Saúde

ALERGIA A CANNABIS: COMO IDENTIFICAR?

Sim, galera: infelizmente, é possível ter alergia a cannabis e experimentar sintomas bem desconfortáveis por conta da planta. Aqui, vamos falar mais sobre essa temática!

Conforme as pesquisas relacionadas à maconha são retomadas, mais a gente descobre sobre essa plantinha intrigante e as formas como ela age em nosso organismo! Uma dessas descobertas é a alergia a cannabis. Sim: é possível ser alérgico a maconha e experimentar sintomas bem chatos ao consumir, tocar ou mesmo respirar a fumaça de um beck.

Pesquisas apontam que, embora a planta seja conhecida por suas propriedades anti-inflamatórias, ela pode causar vários sintomas de alergia diferentes. Isso não significa que ela não tenha propriedades medicinais e/ou terapêuticas incríveis, relatadas e investigadas extensivamente — mas, para algumas pessoas, seu uso pode realmente não ser uma boa ideia. 

Acha que você pode ser uma dessas pessoas que sofrem com alergia a cannabis? Para ajudar você a descobrir, escrevemos esse artigo com os principais sintomas e formas de identificação desse problema. Vem com a gente!

O que causa alergias?

Vamos começar pelo começo: afinal, por que somos alérgicos a algumas coisas bem específicas? Bom, tudo tem a ver com o nosso sistema imunológico. Basicamente, uma alergia é uma resposta exagerada desse sistema a substâncias normalmente inofensivas, conhecidas como alérgenos. Esses alérgenos podem ser encontrados em alimentos, poeira, pelos de animais, pólen, medicamentos e por aí vai.

Quando uma pessoa alérgica entra em contato com o alérgeno, o sistema imunológico identifica a substância como uma ameaça e desencadeia uma resposta para combatê-la. Isso resulta na liberação de substâncias químicas, como a histamina, no corpo. A histamina é responsável pelos sintomas típicos de alergia, como espirros, coceira, coriza, inchaço, erupções cutâneas e, em casos mais graves, dificuldade respiratória ou anafilaxia.

As alergias podem variar em gravidade, e algumas podem ser controladas com medicamentos ou evitando a exposição aos alérgenos. Em casos mais graves, é importante procurar ajuda médica para receber tratamento adequado e evitar potenciais complicações. 

Mas como identificar a alergia a cannabis, especificamente?

Quais os sintomas de alergia a cannabis?

Erupções cutâneas após lidar com a planta podem ser um sintoma de alergia a cannabis! Imagem: Canva.

Existem muitos sintomas diferentes que podem indicar alergia à planta, conforme nos mostram pesquisas. Alguns dos principais são:

  • olhos vermelhos e marejados;
  • rinite alérgica;
  • nariz escorrendo;
  • congestionamento nasal;
  • espirros;
  • náusea e vômito.

Além de tudo isso, alergias a cannabis também podem se assemelhar à dermatite de contato caso você tenha manuseado a planta. Um estudo de 2007, feito para avaliar os sintomas de alergia a maconha, um teste cutâneo revelou que ela pode causar uma irritação específica na pele. Alguns dos sinais mais comuns incluem:

  • coceira;
  • pele vermelha e inflamada;
  • urticária;
  • pele seca e escamosa.

Em casos mais graves, uma reação alérgica à cannabis pode causar choque anafilático, uma condição com risco de vida que faz com que a pressão arterial caia repentinamente e as vias aéreas se fechem. Por isso, todo cuidado é pouco se você suspeita que esse seja seu caso!

Fatores de risco para uma alergia a cannabis

Como já explicamos, seu corpo vê os alérgenos como uma ameaça. Embora isso funcione bem para proteger contra bactérias e ameaças estranhas, seu sistema imunológico também acaba se confundindo um pouco às vezes — o que causa as respostas alérgicas. Existem alguns fatores de risco que podem aumentar sua probabilidade de desenvolver uma alergia a cannabis.

Reatividade cruzada de alérgenos

As alergias à cannabis podem se tornar mais prevalentes se você for alérgico a um alimento ou substância com propriedades semelhantes. Isso também é chamado de reação cruzada. Alguns alimentos com propriedades alergênicas semelhantes às da maconha são:

  • tomates;
  • pêssegos;
  • toranja;
  • amêndoas e castanhas;
  • beringela;
  • maçãs;
  • bananas.

Ou seja: se você tem alergia a qualquer um desses alimentos, cuidado ao usar a planta!

Sensibilização

O aumento da exposição à maconha também pode aumentar a probabilidade de você desenvolver uma sensibilidade à planta. Isso é mais comum em áreas onde a maconha é cultivada, já que o pólen pode desencadear sintomas de alérgenos. Acredita-se que, como resultado, a sensibilização à cannabis aumentou desde a sua legalização! Louco, né?

Maior teor de THC

Como você já deve saber, o tetrahidrocanabinol (THC) é a substância química encontrada nas flores de maconha que cria uma sensação de euforia — ou a chapação propriamente dita. Ele pode ser ótimo para diversas condições e sintomas, como náuses, falta de apetite ou até mesmo dores agudas ou crônicas. Entretanto, muitos indivíduos têm um sensibilidade alta a esse canabinoide.

A sensibilidade ao THC não é exatamente uma alergia, mas pode causar sintomas similares, bem como ataques de ansiedade, tontura, e outras sensações desagradáveis.

Aqui, a gente explica melhor os efeitos negativos da maconha!

Como uma alergia a cannabis é diagnosticada?

Testes cutâneos podem ser usados para saber se você tem alergia a cannabis. Imagem: Canva.

Para identificar uma alergia, é importante buscar um médico ou alergista para realizar um teste cutâneo. Este teste pode ajudá-lo a descobrir se você é ou não sensível a uma substância específica. Entretanto, atualmente, não existe um teste cutâneo padrão para alergia à cannabis — mas um médico ou alergista pode preparar um específico para você.

Durante este procedimento, o médico normalmente vai picar seu braço ou costas com uma pequena quantidade de um alérgeno. Se você é alérgico, seu corpo pode reagir e desencadear uma resposta alérgica como inchaço ou coceira dentro de 15 a 20 minutos. Se você não é alérgico, provavelmente não apresentará sintomas.

Mas esses testes não são perfeitos. Ter uma reação durante um teste cutâneo não significa necessariamente que você terá sintomas de alergia quando exposto à substância em outro contexto. Também é possível ser alérgico a uma substância, mas ter um resultado negativo (sem reação) em um teste cutâneo.

Outro possível exame é o teste de alergia a IgE, um exame de sangue que procura sinais de uma resposta alérgica geral, não uma alergia a uma substância específica. Ele mede a quantidade total de anticorpos IgE no sangue. O resultado do seu teste de IgE pode ajudá-lo a descobrir se você tem alergias em geral, mas não aponta o que está causando sua alergia.

Ou seja: ainda é bem difícil de diagnosticar uma alergia a maconha com precisão!

Como prevenir uma reação alérgica?

Infelizmente, a melhor maneira de evitar uma reação quando se tem alergia a cannabis é parar de usá-la. Sim, um saco — a gente sabe. Mas, em casos mais graves, até mesmo a fumaça de um baseado de outra pessoa pode causar desconfortos.

Se você trabalha com a planta regularmente, a recomendação geral é o uso de luvas, máscaras faciais e medicamentos para alergia para ajudar a reduzir ou prevenir os sintomas. Os médicos também recomendam carregar um inalador caso o pólen da cannabis (ou de plantas em geral) afete sua respiração. Nos Estados Unidos, houve uma morte relacionada a esse problema em uma fábrica do mercado legal. Portanto, o cuidado é fundamental.

E aí, gostou dessas informações? A gente espera que elas ajudem você — e que você não tenha o azar de ser alégico ou alérgica a essa plantinha tão mágica. Caso você suspeite que sim, é importante procurar um médico e repensar seu uso. Afinal, a saúde vem sempre em primeiro lugar!

Para mais informações sobre maconha, haxixe, psicodélicos, Redução de Danos, indústria e cultura, não esqueça de acompanhar noss Instagram @girlsingreen710.

Até a próxima!

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gisele Passele
Gisele Passele
7 meses atrás

Preciso conversar com alguem urgente. pReciso de indicação de médicos que fazem o teste alérgico.