GIRLS IN GREEN

Se interessa pelo mundo dos psicodélicos ou adora uma psicodelia? Essa lista de filmes foi feita especialmente para você. Anota os nomes, faz a pipoca e vem com a gente nessa viagem!

Netflix and chill já virou um estilo de vida, e tem dias que é a única coisa que a gente quer fazer para relaxar e colocar as ideias em ordem. E, para quem ama uma psicodelia, o que não faltam são títulos incríveis para explorar em vários sentidos – seja para aprender mais sobre o assunto ou apreciar uma obra que vai fazer você viajar horrores.

Mas, para começar, o que é psicodelia? 

O termo “psicodélico“ vem do grego psico, que significa “alma” ou “atividade mental”, e delo, que significa “visível”. Ou seja: psicodelia seria uma atividade mental, ou até astral, clara e evidente. Ele foi atrelado ao uso de substâncias como o LSD, o DMT e os cogumelos mágicos, que proporcionam viagens intensas e trazem essa expansão muito relacionada ao termo. 

A partir dos anos 60, a psicodelia passou a ser muito explorada dentro da arte, como uma forma de expressão e exploração do mundo, da mente humana e até mesmo de outras dimensões. E a gente adora esse movimento! Para você que deseja entender um pouquinho mais sobre ele, apreciar um filme bem psicodélico para fazer a cabeça ou encontrar algo interessante para assistir enquanto “viaja”, fizemos essa lista com alguns de nossos títulos favoritos para isso.

Bora fazer pipoquinha e dar o play? Vem com a gente!

Planeta Fantástico

fonte: cinemascope

Essa animação, dirigida por René Laloux, mostra a relação do pequeno organismo humano Oms e seus opressores de pele azul muito maiores, os Draags, que é o governante do planeta de Ygam. Se parece doido é porque é! Desde seu lançamento, em 1973, ela inspirou muitas obras do mundo da música e do cinema experimental, e é considerada uma das mais influentes do seu gênero.

Os visuais são lindos e vibrantes, e a história é bem interessante: baseado no romance de Oms, de 1957, do escritor francês Stefan Wul, o longa traz uma alegoria incrível sobre racismo, direitos humanos e muitas outras temáticas ainda tão cruas nos dias de hoje. Envelheceu como vinho, né? 

Enter the Void

fonte: idmb

Escrito e dirigido pelo argentino Gaspar Noé, Enter the Void não é só um filme de drama experimental – mas uma verdadeira obra de arte. Sua história gira em torno de um jovem traficante de drogas americano, Oscar, que é baleado pela polícia, mas continua a assistir ao que acontece depois em uma espécie de experiência fora do corpo. Filmado em primeira pessoa, ele flutua sobre as ruas da cidade de Tóquio e enxerga sua vida em uma perspectiva fantástica.

Descrito como “hipnótico” e “alucinógeno”, o filme foi lançado em 2009 e é aclamadíssimo pelos cinéfilos de plantão. A gente recomenda muito!

Alice no País das Maravilhas

Alice no país das cremas

Esse clássico da animação não podia faltar: afinal, quem é de tempos mais longínquos vai lembrar de como era surpreendente assistir as aventuras de Alice (geralmente perto do dia das crianças) no SBT. Além de toda a nostalgia, a história baseada no livro de Lewis Carroll traz cenas cheias de psicodelia, que combinam muito com uma viagem de ácido – fica a dica.

Reviva um pedacinho da infância e aprecie um dos melhores desenhos da Disney. Tem dias que a gente só precisa disso!

Easy Rider

Fonte: youtube

Easy Rider foi um marco para o cinema: ele deu início a chamada Nova Hollywood, e foi um filme bem revolucionário para a época. A história segue dois motociclistas contrabandeando cocaína do México para Los Angeles. No caminho, eles fumam muita maconha e pegam uma carona hippie, que os convida para uma comuna de amor livre.

E, falando em fumar maconha, temos uma lista de filmes perfeitos para assistir na chapadeira bem aqui!

Da década de 1960, auge dos psicodélicos, o que não faltam são cenas envolvendo as substâncias. Em uma delas, a dupla toma LSD e vai para um cemitério. O diretor usa um jogo de câmera incrível para fazer com que o espectador se sinta dentro da viagem, com momentos de loucura e sanidade perfeitamente intercalados. 

Yellow Submarine

fonte: amazon

O fab four pode ter dezenas de filmes, mas Yellow Submarine é, na nossa opinião, o único que importa (sorry, not sorry). E mesmo não sendo fã dos Beatles dá para entender: a animação, de 1968, não é apenas um marco musical, mas também visual. Com estilos que mudam aproximadamente a cada cinco minutos, esse longa acaba sendo mais surpreendente a cada vez que você assiste – o que o torna aquele tipo de filme confortável para o qual você vai querer voltar de tempos em tempos.

Com muita cor, vibração e psicodelia, Yellow Submarine é uma obra que traz toda a criatividade da banda aos dias atuais. E a gente duvida que, um dia, ela perca a sua grandeza. Perfeito para uma experiência sensorial psicodélica quase completa!

Fungos Fantásticos

fonte: superflix

“Como pode um documentário sobre cogumelos ser tão poético?” – é provavelmente o que você vai ficar se questionando depois de assistir Fungos Fantásticos, disponível na Netflix. Muito centrado na figura de uma de nossas maiores inspirações, o micologista Paul Stamets (que apresentamos em um texto bem completo por aqui), o filme não apenas nos leva a aprender coisas fascinantes sobre os fungos como também dá um show de fotografia. 

Outros especialistas, como o jornalista e escritor Michael Pollan e vários pesquisadores de universidades que estudam a psilocibina, também vão deixar você boquiaberta(o) com tanta informação.

E beleza, ele não é necessariamente psicodélico, mas é incrível descobrir tanto sobre os cogus – que, como vocês já sabem, podem ser bem psicodélicos por si só. Por isso, ele é uma das nossas maiores recomendações por aqui.

Waking Life

fonte: soularte

Escrito e dirigido por Richard Linklater, Waking Life é um filme experimental perfeito para quem deseja filosofar e repensar questões mais profundas. O filme explora a natureza da realidade, sonhos, consciência, significado da vida, livre arbítrio, física quântica e outras temáticas existencialistas que vão render muita reflexão. 

A animação de 2001 acompanha um jovem que vagueia por uma sucessão de realidades oníricas, e encontra uma série de indivíduos que se envolvem em discussões surpreendentes. O fluxo de informações pode ser bem intenso, então a gente recomenda assistir pelo menos uma vez sem a influência de psicodélicos para dar conta de entender tudo.

Pink Floyd – The Wall

fonte: adorocinema

Se você é fã do Pink Floyd (como nós aqui do site), não pode deixar de assistir esse aqui. Pink Floyd – The Wall, de Alan Parker, é muito mais do que apenas um deleite aos seus sentidos: o longa-metragem de psicodelia animada é cheio de drama e ação ao vivo. Misturando surrealismo com conceitos bem reais – que vão da guerra ao fascismo, ele explora a história de uma estrela do rock cheia de problemas. Gente como a gente, eu diria.

O que não faltam são cenas de tirar o fôlego, com visões apocalípticas e monstruosas. Se você é mais propensa(o) a bad trips, a melhor ideia pode ser assistir sóbria(o). O filme, de Alan Parker, é pesado e estranhamente atual.

Com Amor, Van Gogh

fonte: adorocinema

Alô, amantes da arte! Todo mundo conhece um pouquinho da história do pintor Vincent Van Gogh, um precursor do movimento expressionista e representante oficial dos artistas com almas torturadas – digamos assim. No filme Com Amor, Van Gogh, de 2017, um jovem chega à última cidade onde morou o pintor para entregar uma última carta, e acaba investigando seus últimos dias de vida.

Essa animação de tirar o fôlego é composta por frames pintados à óleo inspirados por Van Gogh, e vai deixar você de queixo caído não apenas pela beleza de cada cenário, mas também pela narrativa carregada de emoção. Ui, tô até arrepiada. Juro.

A Viagem de Chihiro

fonte: adorocinema

A Viagem de Chihiro é provavelmente a animação japonesa mais famosa do Studio Ghibli. Lançado em 2001, o longa é uma das obras mais lindas de Hayao Miyazaki – um prato cheio para quem ama aventura e fantasia. A história mostra Chihiro Ogino, uma menina de dez anos que se encontra em mudança com a sua família e encontra uma cidade encantada. Quando seus pais são transformados em animais por uma bruxa, ela precisa descobrir uma maneira de fazer as coisas voltarem ao normal.

A produção é, até hoje, a mais bem sucedida da história do cinema japonês, conquistando mais de 352 milhões de dólares mundialmente. Por lá, o filme desbancou até mesmo o Titanic como a maior bilheteria de todos os tempos. Ele ainda ganhou o Oscar de melhor filme de animação em 2003 – o primeiro e único cuja linguagem não é inglês a conquistar a façanha. Você vai se encantar, para dizer o mínimo.

E aí, curtiu essas dicas? Quais outras grandes obras da sétima arte você adicionaria aqui? Conta pra gente nos comentários e não esquece de nos seguir lá no Instagram @girlsingreen710. Lá, a gente mantém todo mundo atualizadíssimo nos últimos conteúdos e trazemos novidades exclusivas.

Até a próxima!

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments