GIRLS IN GREEN

Tá planejando as próximas férias e quer ficar perto da sua plantinha favorita? Aqui, selecionamos alguns dos melhores lugares para visitar se você ama maconha. Vem ver!

Praia, campo ou montanha: na hora de escolher qual o próximo destino, são muitas coisas a se levar em consideração. Para os maconhistas, outro fator a se pensar é se o lugar escolhido é legalize ou não. Afinal, como aproveitar umas férias completas sem poder bolar aquele beck maravilhoso e contemplar as paisagens, novas culturas e até mesmo bater aquela larica aproveitando a culinária local?

Atualmente, temos uma boa lista de países onde, se a maconha não é legal, é pelo menos bem tolerada. Aqui no Girls in Green, sabemos que viajar é um enorme privilégio, e acreditamos que todos que podem aproveitar, fazer as malas e pegar um avião, têm também a sorte de escapar do proibicionismo por um tempo e observar o quanto as políticas de drogas podem ser diferentes ao redor desse enorme mundão.

Tudo isso muda as nossas perspectivas, nos enriquece culturalmente e ainda nos dá uma boa oportunidade de conhecer a cannabis de uma maneira mais profunda. Então, para ajudar você a definir qual vai ser o rolê, preparamos essa lista com 7 sugestões do Girls in Green para sua próxima viagem canábica – com os melhores lugares do mundo para conhecer se você ama maconha.

Prepara as malas e vem com a gente!

Beck disfarçado de avião, nas nuvens

Uruguai: para um rolezinho canábico do lado do Brasil

Nosso vizinho ao Sul, o Uruguai merece todas as honras de estar no topo da nossa lista por ter sido o primeiro país do mundo a legalizar a plantinha. Em dezembro de 2013, nossos hermanos uruguaios foram audaciosos e, na contramão de tratados internacionais, legalizaram e regulamentaram o uso adulto da cannabis. O ex-presidente José Pepe Mujica promulgou a lei 19.172, acreditando ser a melhor forma de lidar com as questões de saúde e segurança do país, e conseguiu implementar a regulamentação no país.

Pessoa visualizando os tricomas da planta de maconha com uma lupa
visualizando os tricomas da planta

É importante ressaltar que, com as leis atuais, os turistas não podem comprar legalmente a planta. Entretanto, você pode fumar – o que já é um começo.

A substância já se tornou uma verdadeira atração turística por lá, e o que não faltam são programações canábicas para curtir e fazer uma verdadeira imersão na cultura local. Na capital Montevidéu, algumas das principais programações são o Museo del Cannabis, o Cannabis Bus Tour ou visitar um dos diversos clubes de cannabis da cidade.

Pertinho, em Maldonado, uma ideia é visitar o Jose Ignacio Social Club, famoso por receber turistas de braços abertos. Por lá, além de poder degustar diferentes variedades da planta, você pode aprender mais sobre o cultivo e as genéticas, fazendo uma imersão cheia de aprendizado. Se o seu negócio é curtir uma praia, a gente recomenda levar seu porro para Punta Del Diablo, uma das mais famosas (e gostosas) da região. Quem não ama fumar um na beira do mar, curtindo uma brisa e o som das ondas quebrando?

Mas não é só isso: se você quiser mesmo uma experiência 100% canábica, considere visitar o país na época da Expocannabis. A maior feira voltada à planta na América Latina traz todas as novidades do setor, além de muita florzinha de qualidade para você experimentar.

Estados Unidos: estados legalizam e procura aumenta

Desde 2012, com a legalização da cannabis nos no Colorado e em Washington, mais de 30 outros trilharam os mesmos passos. Grande parte deles ainda foca na maconha medicinal ou terapêutica, mas já é possível aproveitar a regulamentação do uso adulto em várias localidades para construir as férias perfeitas no país!

Na costa oeste, a Califórnia é o destino mais procurado pelos canábicos de plantão. A cultura da planta é extremamente forte por lá, o que garante milhares de passeios diferentes com foco na maconha. Se você curte a ideia de fazer uma road trip, nossa dica é alugar um carro e percorrer o estado de norte a sul: mais ao norte, no Emerald Triangle, você vai encontrar algumas das maiores e mais interessantes fazendas de cannabis legais do país. No condado de Humboldt, além de tudo isso, você pode encontrar um cantinho pacífico no meio das Redwoods centenárias e gigantescas para acender seu beck em uma experiência mágica. Ao sul, em Los Angeles, o píer de Santa Monica e toda a área ao redor oferecem uma cultura efervescente e muitos programas divertidos para fazer na chapadeira.

Para quem gosta da temporada de frio, as montanhas do Colorado formam o cenário perfeito para aproveitar umas férias de inverno com muita neve, esportes e, é claro, maconha e concentrados de qualidade. O estado é o lar de algumas das cadeias de montanhas mais extensas do mundo, as Montanhas Rochosas (ou, em bom inglês, Rocky Mountains). Resorts de ski e snowboard, além de trilhas famosas com paisagens perfeitas, são o cenário ideal para botar fogo na Babilônia.

Cuidado antes de ir: como a legalização é diferente em cada estado, é essencial conhecer as leis referentes à compra e ao consumo em cada localidade que você vai estar.

Canadá: cultura, natureza e cannabis

Um dos maiores países do mundo, o Canadá foi o primeiro do G7 a legalizar e regulamentar a maconha. Desde 2018, a compra da plantinha e de seus derivados é permitida a qualquer adulto dentro do território canadense – e, de acordo com a lei, você pode ter com você até 5g de maconha fresca, 15g de comestíveis, 70g de extratos líquidos, 0,25g de concentrado e uma semente.

E, para quem deseja visitar o famoso “primo legal” dos Estados Unidos, o que não faltam são opções. Se a sua vibe é um rolê mais natural, as Cataratas do Niagara, em Ontario, são imperdíveis – mas também são bem turísticas e geralmente estão mais lotadas. Você pode visitar parques e lugares mais reservados para uma experiência mais introspectiva e de pura conexão com o planeta. As Canadian Rockies, em British Columbia, por exemplo, são uma extensão da mesma cadeia de montanhas que você pode visitar no Colorado, e oferecem trilhas, rios e lagos com paisagens de tirar o fôlego. Outra atração de deixar qualquer turista canábico de queixo caído é Yukon, que abriga a maior montanha do país. Lá, você pode assistir a aurora boreal e praticar esportes de inverno para unir a adrenalina à chapadeira.

Já para quem prefere a vida urbana e um pouquinho de agito, o Canadá também abriga cidades muito interessantes. Montreal, por exemplo, na parte francesa do país, conta com mais de cem festivais ao longo do ano – que vão do jazz até a comédia. Vancouver é outro lugar bem especial: além de já ter sido considerada a melhor cidade para se viver no mundo inúmeras vezes, a cena da Redução de Danos é bem presente. Que tal dar uma passadinha por lá e conhecer mais sobre essa temática tão importante, hein?

Jamaica: cultura Rastafári e plantações de maconha

Embora muita gente veja a Jaimaica como um símbolo da maconha, ela só foi legalizada por lá em 2015 – é possível portar até 57 gramas da plantinha para fins religiosos, medicinais e terapêuticos, e o cultivo de até cinco plantas por pessoa. Para turistas, normalmente é necessária uma permissão ou atestado para conseguir fazer a compra de maneira legal – mas você pode encontrar diversos tipos de consultório para conseguir a autorização, e não é preciso desembolsar muito para isso.

Alice no meio da plantação de maconha na Jamaica
Plantação de maconha na Jamaica

Embora muita gente veja a Jaimaica como um símbolo da maconha, ela só foi legalizada por lá em 2015 – é possível portar até 57 gramas da plantinha para fins religiosos, medicinais e terapêuticos, e o cultivo de até cinco plantas por pessoa. Para turistas, normalmente é necessária uma permissão ou atestado para conseguir fazer a compra de maneira legal – mas você pode encontrar diversos tipos de consultório para conseguir a autorização, e não é preciso desembolsar muito para isso.

Algumas cidades oferecem tours por fazendas, e a gente super recomenda esse passeio! Neles, além de entender melhor os processos pelos quais passam a nossa plantinha antes de chegar na mão do consumidor final, é possível aprender muito sobre a ligação entre a história do país, os Rastafári e a cannabis, conhecida por lá como ganja e utilizada por ser considerada sagrada.

Uma opção interessante é a Kaya Herb House, em Ocho Rios, que é o primeiro laboratório de cannabis medicinal na Jamaica. Lá, fica bem mais fácil para os turistas fumarem porque há um médico que concede receitas para condições como ansiedade, dores em geral e insônia. Ou seja: após o tour, é possível experimentar as plantinhas vistas no coffee shop da propriedade. Também existem fazendas mais caseiras, como a Orange Hill, em Negril – que também são maravilhosas para quem quer ver um cultivo mais tradicional e roots.

O que também não falta na ilha são praias belíssimas, e dar aquele tapa na pantera no Por do Sol? Fala sério, é imperdível. Tanto Ocho Rios quanto Negril são incríveis!

Marrocos: um dos berços modernos do haxixe

Se o seu negócio é o haxixe, visitar o Marrocos, maior produtor do mundo, pode ser a melhor ideia de viagem para você. Mas vamos deixar uma coisa bem clara logo de cara: a produção de cannabis e o consumo recreativo e medicinal por lá ainda são proibidos, os governantes é que fazem vista grossa para a produção dos concentrados. Talvez porque, atualmente, a economia da cannabis representa no mínimo 10% do PIB do país, e estima-se que pelo menos 800 mil marroquinos vivam da produção de tanto da erva quanto de suas extrações.

Seja qual for o motivo pelo qual o governo meio que “ignora” e olha para o outro lado quando o assunto é maconha, isso significa que, indo para lá, você com toda certeza vai encontrá-la. Se você alugar um carro e for se aventurar (mesmo que seja em locais turísticos) pelas montanhas do norte do Marrocos, vai perceber que ver plantas de cannabis crescendo lindas e livres pelas encostas é algo comum.

A cordilheira do Rif é um dos destinos mais comuns para mochileiros e viajantes interessados no mundo da cannabis e dos concentrados – entretanto, não é o destino mais seguro do mundo, e exige um bocado de cautela. O mesmo acontece com Chefchaouen, ou Chaouen, a capital do haxixe no Marrocos. Se tiver um contato ou um guia, melhor! Mas sempre se certifique de que está com alguém confiável, de preferência indicação de amigos, amigas ou outros viajantes conhecidos.

Holanda: coffeeshops e tolerância à cannabis

Legalizado, não é; mas é tolerado. Esse é o status do uso adulto da maconha na Holanda. A capital Amsterdã conta com cerca de 160 cafés que comercializam a plantinha – contudo, o consumo da população local não passa de 18%. No início de 2021, a prefeita da cidade divulgou uma proposta que incluía a proibição total da presença de não residentes dos países baixos nesses estabelecimentos – o que pode atrapalhar bastante o consumo de turistas.

No momento, ainda é possível visitar esses espaços e fazer o consumo, então é bom aproveitar! Alguns dos maiores e mais baladados são o Easy Times Coffeeshop, o La Tertulia e o The Bulldog. 

Além dos coffeeshops canábicos, você ainda pode visitar muita coisa! O país é um prato cheio para quem adora arte e cultura, e não faltam museus para você se inspirar – ainda mais depois de fumar um e entrar naquela onda bem criativa. O Rijksmuseum e o Museu Van Gogh são duas opções maravilhosas para mergulhar nesse mundo. Se você quer aproveitar um dia em volta da natureza, parques como o Keukenhof e o Vondelpark podem ser perfeitos para aquela pausa pós-beck.

Espanha: clubes canábicos, feiras e associações

Como já contamos aqui no blog, a Espanha pode parecer, para quem olha de fora, um paraíso canábico. Com clubes e associações onde o consumo da planta é “liberado” e eventos gigantes, como a famosa feira Spannabis, o país se tornou um dos mais procurados por turistas que querem conhecer um lugar incrível – e ainda poder aproveitar a plantinha. Mas não se engane: embora o consumo seja tolerado no país, em espaços privados, ele não é liberado.

Depois de uma decisão bem dura em 2021, vários espaços – como clubes canábicos e associações – tiveram que fechar as portas. Mas ainda existem muitas opções para quem deseja conhecer esses locais e usar a plantinha durante seus passeios! Em Barcelona, uma das cidades onde a cultura canábica é mais vibrante, o Sweet Oil Cannabis Club, o Dragons Chamber Club e o Marisana são opções bem legais. Depois da visita, você ainda pode sair pela cidade e aproveitar a arquitetura incrível de Gaudí, no Parc Güell, no Palau Güell, na Casa Mila ou diversos outros pontos turísticos.

Fora de Barcelona, você também pode encontrar muita coisa linda pelo país. As praias da Costa do Sol são um exemplo! Além disso, se você for para lá em março, pode participar da Spannabis – uma das maiores feiras canábicas do mundo.

E aí, curtiu essas indicações? Tem outras para adicionar na lista? Conta para a gente nos comentários e não esquece de nos seguir no Instagram @girlsingreen710 para as últimas informações quentinhas sobre esse universo.

Até mais!

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments