GIRLS IN GREEN

Nem todo cogumelo dá onda — mas quase todos eles possuem propriedades medicinais e terapêuticas incríveis para o nosso organismo. Vem descobrir mais!

Você sabia que nossos ancestrais têm usado cogumelos como remédio por milhares de anos? Por exemplo: o médico grego Hipócrates, considerado por muitos como o pai da medicina, classificou o cogumelo amadou (Fomes fomentarius) como um potente anti-inflamatório e cauterizador de machucados por volta de 450 a.C. Ötzi, um homem que viveu há mais de cinco mil anos, levava um amadou e um políporo de bétula para ter força e energia em sua jornada nos Alpes da Itália. Povos originários da América do Norte usavam cogumelos puffball (gênero Calvatia) para curar feridas. E por aí vai.

Até mesmo a penicilina, o antibiótico que mudou a medicina mundial, vem dos fungos!

Nos dias de hoje, no entanto, os cogumelos permanecem um enigma para muitos na área médica, e até são considerados uma medicina alternativa. Mas há um aumento de interesse, e não apenas nos cogumelos mágicos — várias espécies trazem compostos únicos, que estão sendo pesquisados para uma gama gigantesca de usos terapêuticos.

Não podemos negar que os cogumelos são fascinantes: enquanto alguns podem encher sua barriga, levar através de viagens espirituais ou até curar doenças, outros podem matar. E, como muita gente teme o que não compreende, é até natural que eles tenham permanecido um mistério por tantos anos. Mas hoje viemos trazer uma lista bem interessante com 5 cogumelos medicinais não psicodélicos e suas propriedades para que você possa aproveitar os benefícios desses seres tão incríveis.

Vamos lá?

Foto colorida do cogumelo Juba de leão, de coloração esbranquiçada, na base de uma árvore, com folhas secas no solo
O Juba de leão, além de lindo, promove a neuroplasticidade Fonte: Gaiaherbs

Juba de leão, ou lion’s mane

O cogumelo juba de leão, ou Hericium erinaceus, tem ganhado bastante atenção ultimamente. Um fungo que cresce nos troncos das árvores de madeira dura nas florestas do Hemisfério Norte, ele foi muito usado por monges budistas para melhorar a capacidade de concentração durante a meditação. Além disso, acredita-se que povos indígenas dos Estados Unidos, Canadá e Austrália também usavam o Lion’s Mane como remédio e alimento. 

Seu principal benefício, no entanto, é apoiar a função cerebral saudável e a geração de neurônios — ou seja, promover a neuroplasticidade.

O Lion’s Mane está repleto de uma infinidade de compostos importantes, como os beta-glucanos, que são antioxidantes imunomoduladores e fitonutrientes neuroprotetores. Pesquisas in vitro sugerem que certos compostos encontrados na juba do leão, ou seja, hericenonas e erinacinas, podem ajudar a induzir a síntese do Fator de Crescimento Nervoso (NGF) nas células nervosas. Isso se encaixa com as descobertas da pesquisa com animais de que a juba do leão promove o crescimento do tecido nervoso e suporta a função motora. 

Além disso, pesquisas em adultos com problemas leves de memória associados ao envelhecimento descobriram que aqueles que tomaram o extrato de juba de leão tiveram melhor função cerebral em comparação com os participantes de controle que não ingeriram o cogumelo. Tudo isso indica que o cogumelo Lion’s Mane é um auxiliar incrível para a função cerebral saudável e pode até apoiar a neurogênese.

Foto colorida do fungo massa negra, encontrado no tronco de uma árvore, em uma floresta, com outras árvores ao fundo
O fungo massa negra é em realidade um tumor vegetal Fonte: Researchgate

Chaga, ou massa negra

Chaga, ou massa negra, é um cogumelo que não é cogumelo. A gente explica: o Inonotus obliquus é na verdade um tipo de câncer ou tumor vegetal que cresce nas regiões mais frias do Hemisfério Norte, principalmente em bétulas. Mas ele ainda é um fungo, então vamos falar sobre ele aqui, ok? Ok.

Alguns de seus benefícios mais notáveis são a melhora na digestão e a limpeza e proteção da pele. 

Existem mais de 200 estudos pré-clínicos em animais e células mostrando benefícios promissores para a saúde, incluindo:

  • Alto teor de antioxidantes;
  • Suporte digestivo;
  • Suporte imunológico;
  • Modulação da inflamação.

Ele também tem substâncias antimicrobianas importantes e é adaptogênico. 

Acredita-se que seus primeiros usos medicinais tenham acontecido na Rússia, por volta do século XVI. Os siberianos usavam o chaga para fazer chás e infusões para melhorar a saúde do estômago. Por volta dos anos 1960, o fungo ganhou mais exposição depois que seus poderes foram escritos no livro de Alexander Solzhenitsyn, “Le Pavillon des cancéreux”. Além de tudo isso, muitos povos indígenas continuam a usar Chaga em todo o mundo para várias finalidades relacionadas à saúde.

Foto colorida de cogumelos reishi, de cor laranja intenso, no tronco de uma árvore
Reishi, o rei dos cogumelos medicinais

Reishi

Conhecido popularmente como “o cogumelo da imortalidade”, o Reishi pode não fazer você viver para sempre — mas oferece uma forcinha muito mais do que bem-vinda para o sono e para a nossa imunidade. 

O Ganoderma lingzhi aparece há mais de 2.000 anos em textos medicinais, então ele não é nenhuma novidade. Monges taoístas chineses escreveram sobre usá-lo para promover a calma, bem como para aprimorar suas práticas meditativas. Além disso, a realeza chinesa usava o reishi para promover a longevidade, já que aparentemente ele ajuda a sustentar uma vida longa, um envelhecimento saudável e a melhorar as funções neurológicas.

Segundo a fonte acima, os polissacarídeos no cogumelo reishi estão associados à função imunológica e, se tomados ao longo do tempo, podem apoiar significativamente o funcionamento do nosso sistema imunológico. Esse cogu também pode apoiar um sono reparador e uma mente calma, reduzir o estresse ocasional e a inquietação, melhorar a saúde pulmonar e respiratória e equilibrar os níveis de açúcar no sangue.

Um estudo demonstrou que o reishi pode diminuir os escores da escala de sintomas para homens com sintomas do trato urinário inferior, e outro apontou que ele pode ser usado com segurança em conjunto com certos medicamentos e diagnósticos oncológicos.

Por causa de sua capacidade completa de suportar vários sistemas do corpo, os herbalistas chamam o reishi de Rei dos Cogumelos Medicinais.

Foto colorida de cinco cogumelos shitake, de coloração marrom clara, em um tronco de madeira
Shitake, também conhecido como “cogumelo perfumado” ou “elixir da vida’Fonte: Agro20

Shiitake, ou shitake

Gostoso e poderoso, do jeitinho que a gente gosta, o shitake é conhecidíssimo pelos apreciadores da culinária oriental, e já está bem presente nos mercados brasileiros. Mas ele é muito mais do que um simples ingrediente: esse cogu é bastante pesquisado por suas propriedades benéficas para a saúde cardiovascular. 

Na China, o shiitake é chamado de Xiang gu (香菇), que significa “cogumelo perfumado”. Durante a Dinastia Ming, ele foi considerado “o elixir da vida”. E ele merece demais esse nome, já que é ótimo para a imunidade e a saúde do fígado, além de apoiar nosso sistema cardiovascular. Lentinan, um polissacarídeo encontrado em cogumelos da espécie, tem se mostrado uma grande promessa como um agente de reforço do sistema imunológico. A eritadenina, outro de seus compostos, também pode ajudar a manter o colesterol dentro de uma faixa saudável. 

Esse tipo de cogu é ótimo para cozinhar e também é carregado com vitamina B, ajudando a modular os níveis de açúcar no sangue no corpo e apoiando uma resposta inflamatória saudável.

Pesquisas ainda demonstraram que os cogumelos shiitake aumentam o igA, uma célula imunológica chave associada à nossa primeira linha de defesa quando se trata de resposta imune. Eles ainda podem diminuir a Proteína C-Reativa (PCR), um marcador sanguíneo que detecta a inflamação.

Foto colorida do cogumelo multicolorido Cauda de peru
O cogumelo Cauda de Peru possui diversas propriedades medicinais. Fonte: primalherb

Cauda de peru, ou turkey tail

O cauda de peru é um dos nossos cogumelos favoritos! A gente adora ele especialmente porque nosso micologista de estimação, Paul Stamets, falou muito sobre sua história pessoal com esse fungo — principalmente sobre como ele ajudou na recuperação de sua mãe, que teve câncer de mama. Você pode ver o vídeo completo aqui.

Trametes versicolor é um dos cogumelos mais comuns e locais para muitos povos ao redor do mundo. Ela cresce em troncos mortos em todo o planeta, e recebeu esse nome porque seus anéis em marrom e castanho se parecem com as penas da cauda do peru. 

Na Medicina Tradicional Chinesa, o cauda de peru tem sido usado para apoiar a digestão, a saúde pulmonar, a regulação dos fluidos corporais e o suporte à vitalidade. Esse fungo contém uma das maiores quantidades de beta-glucanos de todos os cogumelos, o que pode ajudar a manter nosso sistema imunológico saudável quando usado por um longo período de tempo.

Além disso, os polissacarídeos ligados a proteínas (PBP) encontrados na cauda do peru e em outros cogumelos do tipo têm os efeitos de suporte imunológico mais comprovados por pesquisas. Esses compostos podem melhorar o funcionamento e a disponibilidade dos principais tipos de células imunes, como células T, quando usados ​​sozinhos ou em combinação com ervas sinérgicas.

E aí, gostou de saber mais sobre esses serzinhos tão incríveis? Fique de olho aqui no blog e não esqueça de nos seguir lá no Instagram @girlsingreen710 para mais informações sobre cogus, maconha, haxixe e tudo que há de bom.

Até a próxima!

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments