GIRLS IN GREEN

Pensando em cultivar seus próprios cogumelos psicodélicos? Aqui, trazemos algumas informações importantes para quem está começando a se aprofundar nesse rolê!

Cogumelos psicodélicos, mágicos, alucinógenos… o nome pode até variar um pouquinho, mas se refere aos mesmos serezinhos intrigantes. Ricos em psilocibina, esses fungos têm sido explorados pela ciência e demonstrado ter propriedades incríveis para a nossa saúde mental. E o melhor de tudo? Eles são surpreendentemente fáceis de cultivar. 

Fonte: https://www.wired.com/story/hackers-mason-jars-psychedelic-science-diy-shrooms/

Se você se acostumou a ler sobre cultivo de maconha e pensar “não sei se tenho grana e nem tempo para fazer tudo isso”, vai gostar bastante dos cogus. Para cultivar suas cepas favoritas, você vai precisar apenas de equipamentos básicos, substrato, esporos de qualidade e um pouquinho de paciência. Mas a gente já adianta: é muito mais fácil colher cogumelos lindões e cheios de psilocibina do que buds. Ainda assim, a gente curte os dois processos — e mais ainda os resultados.

Aqui, organizamos um pequeno guia para iniciantes, que estão pensando em cultivar seus próprios cogumelos mágicos em casa. Bora tirar algumas dúvidas e conferir um passo a passo para mergulhar de cabeça no cultivo de cogumelos?

Vem com a gente!

Aviso: cultivar e vender cogumelos mágicos é crime no Brasil. Portanto, conheça as leis do seu local de residência antes de tomar qualquer decisão. Este artigo possui fins informativos e não incentiva práticas ilegais!

Por que cultivar cogumelos mágicos?

Os cogumelos mágicos são fungos que contam com a presença da psilocibina. Ela, por sua vez, é um composto alcaloide que interage com os receptores de serotonina presentes em nosso cérebro, provocando as famosas “viagens” psicodélicas:

Após a ingestão, a psilocibina é absorvida e metabolizada pelo organismo em aproximadamente 30 minutos. 

Seus efeitos mais comuns são alegria e euforia, despertar espiritual, desrealização, despersonalização, pensamentos distorcidos, pupilas dilatadas e sonolência — que podem durar de quatro até seis horas.

Trip de cogumelos mágicos
Trip de cogumelos FONTE: Carolina Rodriguez Fuenmayor for Rolling Stone

Mas a psilocibina tem demonstrado que seus poderes vão muito além disso! Seus usos terapêuticos vem sendo cada vez mais pesquisados, e já demonstram potencial para tratar:

Aqui, trouxemos uma revisão completa com descobertas e novidades científicas envolvendo o uso de cogumelos mágicos!

Onde encontrar cogumelos mágicos na natureza?

As mais diferentes variedades de cogumelos mágicos crescem naturalmente ao redor do mundo. Por exemplo:

  • O Psilocybe cubensis, considerado o cogumelo mágico mais popular do mundo, cresce com bastante frequência nos Estados Unidos, na América Central, na América do Sul, na Austrália e em muitas partes da Ásia. Ele tem sido muito usado na fabricação de microdoses, e é um dos mais simples de se cultivar em casa!
O Psilocybe cubensis no seu habitat natural
O Psilocybe cubensis no seu habitat natural FONTE: inaturalist.org
  • Já o Psilocybe semilanceata cresce naturalmente nos Estados Unidos e no Canadá, bem como em algumas partes da Europa. Seus ambientes favoritos são prados e pastagens úmidas, embora ele não cresça no esterco — ao contrário do cubensis
Psilocybe semilanceata na natureza
Psilocybe semilanceata na natureza FONTE: https://www.researchgate.net/

Ou seja: dependendo de onde você mora, pode ter a sorte de encontrar alguns cogumelos mágicos em seu habitat natural. Mas todo cuidado é pouco, já que pode não ser tão fácil diferenciar as cepas alucinógenas das potencialmente fatais. A gente só recomenda comer cogus da natureza se você for um verdadeiro expert em micologia, no nível do Paul Stamets — e, mesmo assim, olhe lá.

A melhor maneira de garantir sua segurança e integridade física é cultivar cogumelos mágicos em casa ou comprar de uma fonte confiável. Por conta de seu status legal atual, a segunda alternativa pode não ser uma opção. No entanto, é possível comprar esporos, já que eles não contêm o composto ativo.

Como cultivar cogumelos mágicos em casa

Cultivar os seus próprios cogumelos mágicos em casa não é complicado, mas requer atenção à higiene e um pouquinho de paciência. Também é importante ter alguns equipamentos na manga, embora normalmente eles sejam bem fáceis de encontrar.

A parte mais desafiadora é conseguir uma seringa de esporos de boa qualidade, que são basicamente as “sementes” dos cogumelos. Caso contrário, você pode acabar com esporos contaminados, cepas identificadas incorretamente ou, em alguns casos mais chatos, apenas água. 

O que você precisa para cultivar cogumelos?

Uma forma simples de cultivar cogumelos é usando um kit de cultivo pronto. Normalmente, eles já vem com uma seringa de esporos, substrato e bolsa de cultivo. Outros kits já vem com o micélio pronto para ser usado, e basta adicionar água.

A vantagem é que o kit já vem todo prontinho — ou seja, praticidade total!

KIT de cultivo de Psilocybe cubensis
KIT de cultivo de Psilocybe cubensis FONTE: elephantos.com

O problema é que não tem como saber exatamente o que você vai conseguir, e se o produto é de qualidade ou não.

Ou seja: fazer tudo do zero vai envolver um pouco mais de esforço, mas pode ser mais positivo na hora do resultado. Isso também reduz o risco de contaminação do material, além de ser um processo bem interessante e cheio de aprendizado. Praticamente uma aulinha de ciências pocket.

Como fazer um kit de cultivo caseiro de cogumelos mágicos

Deu vontade de testar essa empreitada? A gente conta o que precisa.

Material principal:

  • Uma seringa de esporos de 12cc do seu cogumelo de escolha. O cubensis pode ser o ideal para começar!

Substrato:

  • ⅔ de xícara de vermiculita por recipiente de cultivo;
  • ¼ de xícara de água por recipiente de cultivo;
  • ¼ de xícara de farinha de arroz integral orgânica por recipiente de cultivo;

Equipamento:

  • 12 recipientes de ½ litro com tampa;
  • Martelo e pregos pequenos;
  • Tigela de mistura;
  • Filtro;
  • Folha de estanho;
  • Vaso grande com tampa de vedação;
  • Toalha pequena;
  • Fita micropore;
  • Caixa de armazenamento de plástico transparente de 50 – 115L;
  • Furadeira com broca de ¼ de polegada;
  • Perlita;
  • Garrafa de spray.

Materiais de higienização:

  • Álcool isopropílico;
  • Isqueiro;
  • Desinfetante;
  • Luvas de látex e máscara cirúrgica.

Passo 1: preparando o substrato

Prepare seus recipientes de cultivo. Desinfete o martelo e o prego e use-os para fazer quatro furinhos uniformemente espaçados ao redor da tampa.

Misture seu substrato. Coloque a ⅔ xícara de vermiculita e ¼ xícara de água por frasco em uma tigela. Desinfete o coador e retire o excesso de água. Adicione ¼ xícara de farinha de arroz integral por frasco e misture.

Encha seus potinhos. Encha os potinhos com o substrato, deixando cerca de meia polegada abaixo das bordas. Complete com vermiculita seca.

Esterilize os recipientes. Feche bem as tampas dos frascos e cubra com papel alumínio. Coloque a toalha no fundo de uma assadeira e disponha os potes por cima. Adicione água até a metade dos frascos e deixe ferver lentamente. “Cozinhe-os” no vapor por 75 a 90 minutos, adicionando mais água quente se a panela secar. Depois, deixe esfriar à temperatura ambiente por várias horas ou durante a noite.

Passo 2: injetando os esporos

Prepare a seringa de esporos. Usando suas luvas e máscara, aqueça a agulha da seringa com um isqueiro até ela ficar vermelha. Deixe esfriar e limpe com álcool. Puxe o êmbolo para trás e agite bem.

Injete delicadamente os esporos. Com a agulha contra a lateral do pote com substrato, injete cerca de ¼ cc da solução de esporos através dos furinhos, sem abrir as tampas. Repita o processo em todos eles, limpando a agulha com álcool entre cada injeção. Cubra os furos que você fez nos frascos com fita micropore.

Passo 3: espere…

Armazene os potinhos em uma área limpa e seca, em temperatura ambiente e sem contato com o sol. Depois de sete a 14 dias, o micélio branco deve começar a aparecer. Em três ou quatro semanas, pelo menos metade dos frascos deve ter colônias. Aí, espere mais uma semana para fortalecer o micélio.

Passo 4: prepare a câmara de frutificação

Faça pequenos furos em todo o seu recipiente plástico de armazenamento grande, incluindo a tampa. Coloque a caixa em cima de quatro objetos estáveis, de forma que haja um bom fluxo de ar por baixo. Cubra com uma toalha para reter a umidade.

Coloque a perlita em uma peneira e hidrate o material. Deixe escorrer bem e, em seguida, espalhe sobre a base da câmara. Você precisa de uma base de quatro a cinco polegadas de perlita.

Passo 5: reidrate as colônias

Retire o substrato dos frascos, com toda calma e delicadeza para não danificar as colônias. Lave esses pequenos “bolos” sob a torneira fria para tirar a vermiculita solta.

Encha uma panela com água morna e coloque os bolos dentro. Deixe em temperatura ambiente por 24 horas enquanto eles se reidratam.

Retire os bolos da água e coloque-os em uma superfície desinfetada. Encha uma tigela com vermiculita seca e enrole os bolos para revestir.

Passo 6: coloque as colônias na câmara

Coloque as colônias na câmara de frutificação, em quadrados de papel alumínio grandes o suficiente para que não toquem a perlita. Espace eles uniformemente e os borrife com água. Ventile com a tampa antes de fechar.

Passo 7: espere os cogumelos aparecerem!

Borrife a câmara com água quatro vezes ao dia, e ventile com a tampa seis vezes ao dia para melhorar a circulação do ar. Alguns produtores usam luzes ajustadas em um ciclo de 12 horas, mas a iluminação ambiente durante o dia é suficiente!

O ciclo de vida dos Fungos
 O ciclo de vida dos Fungos FONTE: museudaamazonia.org.br Desenho Regina Carvalho

Em quanto tempo os cogumelos estarão prontos?

O tempo de cultivo dos seus cogumelos mágicos vai depender da variedade escolhida e das condições do seu cultivo, mas normalmente leva de um a dois meses. 

O importante é ficar de olho nas suas colônias: você verá os cogumelos brotando, e se tornando “alfinetes”. O ideal é fazer a colheita antes que o véu seja rompido e revele as guelras do fungo.

E aí, se sentindo pronta ou pronto para essa experiência? A gente acha ela incrível, e queremos saber se você já fez. Conta aqui pra gente nos comentários e não esquece de nos seguir lá no Instagram @girlsingreen710, onde falamos mais sobre o uso de substâncias (psicodélicas ou não), Redução de Danos, cultivo e diversos outros temas importantes.

Até a próxima!

guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vitória
Vitória
1 mês atrás

Booooommmmm✧\(>o<)ノ✧⋋✿ ⁰ o ⁰ ✿⋌(。☬0☬。)

Jessica
Jessica
7 dias atrás
Reply to  Vitória

Muito booom este post

Last edited 7 dias atrás by Jessica