GIRLS IN GREEN

Fumar um, às vezes, pode trazer alguns efeitos contrários ao que estamos procurando, aqui explicamos porque isso ocorre e como amenizar ou evitar essas situações.

É com muita felicidade que encerramos um ciclo com Florzine. Mulheres Cannabicas, Appp Company – que incrível que foi somar as ideias para criarmos uma personagem tão especial como essa. Juntamos a ideia de construir uma cartilha de Redução de Danos, com a criação de uma flor sem gênero, que comunica-se formas acessíveis de reduzir danos pelo caminho.

Foi lindo caminhar até aqui com vcs <3

Jajá teremos novidades no Instagram!

Agora vamos ao ponto…

Apostamos que vocês já ouviram falar das famosas “bad trips”, a Florzine não é fã desse termo, mas mesmo assim, ela veio aqui trocar uma ideia com a gente para sabermos como lidar quando houver algum desconforto físico e/ou psicológico após consumo de florzines e seus derivados.

Até nossa Florzine favorita já passou por isso, e é mais comum do que a gente pode imaginar. Infelizmente por essa temática ainda ser um tabu, muitos escondem o que estão sentido e passam por essa barra sozinhos/as. Por isso, vamos colocar uma luz nesse tema, desmistificar e desestigmatizar essa situação para que você possa curtir essa plantinha numa “good vibes” assim como Florzine e suas colegas <3

Embora muitos preguem que a cannabis é 100% medicinal e só faz bem, precisamos lembrar que cada organismo é único e que essas terminologias também são questionáveis. Todos somos diferentes, e processamos as substâncias de maneira distinta dentro no nosso corpo – existem pessoas que relatam que não podem fumar pois sentem um enorme desconforto e até mesmo paranóia após o consumo. Nem todos os componentes da cannabis podem reagir de uma positiva e alegre – principalmente o THC, uma substância que, em excesso, pode até desencadear crises de ansiedade em quem já é predisposto, como já falamos aqui no blog.

Afinal, por quê essa “bad” acontece? Bom, há vários e vários motivos diferentes – e, aqui, nossa flor favorita vai mostrar a você alguns deles e ajudar você a entender como evitar essa sensação tão desconfortável.

Mas então cannabis faz mal?

“Tudo vem em dois” – vocês já ouviram falar essa frase?

Florzine nos diz que se a cannabis faz mal ou não, isso irá depender da qualidade da substância, dosagem e como que a sua relação com essa plantinha é está no presente momento. Então, sim, é possível que você esteja fazendo um uso não positivo da cannabis. E vale lembrar que assim como qualquer substância (até mesmo fármacos), a cannabis pode causar reações adversas. E o melhor que você pode fazer é conhecer bem o seu próprio corpo para evitar o desconforto físico e mental que pode vir para alguns com o uso da planta.

Set and setting

Você já ouviu falar sobre set and setting? Esse termo é muito usado nos Estados Unidos para definir como está a mente (set) e o ambiente (setting) de uma pessoa ao consumir substâncias psicoativas. Timothy Leary, autor do livro The Psychedelic Experience: A Manual Based on the Tibetan Book of the Dead, explica que o que cerca alguém é extremamente importante para definir sua onda – seja em um festival de música, em um ritual xamânico ou até mesmo em casa.

Para atingir um estado mais relaxado e garantir que as “bad trips” ficarão longe, é recomendado estar em um espaço confortável, com pessoas que você conhece ou sozinho (caso prefira), com uma música que você goste e sem muitas adversidades. Barulhos altos, gritos e pessoas desconhecidas podem criar uma sensação de insegurança, que vai refletir na sua chapadeira.

Já o set é uma questão mais relacionada com quem você é, seus medos, suas expectativas e a sua visão do mundo. Embora seja mais difícil de mudar, existem algumas dicas de Leary para conseguir trabalhá-la nesse momento: estar perto da terra; se deixar levar pela brisa sem resistir; ter curiosidade; e seguir sua intuição. Unidas, essas quatro atitudes podem aliviar suas tensões e tornar a viagem ainda mais tranquila.

Deu ”bad”, e agora?

Florzine diz: “Primeiramente, RESPIRE!”

  • Pare e pense: você acabou de fazer o uso de uma substância, ou seja, é temporário, vai passar.

  • Se você sentir que precisa de alguém para passar por esse momento com você, peça ajuda!

  • Busque uma posição confortável, se você gostar de música coloque algo que te acalme e foque na respiração.

  • Existem vídeos no youtube como esse que podem ajudar!

Se a/o sua/seu colega está passando por um momento difícil como esse, você pode

  1. Promover um espaço seguro para essa pessoa passar por essa experiência

  2. Garantir a hidratação – deixe sempre água ao alcance!

  3. Evitar invadir o espaço do indivíduo caso ela/ele não peça – as substâncias, mesmo a maconha, podem fazer conteúdos que precisam ser trabalhados emergirem

  4. Sugira um exercício de respiração se você acreditar que faz sentido

Qualidade e frequência de uso podem influenciar

Ao longo dessa jornada por redução de danos, Florzine já nos trouxe um pouco mais de conhecimento sobre como a qualidade da cannabis e a frequência e quantidade de uso podem influenciar negativamente a nossa experiência. Você pode ver o texto completo aqui, mas, para resumir esse assunto, é importante lembrar que:

  • Preferir mais qualidade e menos quantidade é uma forma de garantir que a sua experiência vai ser a melhor possível. A planta no seu estado mais natural possível ou em extrações é o mais recomendado. Mas, se você só tem acesso ao prensado, pelo menos lave-o para remover impurezas e aumentar o benefício da sua cannabis.

  • Como qualquer remédio, a diferença entre medicina e veneno
    está na dose. Portanto, principalmente quando falamos em THC, saiba dosar corretamente a cannabis para o seu organismo. Quando há um equilíbrio entre THC e CBD, as chances de dar uma bad trip são infinitamente menores. Isso porque o CBD inibe as ações possivelmente negativas do THC, com o famigerado Efeito Entourage.

Quando não usar cannabis?

Percebeu que em qualquer tipo de uso, seja em pequenas dosagens, vaporizando, fumando ou em receitas, a cannabis não faz bem para o seu corpo? Talvez ela não seja a melhor alternativa para você.

Vale lembrar que isso também pode ser apenas uma fase.

Nota importante: Se você tem histórico de esquizofrenia e episódios de mania, tanto em você quanto em familiares próximos, também é importante ter cuidado. Afinal, até mesmo as ervas têm as suas contra-indicações!

Florzine deseja uma boa viagem, com atenção muito especial à redução de danos.

FONTES

https://psychedelictimes.com/achieving-set-in-set-and-setting-4-principles-make-most-of-your-psychedelic-experience/

https://www.vice.com/en_us/article/wnwb7x/6-steps-help-friend-bad-difficult-psychedelic-trip-music-festival-zendo-project

guest
5 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
1982evandro@gmail.com
1 ano atrás

Texto chato de ler, Florzine pra cá Florzine pra lá.
Eu heim, perdi meu tempo.

1982evandro@gmail.com
1 ano atrás

Texto chato de ler, Florzine pra cá Florzine pra lá.
Eu heim, perdi meu tempo.

1982evandro@gmail.com
1 ano atrás

Texto chato de ler, Florzine pra cá Florzine pra lá.
Eu heim, perdi meu tempo.

Tua mae
Tua mae
2 meses atrás

Chato é tua rola seu broxa

Evandro
Evandro
1 ano atrás

Texto chato de ler, Florzine pra cá Florzine pra lá.
Eu heim, perdi meu tempo.