Cultivo

Cultivo de guerrilha: O plantio outdoor em contextos proibicionistas

Embora os cultivos indoor sejam mais comuns no proibicionismo, alguns se aventuram a plantar a cannabis ao ar livre mesmo ilegalmente. Aqui, vamos contar para você como isso pode acontecer!

Quem nos acompanha sabe que falar sobre o cultivo da cannabis é um dos nossos assuntos favoritos. Lá na Califórnia, onde a Alice mora, atualmente o plantio é legal sob algumas circunstâncias – há uma quantidade de plantas liberadas por pessoa, e é preciso pagar um bom dinheiro para regularizar completamente a prática – mas nem sempre foi assim. É por isso que mesmo por lá o cultivo de guerrilha (também chamado de gorilla grow) é comum, e aqui no Brasil, devido ao proibicionismo, também.

O cultivo de guerrilha trata-se de cultivar ilegalmente cannabis áreas escondidas, normalmente de difícil acesso. Podem acontecer em propriedades privadas, propriedades do governo, parques nacionais, florestas nacionais, etc.

E não é só para outras pessoas que essa prática pode ser perigosa. Embora seja uma alternativa para driblar a lei e a ação policial, o cultivo de guerrilha sem consciência pode contribuir para poluir áreas florestais ou até para o desflorestamento. Por isso, é preciso ficar atento ao processo e fazer as escolhas certas!

Aqui, vamos falar sobre as vantagens e desvantagens desse tipo de cultivo – que, como qualquer guerrilha, é uma forma de subversão e de se opor a opressões. Vem com a gente!

Plantas de cannabis em cultivo de guerrilha
Plantas de cannabis em cultivo de guerrilha

Vantagens e desvantagens do cultivo outdoor

Por ficarem em locais bastante afastados, os cultivos de guerrilha trazem uma vantagem bem óbvia: longe da sua resistência, fica mais difícil de ser descoberto por vizinhos ou policiais, preservando a segurança de quem planta. Afinal, aqui no Brasil, plantar a cannabis sem um habeas corpus é sinônimo de prisão – principalmente para pessoas em situação de maior vulnerabilidade ou em regiões onde a polícia atua com força.

Muitas vezes, o acesso a esses cultivos de guerrilha é difícil, é necessário fazer trilhas, ou só é acessível com veículos 4×4 e uma boa aventura no caminho. Afinal, quanto mais escondido melhor.  Mas isso não significa que ele não possa ser descoberto, seja por pessoas ou por animais. A vida selvagem do local pode causar um belo prejuízo, desde pássaros e insetos a grandes mamíferos. E ele também pode ser encontrado por terceiros: há um grande risco de incidentes como o roubo de crops inteiras, o que joga todo o seu trabalho por água abaixo.

E falando em água, ela também pode ser bem prejudicial. Demais ou de menos, a chuva pode significar o fim das suas amadas (e desprotegidas) plantinhas.

É um grande desafio manter a discrição de um grow outdoor e não perder uma boa parte da cannabis, seja por fatores externos ou mesmo pela dificuldade de adaptação a certos solos e climas. Por isso é bem importante se informar e escolher as melhores ferramentas.

Como escolher o local ideal?

O local de um cultivo de guerrilha deve ser o mais afastado possível dos olhos humanos. Alguns dos ambientes mais procurados para isso são bosques em meio a matas, propriedades rurais muito afastadas e abandonadas, em montanhas, e outros habitats do tipo.

Pode parecer uma aventura bem legal, e pode não fazer mal algum se você cuidar de tudo direitinho. Mas existem alguns exemplos bem doidos do que NÃO fazer – como o caso de um cartel internacional que decidiu cultivar cannabis em parques como Yosemite e Lassen Volcanic National Park. Neles, foram encontrados milhões de plantas, além de sinais de uso de pesticidas e agrotóxicos poluentes que interferem negativamente na vida da fauna e flora locais.

É fundamental lembrar que somos 100% a favor de cultivos mais orgânicos, com trocas justas com a terra e uso de materiais sustentáveis e mais naturais. Não faz muito sentido militar tanto por essa causa se não for para melhorar o planeta, e não destruí-lo ainda mais, né?

Pé de maconha sendo derrubado em um cultivo de guerrilha
Pé de maconha sendo derrubado em um cultivo de guerrilha Fonte: oeco

As dores e os amores do cultivo outdoor

A gente não vai negar: o cultivo outdoor de guerrilha não é o melhor jeito de cultivar pra quem deseja qualidade. Mas é a única opção pra muita gente, e também não significa que você não possa colher ótimos frutos com ele – só vai ser mais difícil.

Algumas dicas para facilitar esse processo pra você e pras plantinhas são:

  • Procure as melhores strains para o clima da região: a cannabis cresce em montanhas geladas, como as kushes afegãs, ou em planícies secas com sol pleno, como é o caso da nossa Manga Rosa aqui no Brasil. A diferença está na espécie! Faça uma pesquisa para saber quais são as mais indicadas para o clima que você observa no local de plantio escolhido. Também é legal escolher strains mais arbustivas, que crescem mais para os lados e ficam mais fáceis de camuflar.

  • Prefira sementes automáticas: como as plantas estarão longe de você e passarão um bom tempo sem a sua supervisão, as sementes mais indicadas são as feminizadas ou autoflorescentes. Assim, você não corre o risco de ter machos infiltrados no grow – que fazem as plantas produzirem sementes, e não buds gostosos e cheirosos.

  • Comece com clones: jogar as sementes diretamente na terra pode parecer uma boa ideia, mas a germinação pode ser uma fase bem difícil num contexto outdoor. O mais legal nesses casos é transplantar as mudinhas já mais crescidas e devidamente enraizadas para o terreno. Assim, você tem aquele controle especial no desenvolvimento da cannabis e se certifica de que as sementes irão brotar da forma correta, sem intempéries, fungos e insetos atrapalhando na primeira fase de vida.

  • Enriqueça o solo: é interessante procurar por um local de solo escuro, com material orgânico – como restos de folhas e outras vegetações. Caso o meio apresente desequilíbrios ou esteja compactado demais, você vai ter que manipulá-lo. Substratos ricos em nutrientes orgânicos, como húmus de minhoca, farinha de osso ou chorume de composteiras, são ótimos isso. Perlita, turfa ou fibra de coco ajudam a deixar o solo fofo e aerado. Para o pH não ficar muito ácido, use uma pitada (tipo 1 colher de sopa rasa para cada 20l de solo) de calcário dolomítico na mistura.

  • Cuide e proteja sem poluentes e venenos: como a gente já disse aqui, um grande risco do cultivo de guerrilha é justamente a poluição e o desequilíbrio do ambiente de plantio. Por isso, a gente desaconselha fortemente o uso de qualquer tipo de inseticida ou agrotóxico. A relação de reciprocidade com a terra é real, e ela devolve tudo o que damos a ela. Uma cannabis que cresceu com veneno também pode não fazer bem e provocar danos na hora da utilização.

  • Irrigação: para não depender apenas da chuva, você pode improvisar alguns sistemas de irrigação – principalmente se a área escolhida ficar perto de riachos ou fontes de água doce. Caso contrário, a construção de cisternas para captar água da chuva e canalizá-la para a plantação pode ser uma ótima ideia!

    Foto aérea mostrando clareiras na mata com cultivos de guerrilha
    Cultivos de guerrilha em clareiras no meio da mata Fonte: oeco

Como camuflar o grow?

Depois de seu desenvolvimento no solo, as plantinhas vão crescer e se espalhar cada vez mais – o que pede por um cuidado especial de camuflagem. Idealmente, seu local de cultivo já deve estar escondido o suficiente para que você não precise fazer muito esforço para ocultá-lo. Se necessário, você pode usar a vegetação ao redor para esconder suas plantas, construindo uma espécie de cerca natural, tornando necessário mover essas plantas para fora do caminho para acessar sua cultura escondida.

Como há sempre o risco de descoberta, muitos agricultores guerrilheiros mais experientes costumam espalhar suas plantas em vários locais, em vez de confiar em um único local. Em outras palavras: não coloque todos os ovos na mesma cesta! Se você plantar sua erva em mais locais, qualquer acontecimento inesperado não resultará no fracasso de toda a sua colheita.

Além da escolha de espécies mais baixas, você também pode usar outros métodos para manter uma menor visibilidade.

  • As podas ocasionais são um bom meio de manter suas plantas mais baixas e menos visíveis. O melhor de tudo é que você pode tirar clones durante essas podas e replantar galhos que criarem raízes.

Plantar em clareiras, envolvidas por matas mais densas, também é uma boa estratégia. O ideal é cercar o local de plantio para evitar visitantes indesejados, mas isso também pode chamar alguns curiosos.

Uma curiosidade é como o proibicionismo deixa as pessoas criativas para poderem cultivar de formas escondidas. Em Honeydew, na Califórnia, chegaram a colocar as plantas de cannabis em cima dos pinheiros para dificultar o reconhecimento.

Dá pra ver que vale praticamente tudo nessa hora, né?

O cultivo de guerrilha é uma estratégia bastante usada em vários países para driblar o proibicionismo e garantir acesso às plantinhas sem tantos riscos envolvidos. Embora o indoor seja o mais indicado para quem deseja um bom controle das plantas – desde o início do desenvolvimento até a colheita, sabemos que ele não é uma opção para muita gente.

Nossa maior dica é: proteja-se e preserve-se. Nenhum processo dentro de um local proibicionista é 100% seguro, e é por isso que lutar pela regulamentação é importante seja qual for o contexto no qual você deseja cultivar. 

Curtiu essas informações? Conta pra gente o que você achou e se você já viu ou teve experiência com algum cultivo assim!

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments