e umidade e alguns outros elementos, é possível fazer isso sem estourar o seu orçamento.

Além disso, por se tratar de um espaço pequeno, é bem provável que você gaste menos com energia e com a manutenção das plantinhas. Faz sentido se a sua ideia é fazer um autocultivo que sustente o uso individual.

Aqui, a gente encontrou um tutorial bem legal sobre isso.

E uma dica: se você não fala inglês, pode fazer a transcrição do áudio do vídeo no Google Docs e depois traduzir. Daora, né?

E aí, curtiu?

Esperamos que essas informações ajudem você a conquistar o sonho do cultivo indoor baratinho próprio. A gente acredita que o autocultivo é uma das melhores formas de garantir a qualidade do que você está consumindo e não depender do tráfico. E, embora essa realidade ainda não seja possível para todas, a gente segue na luta para popularizar a ideia e encontrar novos meios de possibilitar o plantio. 

Afinal, nossa medicina (e nós) merecemos respeito e cuidado.

Para estar sempre de olho no que estamos aprontando e saber mais sobre o mundo da maconha, do haxixe e dos psicodélicos, siga a gente no Instagram @girlsingreen710.

Até a próxima!

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments