GIRLS IN GREEN

Transplantar a sua cannabis é mais uma etapa do processo de cultivo, e ela pode trazer muitos benefícios quando feita corretamente, e pode estressar sua planta quando for feita incorretamente . Aqui, a gente te diz como!

Transplantar a sua cannabis é um momento super importante: não apenas para que a planta cresça bem, mas também para identificar qualquer tipo de problema em suas raízes, afinal, não é algo que fica na superfície, e assim, não vemos nunca. Além disso, podemos usar esse processo para acompanhar o crescimento da nossa amada erva!

Embora muita gente ache que o tamanho da plantinha importe, na verdade, o que devemos levar em consideração na hora do transplante é o desenvolvimento das raízes naquela plantinha. É essencial que façamos esse processo com todo o cuidado possível para não estressar nossa flor!

Quer saber mais sobre esse assunto? Aqui, vamos te explicar um pouco sobre sua importância e mostrar um passo a passo para que, quando a hora chegar, você saiba fazer tudo do jeitinho certo.

Por que transplantar?

Como já falamos ali em cima, o transplante é fundamental para você saber a etapa de desenvolvimento na qual a plantinha se encontra, para controlar seu tamanho e seu enraizamento, além de conhecer mais sobre a saúde dela. Afinal, embaixo é tão importante quanto em cima! Se as raízes apresentam problemas, você vai querer resolvê-los o mais rápido possível para não comprometer sua cannabis!

Nossas maiores dicas nesse momento são:

  • Comece pequeno: germine sua sementinha e coloque primeiro em um lugar pequeno, como um copo plástico ou mini vaso.

  • Não use copos transparentes! A luz pode comprometer as suas raízes e botar o trabalho a perder.

  • Vai colocar a plantinha em um copo plástico? Faça os furos na base antes de transplantar, para que nenhuma raiz fique presa ou passe por qualquer dano ou estresse.

  • Alguns growers recomendam alguns transplantes até que você deixe sua planta no vaso final – e vale lembrar que o vaso final é aquele grande o suficiente para você colocar a planta para florir. Com alguns transplantes, você terá mais chances de acompanhar de perto o desenvolvimento e saúde das suas raízes. Mas é preciso saber dosar: repetir o processo muitas vezes pode estressar a planta! Uma ou duas vezes pode ser o suficiente.

  • Os recipientes menores também são uma boa maneira para começar. Após a germinação, use um vasinho pequeno. Isso ajudará no desenvolvimento das raízes e diminuirá as chances de você regar demais e jogar uma cachoeira de água na sua plantinha. (Sim, a gente já matou umas sementinhas jogando água demais, não façam isso migues)

  • Para saber se você deve transplantar, bata do lado do recipiente/vaso para soltar o solo/raízes das paredes. Vire lentamente e sinta com as mãos se a planta se solta em um quadrado recheado de raízes, ou se a terra começa se desintegrar. Caso ela segure a terra, é a hora certa! Caso a terra se solte, significa que ela ainda não tem raízes suficientes para ir para um espaço maior. 

  • Use o calendário biodinâmico! Os dias de flor são os ideias para fazer o transplante. Temos aproximadamente seis dias de flor por mês. Marque-os em seu calendário particular para fazer isso – e também para desfolhar, quando necessário.

Outro motivo importante para transplantar é viabilizar o crescimento da sua plantinha – ou até mesmo barrá-lo. Para quem cultiva indoor, o melhor é parar de transplantar quando a altura da planta estiver boa para o seu grow. Aumentar a superfície de contato e o espaço das raízes possibilita um crescimento contínuo, e, quando se planta no solo, a cannabis pode chegar a muitos incríveis metros!

Vasos com terra e espaços abertos para não sufocar a raiz no transplante
Espaços abertos para não sufocar a raiz no transplante

O que observar na hora do transplante

Para transplantar, você tem que ter um solo bem saudável para alimentar e nutrir sua plantinha. É importante que, nesse momento, você cheque sua terra. Caso ela contenha insetos indesejáveis, fungos ou mesmo problemas na estrutura, você pode resolver tudo isso antes do transplante acontecer (logo mais, vamos falar sobre controle de pragas – então fique atento por aqui!).

Também é a hora de olhar bem para o que as raízes da sua planta dizem:

  • Raízes amarronzadas ou esverdeadas e grudentas, como se tivessem limo, são indicativo de problemas.

  • Também é preciso ter cuidado com nematóides. Esse tipo de verme se alimenta das raízes da planta, e pode comprometer seu crescimento e causar doenças. Eles são como minhoquinhas brancas, mas não se engane: essas criaturinhas perigosas removem o conteúdo celular da raiz, impedindo a absorção de água e nutrientes pelas plantas.

  • Para se livrar de nematóides ruins, pense em adquirir nematóides bons. Existem alguns nematóides benéficos que ajudam a se livrar de fungus gnat e algumas outras infestações. Pesquise sobre isso!

Agora que você já sabe disso, vamos ao passo a passo?

Passo a passo: hora do transplante

Fez todos os testes e viu que a hora do transplante chegou? Vamos colocar as mãos na terra!

  • Passo 1: Lave as mãos ou use luvas para evitar a contaminação das raízes delicadas. Mantenha o ambiente o mais higiênico possível para esse processo!

Dica: tente não regar as plantas no dia anterior ao transplante. Isso permitirá que o solo grude um pouco ao ser removido do recipiente de partida.

  • Passo 2: verifique se o vaso receptor foi preenchido com o meio de cultivo e se há espaço suficiente para transplantar com segurança.

Dica: não perturbe ou danifique as raízes ao transplantar. O primeiro transplante apresenta o maior risco de choque, e isso ocorre como resultado direto de danos e agitação nas raízes. O estresse pode causar problemas de desenvolvimento, ou até transformar sua plantinha em macho ou hermafrodita!

Dica 2: evite luz intensa ao transplantar. Isso ajudará a evitar o choque do transplante também.

  • Passo 3: retire sua plantinha do recipiente menor e passe para o maior. Coloque-a no centro, e preencha as bordas com terra.

  • Passo 4: Sempre administre uma quantidade saudável de água após um transplante.

Cuidado no transplante!

Outras dicas de transplante

Esse processo tem que ser feito com sabedoria, viu? Então, seguem mais algumas informações que achamos bem importantes para o momento:

  • Sempre monitore as plantas quanto a sintomas de estresse ou raízes superlotadas.

  • Evite colocar terra demais em um recipiente durante e após o transplante. Isso pode comprometer a drenagem e danificar os sistemas da raiz.

  • Não transplante após o início do ciclo de floração da planta. O choque do transplante pode prejudicar o desenvolvimento inicial de uma planta durante essa fase.

  • Dê à planta pelo menos 1-2 semanas após um transplante antes de iniciar a floração.

  • Tenha bastante espaço disponível no contêiner final para que uma planta se desenvolva totalmente. Para ambientes internos, isso significa de 3 a 5 litros.

  • Plantas maiores podem exigir estacas e outros mecanismos de apoio para evitar danos estruturais durante e após o transplante.

Se você respeitar tudo isso durante o processo, a gente garante que sua plantinha vai se desenvolver muito bem e ficar super feliz com mais espaço para crescer. Afinal, até mesmo a gente é assim, né?

Tem alguma dica de transplante especial por aí? Conta pra gente – adoramos aprender mais com vocês também.

Até a próxima semana, com mais dicas de cultivo para plantar as melhores cannabis do mundo.

guest
8 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ipws98@gmail.com
1 ano atrás

Tive que mover minhas plantinhas por falta de espaço uma da outra mas o canteiro era grande, estavam com 1 mes e meio com uns 40cm, nao imaginei que as raizes estariam tao grandes e quando movi acho que danifiquei as raizes… e ela.logo murchou, vamos esperar pra ver se recupera e nao vire macho

jcandeias_triatlo561@hotmail.com
1 ano atrás

Boa tarde, poderia me esclarecer, sou cultivador de outdoor e digamos que já tive algumas colheitas mas a experiência em outdoor é pouco, após o transplante, é necessário tira lá da luz forte do sol, durante quanto tempo mais ou menos?

Ipws98@gmail.com
1 ano atrás

Tive que mover minhas plantinhas por falta de espaço uma da outra mas o canteiro era grande, estavam com 1 mes e meio com uns 40cm, nao imaginei que as raizes estariam tao grandes e quando movi acho que danifiquei as raizes… e ela.logo murchou, vamos esperar pra ver se recupera e nao vire macho

jcandeias_triatlo561@hotmail.com
1 ano atrás

Boa tarde, poderia me esclarecer, sou cultivador de outdoor e digamos que já tive algumas colheitas mas a experiência em outdoor é pouco, após o transplante, é necessário tira lá da luz forte do sol, durante quanto tempo mais ou menos?

Ipws98@gmail.com
1 ano atrás

Tive que mover minhas plantinhas por falta de espaço uma da outra mas o canteiro era grande, estavam com 1 mes e meio com uns 40cm, nao imaginei que as raizes estariam tao grandes e quando movi acho que danifiquei as raizes… e ela.logo murchou, vamos esperar pra ver se recupera e nao vire macho

jcandeias_triatlo561@hotmail.com
1 ano atrás

Boa tarde, poderia me esclarecer, sou cultivador de outdoor e digamos que já tive algumas colheitas mas a experiência em outdoor é pouco, após o transplante, é necessário tira lá da luz forte do sol, durante quanto tempo mais ou menos?

Ian p
Ian p
1 ano atrás

Tive que mover minhas plantinhas por falta de espaço uma da outra mas o canteiro era grande, estavam com 1 mes e meio com uns 40cm, nao imaginei que as raizes estariam tao grandes e quando movi acho que danifiquei as raizes… e ela.logo murchou, vamos esperar pra ver se recupera e nao vire macho

João
João
1 ano atrás

Boa tarde, poderia me esclarecer, sou cultivador de outdoor e digamos que já tive algumas colheitas mas a experiência em outdoor é pouco, após o transplante, é necessário tira lá da luz forte do sol, durante quanto tempo mais ou menos?