GIRLS IN GREEN

Algumas pessoas acreditam que fases da lua podem guiar inúmeras ações, desde o corte de cabelo até o plantio. Hoje vamos abordar como algumas pessoas que aderiram à agricultura biodinâmica usam também o calendário lunar, e os conflitos sobre o encontro com a ciência. Vem aprender com a gente!

Sol, Lua, estrelas, ascendentes e descendentes: a astrologia é uma sabedoria milenar utilizada até hoje por muitos, mas que divide opiniões. Enquanto algumas pessoas adoram entender mais sobre como o cosmos pode influenciar nas suas vidas, outros discordam que eles tenham qualquer tipo de poder em nós, seres humanos.

Mas e na terra e em seus ciclos?

Assim como os signos, o calendário lunar também é uma ferramenta baseada no estudo dos movimentos astrológicos, e é usada desde a antiguidade para os mais diversos fins. No século passado, houve um movimento de retomada a essas sabedorias antigas – principalmente na agricultura, no que é chamada de agricultura biodinâmica. De acordo com seus ensinamentos, cada fase da lua estaria diretamente relacionada ao sucesso de cada fase do plantio.

A gente acredita que, mesmo sem uma base científica tão sólida, o calendário lunar pode ajudar muito a organizar as suas tarefas no jardim e programar cada ação.Nesse post, a gente vai explicar melhor o que é esse calendário e maneiras de interpretá-lo e usá-lo na sua rotina de jardineira(o). Vem com a gente!

Jardim ensolarado com bandeirinhas tibetanas, plantas flores e maconha
Jardim com maconha

O que é o calendário lunar?

O calendário lunar é considerado por muitos o mais antigo da Terra, e se guia pelas quatro fases da Lua (crescente, cheia, minguante e nova) para dividir o ano em meses que duram cerca de 29,5 dias.

Os antigos povos observaram o impacto das fases da Lua sobre as marés, a agricultura e até no humor das pessoas. De acordo com sua sabedoria, cada fase lunar é própria para algo, seja para planos pessoais ou plantio.

Quem mora no campo tem facilmente esta percepção, mas nos centros urbanos se perdeu de vista essa preciosa ferramenta, a conexão com as estações do ano, alimentos de específicos meses no ano. A natureza e seus ciclos mostram que há um tempo de plantar, outro de colher, de nutrir, de deixar descansar.

Pra nós, mulheres cis que menstruam, ele é ainda mais especial: suas fases cíclicas podem se conectar aos ciclos menstruais e duram, inclusive, quase o mesmo tempo: 29,5 e 28 dias, respectivamente.

Calendario lunar
Calendario lunar

Como ele se conecta à agricultura biodinâmica

Como já contamos antes aqui no site, o Movimento Biodinâmico foi estabelecido após um longo período de guerra. Essa forma de se relacionar com a agricultura tem como objetivo uma reconexão com a Mãe Natureza e seus ciclos, por meio de práticas sustentáveis de jardinagem.

Alguns métodos levam em consideração os ciclos do Sol, da Lua e das estrelas (zodíaco) – quase que uma bruxaria. A abordagem é reconhecida e praticada em todo o mundo, adaptando-se aos ritmos da natureza de qualquer terra e cultura. Um dos principais nomes dessa retomada de práticas antigas é Rudolf Steiner, que divulgou esses conhecimentos no livro “Agricultura: Fundamentos Espirituais para a Renovação da Agricultura”.

Outra pessoa importante na abordagem biodinâmica é Maria Thun, uma alemã que fez diversas experiências para desenvolver o que logo se tornaria seu calendário, dividindo o ciclo em quatro aspectos: dias de folhas, frutas, flores e raízes.

Através dele, ela mostra os dias ideais para podar, semear e colher diferentes plantas. Ele leva em consideração também as fases lunares, e faz muito sentido principalmente para quem cultiva outdoor, onde as plantas estão diretamente conectadas com o solo e com a natureza de maneira geral.

 Como você pode usá-lo

Depois de entender um pouco melhor a teoria por trás de tudo isso, vamos mergulhar nas questões mais práticas?

Maria Thun foi quem mais estudou a relação entre o zodíaco, a lua e o crescimento das plantas. Seus testes foram feitos com radite e feijões, em diferentes fases da lua e em diferentes signos ao longo do ano. O que ela descobriu foi que:

  • Com a Lua nos signos do elemento terra (capricórnio, virgem e touro), a formação de raízes era facilitada.

  • Com a Lua nos signos do elemento água (peixes, câncer e escorpião), a formação de folhas era facilitada.

  • Com a Lua nos signos do elemento ar (gêmeos, libra e aquário), a formação de flores era facilitada.

  • E com a Lua nos signos do elemento fogo (áries, leão e sagitário), a formação de frutos era facilitada.

Ela entendeu também que a Lua trabalha como uma espécie de mediadora, e que alguns de seus movimentos também podem afetar negativamente o crescimento das plantinhas. Seu perigeu, por exemplo, parece bloquear o desenvolvimento das espécies observadas. E então, até hoje, esse resgate de conhecimentos é organizado nos calendários biodinâmicos como uma forma de ajudar a orientar e potencializar as ações no campo – mas não é um condicionante para não realizar tarefas em determinados momentos.

Existem vários momentos que podem ser aproveitados de forma positiva para cumprir tarefas diferentes no grow. Na Lua descendente, que dura aproximadamente duas semanas em um mês, temos qualidades similares às do outono-inverno. No período, os sucos e as forças das plantas estão sendo impulsionados para as raízes ou órgãos subterrâneos, com maior significado para aquelas espécies de ciclos anuais, são os dias mais adequados para:

  • Realizar transplantes de raiz nua, pois as plantas sofrem menos estresse e se recuperam mais rapidamente.

  • Aplicar fertilizantes, preparar canteiros de flores, semear adubos verdes, enterrar estacas.

  • Colher raízes, bulbos e tubérculos durante este período favorece seu armazenamento e conservação.

  • Ao podar neste período, removemos menos substâncias e as plantas tendem a “chorar” menos (exsudação de savias).

Por outro lado, os outros 14 dias, são de Lua ascendente – com suas qualidades primavera-verão, as forças e substâncias das plantas são empurradas para a parte acima do solo, portanto:

  • Ao colher as flores durante este período, vamos mantê-las frescas por mais tempo.

  • Ao colher vegetais aromáticos, folhosos, de caule e frutas, teremos um período de armazenamento e conservação mais longo.

  • Realizar enxertos também é favorável nessa fase.

Cenouras orgânicas recém colhidas
Colheita organica

Mas meninas, isso funciona?

Os calendários biodinâmicos mapeiam todos esses movimentos e explicam suas diferentes influências nas plantinhas. Você pode escolher segui-lo apenas para se organizar em relação aos trampos do seu cultivo e entender se ele funciona para você.

Como ele é fruto de experiências, não existem realmente resultados científicos que comprovem que ele seja melhor ou pior do que qualquer outro método.

A gente acredita que o calendário lunar, organizado nos calendários biodinâmicos, pode ajudar bastante quem está um pouco perdido nas datas e não sabe muito bem quando começar a germinar e plantar, quando podar as plantinhas, e qual a melhor época para colhê-las.

Mas é comum encontrar pessoas que não acreditam que ele tenha qualquer influência no desenvolvimento dos vegetais. 

Nós adoramos as práticas holísticas da agricultura biodinâmica, que nos leva a entender tudo o que acontece na terra como ciclos naturais, que devem ser entendidos e respeitados – e não combatidos com ações que fazem mal à terra, aos vegetais e a todo o ambiente onde eles estão inseridos.

Por isso, achamos que seguir esse calendário pode ser uma maneira de começar a criar uma rotina de cultivo. Se ele vai trazer buds mais lindos e cheirosos para você, depende também do seu empenho no cuidado!

E aí, curtiram o texto? Já conheciam esse tipo de prática? Contem aqui pra gente nos comentários o que vocês acharam!

guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
MARKUS EMANNUEL OLIVEIRA SOUSA
MARKUS EMANNUEL OLIVEIRA SOUSA
1 ano atrás

Boa tarde! Muito boa essas informações! Gratidão!